FOTO: REPRODUçãO

Por: Davi Garcia

Glee: Michael

Por Davi Garcia

Não sou, nem nunca fui fã de Glee. Aliás, para ser bem sincero, acompanhei muito pouco da série depois da metade inicial de sua temporada de estreia. Isso, contudo, não me impediu de assistir um episódio ou outro de forma isolada, dependendo do artista que fosse ‘homenageado’ pela produção ao longo desses três últimos anos. E foi justamente isso que aconteceu essa semana quando revisitei a série por ocasião do tributo feito ao maior artista pop que o mundo já viu: Michael Jackson. O resultado? Uma infeliz e previsível decepção. Não pelas músicas em si, claro, porque seria praticamente impossível errar quando a discografia do saudoso artista está à disposição para contar uma história, mas sim pelo excesso de auto-tune e pela falta de talento dos roteiristas de Glee de conseguir conectar as canções e a leitura que se fez delas, à narrativa da série de forma coerente e orgânica. Um problema recorrente da produção, diga-se.

Michael”, 11º episódio do 3º ano de Glee, não é de todo horrível. Dá para notar, aqui e ali, certos esforços da equipe de produção e, principalmente, de alguns poucos atores, para nos convencer que os números musicais (9 no total) são usados como forma de ilustração emocional para as situações exploradas. É pena, portanto, que no geral o resultado desse esforço soe quase sempre artificial demais. Nesse episódio, por exemplo, a rivalidade entre os grupos The New Directions e Warbles vira pretexto para encenações pouco criativas de Bad e Smooth Criminal, ao passo que Scream ganha uma sequência em clipe que praticamente copia o original e que não faz nada por Artie, o personagem que a encena.

Agora, o que realmente incomoda e não dá para perdoar em Glee é a irritante mania que os autores da série tem de criar e desenvolver seus conflitos com a profundidade de uma Malhação com grife. Nesse contexto, resoluções pobres para duas situações: (1) o ‘mistério’ que envolvia a resposta que Kurt e Rachel aguardavam da academia de artes dramáticas de NY e (2) para o dilema que a indecisa personagem de Lea Michelle encara frente o pedido de casamento feito por Finn. Situação, aliás, que serve como desculpa para números vagos de Never Can Say Goodbye (cantada por Quinn como forma de conselho e despedida) e, em menor escala,  de I Just Can’t Stop Loving You protagonizada pelo casal na sequência em que ela diz sim à proposta dele por simplesmente achar, àquela altura, que não teria nada melhor para fazer.

Em suma, a triste verdade é que nem a ótima  obra de Michael Jackson conseguiu resolver o maior problema de Glee: a incapacidade que a série tem para usar músicas de apelo popular, não apenas como chamariz, mas como instrumentos catalisadores que confiram dimensão às histórias, ideias e discursos de seus personagens. Ainda bem que Smash vem aí…

60 respostas para “Glee: Michael”

  1. jorge disse:

    Não podia discordar mais! As montagens de todas as músicas foram bem feitas e cumpre o papel da série: que divertir as pessoas por 40 minutos, sem encanação se as músicas são inseridas de “maneira orgânica”.
    É o caso: haters gonna be hate and potatoes gonna potato

  2. @dudusbg disse:

    “Não é, nem nunca foi fã de Glee. Aliás, para ser bem sincero, acompanhou muito pouco da série”… faz release pra quem? “pra quem não é e nem nunca assistiu?” ficou meio confuso brotha…
    ambos perdemos alguns minutos aqui…por falar absolutamente nada sobre coisa alguma…
    Mas adoro o Ligado em Séries!

  3. Glee = lixo. Disse tudo!

  4. Fã de Glee não sabe o que é argumento crítico. Pode ter uma tese de mestrado aqui provando que essa série é uma merda, que vão espernear.

  5. karine disse:

    Glee já está no automático faz tempo, é só encenação de números musicais, alguns funcionam (poucos) e outros não.
    Eu só gostei de Never Can Say Goodbye e de Smooth Criminal (gostei do violoncelos). Sandy e Junior fizeram uma imitação melhor de Scream.

  6. Eu parei com Glee lá na no início da 2ª temporada. A série já apresentava as mesmas falhas descritas nessa review. Adoro ler as reviews de Glee, porque confirmam que tomei a decisão correta em largar.

    E pra quem gosta, uma dica: Tenha senso crítico, não é porque você gosta de uma série que tem que vendar os olhos e fingir que ela seja perfeita, fica parece criança birrenta. ;)

  7. Renata disse:

    Concordo, nao e uma questao de gostar ou nao do seriado, eu assisto mtas series e glee fazia parte delas. Ate que finalmente cansei de assistir e perder 40 minutos da minha vida vendo uma serie que nao decide onde focar. E vira e mexe esses episodios com ‘moral’ sabe? De vez enquando era legal desviar da historia, mas ou faz logo um musical ou chega de nao ter uma historia. E um seriado, ao meu ver a historia deve ser a prioridade, coisa que glee deixa em secundario. Antes que fans de glee me encham, acompanhei a serie ate inicio da 3 temporada. Desculpe a falta de acentuaçao mas to no cel, e horrivel acentuar por aqui.

  8. Kelly disse:

    Umas das coisas que devem ser postas aqui. Vocês nunca foram adolescentes na vida? Acho muito fácil adultos criticarem problemas entre adolescentes pois já estão maduros suficientes para dizer que o problema entre os personagens de Glee são pouca coisa.
    Tudo que eles passam, para a idade de um adolescente é um grande problema: A questão da briga e rivalidade entre dois grupos de Glee é para esses adolescentes de 14/15 anos por aí é o grande problema da vida deles.
    Confesso que Glee tem problemas de continuidade, mas vocês reclamam tanto de adolescentes. Rachel fala muito bem que “é difícil para alguém ver seus amigos se formando enquanto você não tem planos para nada” – Vocês nunca passaram por isso na adolescência? Sério mesmo?
    O que cansa de Glee não são os temas comuns. Isso, se passar dos anos e se pegar muitos seriados de TV que tem por aí, isso sempre irá acontecer. O que cansa mesmo são críticos usando o mesmo argumento para falar algo que não acontece somente em Glee, mas também na vida humana.

  9. luly disse:

    Coro:
    “Ainda bem que Smash vem aí…”

  10. Davi Garcia disse:

    Kelly, a questão é que existem milhares de formas de abordar problemas da adolescência sem apelar para as soluções rasteiras como a turma do Ryan Murphy faz em Glee. A já encerrada Frinday Night Lights, por exemplo, fez isso muitíssimo bem e por 5 temporadas.

  11. Claudia disse:

    Não gosto de Glee, mas faço a ressalva, você ficam falando de Smash como salvação do futuro e logo vão quebrar a cara. Musical não se sustenta na TV aberta, escutem o que eu tô dizendo Smash não tem fôlego pra aguentar muitas temporadas. Vocês que elogiam a série logo vão estar aqui daqui uns meses reclamando. Escutem só! rs

  12. Claudia disse:

    Tô toda trabalhada na Mãe Diná AHHAAAHAHAHAH. Mas nem foi essa a intenção..rs

  13. Glícia disse:

    Gostava muito de Glee na primeira temporada, baixava as músicas dos episódios e tudo. Era fã mesmo! Mas apartir da segunda temporada ficou difícil de engolir aqueles dramas adolescentes repetitivos, e nem mesmos as boas músicas (quando existiam) salvavam a série do lugar comum. Chato é, para mim, a palavra que melhor descreve Glee atualmente.

  14. lucas cardoso disse:

    Glee nessa temporada está usando algo que eu considero muito ruim que é um novo Staff de Roteiristas CREIO eu que é algo que levou a série para um nível bem baixo, quando a série só era escrita pelos roteiristas originais a série estava indo muito bem até o final da 2º temporada em que os episódios tinham um tema específico e as músicas estavam sempre relacionada a esses temas na 3º temporada o foco são os personagens que acabaram ficando esquecidos.

  15. Mariana disse:

    Valeu pelo spoiler sem avisar ai!!!!

  16. Carol disse:

    A mesma coisa pra mim: baixava as músicas, episódios, ficava atrás de spoilers…

    Mas o show se perdeu. Tudo o que era novidade virou repeteco ou foi posto de lado. É como se uma nova série tivesse começado com a segunda temporada, uma série irreconhecível, chata.

    Que pena.

  17. Gabriel disse:

    Acho que o pessoal está dando muito ibope para Smash, só porque será uma série apenas com músicas da Broadway. Não dizendo que a série será ruim, pode ser muito boa, e espero que seja. Glee teve seu papel, pois voltou a abrir o leque para musicais que estavam apagados, realmente a série não anda das melhores ela já foi muito melhor. Mas ficar dizendo que Glee é lixo acho demais da parte de algumas pessoas. Se fosse não teria ganhado tantos prêmios como já ganhou. Gosto muito da série e espero que ela volte a ser o que era, acho que a 3ª temporada está morta, resta esperar pela 4ª que dizem que reviverá a série. Vamos esperar. E sim, glee já foi melhor, mas não virou toda a porcalhada como alguns dizem.

  18. Davi Garcia disse:

    Gabriel, a empolgação de muitos com Smash tem uma explicação simples: o Piloto é de fato MUITO bom. Se conseguirá manter o ritmo é outra história, mas que foi um belíssimo início não restam dúvidas. Sobre as músicas, não tem essa de usar hits da Broadway, já que pelo menos metade das composições que serão usadas nos episódios são inéditas ;)

  19. Renata disse:

    Kelly, assisto séries a um tempo. Vejo série adolescente até hoje, não é contra adolescentes e suas relações ou problemas da idade. Eu adoro Pretty Little Liars, Gossip Girl, 90210,The Lying Game, Skins…E quando tinha 15 anos, estava começando The O.C, uma série de adolescentes dramática que foi quando comecei a curtir o tema adolescente. Todas essas séries, algumas já tiveram alguns episódios que deixaram a desejar, mas nenhuma perdeu o foco da história, e cada público busca oq quer. Eu busco história e Glee não se encaixa, mesmo eu tendo tentado assistir. Aqui envolve gosto, opinião…Eu assisto muitas séries juntas e cheguei ao ponto que percebi que Glee não é uma boa série, na MINHA opinião, mesmo curtindo tema “adolescente”.

  20. Paulo Treviosan disse:

    Olá Davi,

    Para começar o meu comentário, acho que você acertou em cheio quando disse que Glee é uma malhação de grife.

    Foi muito bom. Eu assisto a série. E eu acho a série até bacaninha. Mas eu estive pensando cá com os meus botões e cheguei na conclusão de que o que me interessa em Glee são as músicas.

    A história para mim está em segundo plano.

    O Problema é que o modus operante é o seguinte. Nós temos a história, e nós temos a música que deveria ilustrar o que esse ou aquele personagem está passando.

    O problema é que após 3 temporadas, você não tem músicas para ilustrar o que os personagens estão passando. Então o repertório músical começa a cair muito.

    E se o que segura a série são as músicas e isso não está indo muito bem. Qual a saída? Que eu acho que cedo ou tarde vai começar a acontecer. Músicas Originais.

    Eles já deram o pontapé nessa idéia, em algumas ocasiões dentro da série. Mas parece que isso ficou um pouco de lado.

    Então é isso, ou a série se re-inventa com músicas originais, ou teremos uma receita certa de desastre.

    Para você ter uma idéia. Eu não assisto mais a um episódio de Glee. Eu assisto as performaces de Glee. Fico passando para as músicas dentro do episódio. Porque não tenho mais tanta paciência pra ver um episódio inteiro. Logo, logo se não melhorar eu vou ter que largar.

    Bom é isso aí
    Até a próxima

    @paulotrevisan85

  21. Joaquim Basso disse:

    Davi, acompanho suas opiniões desde a época de Lost e estou sempre atento às suas críticas, ora concordando, ora discordando.
    Agora, por exemplo, discordo parcialmente. Primeiro, só uma sugestão, não dá pra concordar que foi uma “previsível decepção”, porque a expressão é uma contradição. Ou você previu que seria ruim e portanto não tinha expectativas, logo, não poderia se decepcionar; ou você previu que seria bom e foi decepcionado, porque o que aconteceu não foi “previsto”. Sugiro, humildemente, que não escreva mais isso.
    Segunda discordância, dizer que Smooth Criminal foi pouco criativa foi um equívoco. Provavelmente, uma das melhores versões que Glee já apresentou.
    Fora isso, é inegável que o roteiro de Glee deixa em muito a desejar. Sempre assisti e continuarei assistindo apenas pelas músicas, como meu colega acima (Paulo Treviosan). Realmente, não conseguiria entender como alguém poderia assistir a essa série pelo roteiro, que é um completo e absurdo nonsense!
    Mas as perfomances musicais são um marco na TV, resgatando a cultura americana dos musicais para os dias modernos. É isso que aprecio, por mais que muitos episódios se apresentem fracos também nesse quesito, aqueles 5 ou 6 da temporada que não são, valem a pena. Pelo menos pra mim, que sou um admirador da música.

  22. Davi Garcia disse:

    Oi Joaquim, se a minha expectativa era de decepção, logo era previsível. Não vejo nenhum vício de retórica nisso, mas enfim… Sobre o que fizeram com Smooth Criminal, de fato achei uma versão bem fraquinha, principalmente quando comparamos com a força imprimida pelo Michael quando a interpretava, mas é tudo questão de gosto. Se você curtiu, tá tudo certo ;)

  23. Davi Garcia disse:

    Oi Paulo você citou uma coisa interessante que é a dificuldade da série em conseguir achar/usar músicas que tenham relação com as histórias. De fato deve ser bem difícil, mas aí deveria entrar a criatividade dos responsáveis pela série para pensar em outras saídas, sendo a mais óbvia, usar composições inéditas (que é justamente o que Smash fará, diga-se). Óbvio que é fácil falar, mas pô, Ryan Murphy e cia ganham muita grana para se acomodarem tanto com um programa que é tão popular, mas que só vê a qualidade indo pro ralo. Como eu disse no texto, não acompanho Glee com assiduidade, mas acho que nem mesmo assim conseguiria ver só as partes musicais, porque até nisso (independente da canção), a série caiu demais na minha opinião. Abraço!

  24. Glee?? O que é isso??
    Raçao para ratos?

  25. Que porra é isso?

  26. Rayssa disse:

    Cmo o proprio seriador que escreveu a review admitiu, ele não assiste à série a não ser em episódios evento, que são justamente aqueles em que o roteiro da série é mais prejudicado. Cadê a review do episodio passado, o 3×10, que foi bastante elogiado fora da bolha do Ligado Em Série? Melhor deixar pra lá, né, senão a “reputação” de vocês pode ser seriamente prejudicada…

  27. Coro:
    “Ainda bem que Smash vem aí…” [4]

  28. Lucas Marque disse:

    Desculpa mais como uma pessoa que não gosta de Glee pode fazer uma critica do episodio de forma parcial? Não pode e sinceramente esse não foi um dos melhores episódios da temporada mais marcou muito sim e tem cliches mais em q serie que não ha? E tem mais a série cumpre seu papel e vê nem se da o trabalho de ver isso!

  29. Davi Garcia disse:

    Hum… Vamos lá. 1) Se a série é ruim (e os motivos para que eu a ache ruim estão no texto), não sou louco de perder tempo assistindo todos os episódios. 2) Como indiquei no texto (e acredito que esteja bem claro, aliás), meu único interesse para ver este episódio era o “homenageado” da vez. O texto foi uma consequência disso. Aceitar ou não os argumentos apresentados neste post é um direito de todo fã de Glee, mas não vejo ninguém que ainda defenda a série retrucando os pontos que levantei sem fugir do “a série cumpre o seu papel“. Que papel?

  30. Rafael Resende disse:

    Lucas, você tá pagando mico. Não existe crítica imparcial. Isso é mais básico que andar pra frente. Por essas e por outras que os fãs xiitas de Glee são tão zoados e é pela mesma razão que não conseguem enxergar que essa série já foi pro vinagre há muiiiito tempo.

  31. Bruno Carvalho disse:

    Bom, acredito que você quis dizer “crítica imparcial”, mas sem querer você deu a própria resposta. Toda crítica é PARCIAL. Toda pessoa que se propõe a fazer uma análise crítica de algo, imprimirá parcialidade em seus argumentos, sejam eles favoráveis, contrários ou até neutros.

    Muitos confundem o ideal jornalístico ilusório de imparcialidade (isenção ao dar uma NOTÍCIA) com imparcialidade na hora de opinar. Isso é utopia. Não existe crítica imparcial, ok? Você dizer que “o episódio marcou e que a série cumpre seu papel” é tão parcial quanto, porém sem qualquer teor argumentativo.

    Pelo menos o autor do texto embasou as suas opiniões, em vez de simplesmente jogá-las como você fez aqui. Essa é a diferença entre uma opinião relevante (ou seja, fundamentada) de outra descartável (pautada apenas numa emoção) para uma discussão sobre qualquer assunto.

  32. Igir disse:

    Triste vir aqui dizer que Glee, hoje em dia, é meu Guilty Pleasure… Foi bom na primeira temporada e caiu muito de nível. Mas duvido muito que SMASH seja a salvação, parece mais que vocês tentam colocar a série como uma versão legal de Glee. Nada garante isso, até agora só tivemos um piloto e, ainda que bastante bem-produzido, possui alguns problemas. Melhor aguardar mais um tempinho antes de alardear a série como promissora, né?

  33. Rayssa disse:

    Davi Garcia :
    Hum… Vamos lá. 1) Se a série é ruim (e os motivos para que eu a ache ruim estão no texto), não sou louco de perder tempo assistindo todos os episódios. 2) Como indiquei no texto (e acredito que esteja bem claro, aliás), meu único interesse para ver este episódio era o “homenageado” da vez. O texto foi uma consequência disso. Aceitar ou não os argumentos apresentados neste post é um direito de todo fã de Glee, mas não vejo ninguém que ainda defenda a série retrucando os pontos que levantei sem fugir do “a série cumpre o seu papel“. Que papel?

    Obrigada por responder. Já era esperado que bastante gente que não costuma ver Glee fosse assistir a esse episodio por causa do MJ, o seu caso. A questão que eu levantei é um pouco além desse episódio em si, o site de vocês tem uma “tradição” de bater em Glee. Eu acompanho outros sites e blogs sobre séries e em todos eles quem faz a review de determinada série, de fato, assiste à série, o que é o mínimo. No final das contas, acho que realmente Glee não é pra vocês (ou o contrário), pq ate episodios como Journey, o season finale da 1º temporada, foi trollado aqui, se vocês não gostaram desse episódio, eu não tenho argumentos pra falar absolutamente nada já que, nesse episodio, Glee cumpriu o seu papel,ou seja, atingiu o auge de qualidade condizente com a proposta da série.

    Não acho que Glee venha cumprindo o seu papel há muito tempo mas é notável uma recuperação nessa 3º temporada. Esse episodio especial, ao contrário de todos os outros que Glee fez, não foi filler, questoes importantes foram comentadas nele (e n resolvidas, como você falou, elas continuam abertas), quanto aos numeros musicais, aí entra o q eu comentei, a ânsia por mostrar um monte de referencias de um artista atropela o roteiro e faz enormes buracos no episodio, o que deixa ele superficial. Comentei do 3×10 porque nele Glee novamente atingiu o seu auge de qualidade, juntando boas sorylines e bons numeros musicais com direito ate a cliffhanger (me perguntava se Ryan ainda sabia como fazer isso).

    Por fim, a questão de ver Smash como a salvadora dos musicais na TV, percebi que vocês curtiram bastante, eu vou esperar mais um pouco pra dar uma opinião sobre ela, até lá a única certeza que eu tenho é que Glee e Smash têm propostas diferentes, públicos diferentes, mercados diferentes, gêneros diferentes, etc.

    No mais eu não vou fazer a “fã xiita” defendendo Glee, acho q a série sabe se defender bem em episódios como o 3×05, 3×06 e 3×07(esses dois são interligados), 3×08, 3×10, quem quiser ver, veja…

    Abraços

  34. Raquel disse:

    Gosto é gosto, não há tese de mestrado que mude isso.

  35. Cecilia disse:

    Bom queria dizer que acompanho a serie e acho que ela realmente tem caido na qualidade da historia….concordo com praticamente tudo que está no artigo. Apenas queria ressaltar que o ponto alto do episodio pra mtos que postaram foi Smooth Criminal…entretanto se fizerem uma pesquisa no youtube vao perceber que os dois violoncelistas do episodio ficaram famosos por interpretarem essa musica…e ate fizeram um clipe com essa mesma disposição de cena (as cadeiras de frente uma a outra como se estivessem duelando num auditorio vazio). Ou seja, a parte mais emocionante (que particularmente nao achei essas coisas) foi plagiada…outra coisa, a musica final foi interpretada de forma tao pobre! Sinto que a produção do episodio da Madona foi mil vez melhor q o do MJ…
    E pra finalizar onde raios está Sil Sylvester?????

  36. nathan disse:

    Glee Samba, seus recalcados.

  37. Vinícius disse:

    Pelos comments, vi que tem uns haters (ta na moda ser hater de glee pelo jeito, eles estao em todos os lugares e são bem mais chatos que os fãs xiitas) e uns ex-fãs, que largaram na 2º temporada, não posso culpá-los…

    Eu continuei vendo, assisti tudo, e cheguei a uma conclusão com relação a Glee:
    assista à 1º temporada -> assista a The Glee project (o puxadinho de Glee que foi melhor do que a propria) -> assista à 3º temporada (as tramas da 1º estão sendo todas retomadas nessa)

    A segunda temporada vale por alguns episodios, personagens e numeros musicais mas erra feio em todo o resto servindo apenas pra desgastar a formula da série.

  38. Neysangela disse:

    Só parei para ler esta review de Glee porque vi que tinha sido escrita pelo Davi Garcia, a quem acompanho desde Lost; do Bruno reclamando de Glee já cansei.
    É evidente que cada uma tem o direito de gostar do que quiser, mas o que realmente não entendo é essa insistência em querer fazer as pessoas não gostarem de Glee. É comum ver críticos de série (não só deste site) se queixando de falta de tempo para ver todas as séries que gostariam; não compreendo então porquê desperdiçar tempo com um seriado que até as pedras sabem que vocês não gostam. Se você fossem colunistas de algum jornal ou revista, e tivessem a obrigação de assistir aos programas, mesmo os que não gostam, entenderia a reiteração de críticas negativas. Este não me parece ser o caso aqui; acredito que vocês assistam séries por prazer.
    Voltando a crítica do episódio. Davi diz que não gosta de Glee e que só assiste a algum episódio esporadicamente. Para mim, por este motivo já perde a credibilidade para falar do roteiro da série. Se não acompanha, como pode falar da forma como os conflitos são desenvolvidos? O “mistério” da resposta do NYADA não começou a agora; a tentativa de Rachel e Kurt de entrarem para academia vem se desenrolando desde a season premiere. A indecisão de Rachel sobre o pedido de casamento também não é novo; é mais uma etapa na escolha que ela precisa fazer entre carreira e amor, e que vem se desenrolando desde o final da temporada passada. Não quero com esse comentário atribuir a Glee uma profundidade que a série não tem, mas também não é tão rasa como coloca o Ligado em Série.
    Quanto às músicas, gostei da maioria. Achei que foram bem empregadas no episódio; não vi nada de vago na bela perfomance de Never Can Say Goodbye.

  39. Davi Garcia disse:

    Neysangela, não sei se você chegou a ler meus outros comentários neste post, mas deixei claro, tanto no texto quanto nas respostas, que o único motivo que me fez assistir este episódio foi o fato de terem “homenageado”o Michael Jackson. Não escrevo, como você sugeriu, só pra fazer com que alguém deixe de ver a série. Primeiro porque não tenho esse poder e segundo porque cada um assiste o que bem entende e faz o que acha melhor com seu tempo livre. Além disso, de fato não acompanho a série desde meados da 1a temporada, mas todas as críticas que aponto no texto levam em consideração a repetição dos maiores erros e defeitos que a série tem desde seu início. Nisso, se a trama A ou B já é assunto de episódios anteriores ou não, realmente não foi considerado por mim na análise (até porque nem precisei assistí-los para entender o que se passava ali, o que por si só já diz muito sobre a ‘complexidade’ da série). Agora, o que sei é que vi resoluções rasas para conflitos que aparentemente devem ser importantes na história dos personagens na temporada de uma série que mesmo os fãs dizem ser fraca.

  40. Jeff Era_Haz disse:

    Eu sou fã. Gostei pra caramba e entendo que algumas pessoas não vão apreciar mesmo. Feio é quem é fã tentar obrigar os outros a curtirem, tanto quanto quem não é, tentar fazer com que desgostem. Desde que eu esteja satisfeito, basta. Os outros fãs deviam fazer o mesmo.
    Mas falando como alguém que acompanha acompanha a bastante tempo os seus posts, Davi, vc bem que anda meio reclamão demais com todas as séries.
    The Walking Dead
    True Blood,
    Terra Nova,
    Sinto falta da época em que vc parecia menos um crítico e mais um espectador entusiasmado.
    E pra constar, o episódio foi bem ruim mesmo…

  41. Wellington Laurindo disse:

    Glee é e sempre foi cheia de falhas e problemas de roteiro, isso não é novidade. O que não entendo é o esforço que as pessoas tem em fazer uma crítica numa série que já se assumiu caça-níquel e entretenimento barato há muuuiito tempo. Desde o BOOM de Glee em 2009 foi assim. Quando a série retornou em 2010 a proposta foi bem diferente. Essa é a mesma Glee do episódio da Madonna (1×15) e agora no episódio Michael (3×11) as pessoas ainda querem cobrar alguma coerência na série.
    Eu ainda assisto e me distraio de boa durante 40 min, se isso não acontecesse e não tivesse paciência já teria me afastado.
    Para mim soa como quem vê, gosta mas não quer admitir por ser uma série meio vergonha-alheia.

  42. Davi Garcia disse:

    Jeff, sou um dos que mais defende TWD. Leia meus textos que verá ;)

    Sobre ser cricri com muita coisa… É normal, acho. A gente fica mais exigente com tudo com o passar do tempo. Ou não

  43. Lucas disse:

    Vou tentar ser racional como pediram em alguns comentarios. Glee derrapava no aspecto profundidade dos assuntos, ha um tempo atras, foi o que a fez ganhar varios premios, inclusive o Emmy para Cris Coffer. Em sua terceira temporada a figura de Glee nao esta mais centralizada no imediatismo dos assuntos e data venha, um episodio nao pode ser levado em conta. Michael foi uma homenagem, mais na nova conjuntura de Glee nao poderia ser feito como ocorreu com Madonna e Brittney, cançoes sem plano de fundo. Quem veem acompanhando a terceira temporada sabe o porque das musicas fazerem referencias á historias vividas pelo personagens. Em resumo, acho que o comentarista, ao descrever a serie como rasa, sem profundidade, deveria demonstrar conhecimento para afirmar isso, se ele nao ver, nao acompanha, nao tera subsidio para afirmar que Glee se compara a Malhação. Outro erro, e esse mais detestavel, é comparar Smash com Glee, e ai vai um conselho, Smash ja teve seu piloto lançado, alias ele esta disponivel gratuito no Itunes, aconselho que baixem, assistam, ja tem versoes legendadas, talvez o escritor desse post precise para entender. Smash nao trata de uma serie musical, nao no sentido de Glee, nao é melhor nem pior, apenas trata do mundo dos musicais, escolha de elenco, bastidores, relaçoes pessoais dos atores, uma tipica serie dramatica com um pe no mundo musical. Nao ficaria entusiasmado com Smash, embora tenha criticas positivas, o Steve tem que mostrar ao que veio, ja que Terra Nova fracassou. Pra finalizar, que venha Smash, e enquanto ela nao vem, continuaremos a ver o besteirol, a superficial, mas tambem emocionante, encantadora e acima de tudo, ainda UNICA GLEE. Quando Smash decolar, uniremos as duas, assistiremos as duas e deixaremos os sem noções metidos a colunista do The Times esbravejarem suas impoperias.

  44. Rafael Resende disse:

    Lucas, eu até ia te zoar, mas Gleezetes como você são tão ignorantes e escrevem tanta asneira (cometendo erros ridículos de concordância e de português inclusive) quando dão xilique tentando defender essa porcaria de série, que desisti. Vocês se auto sacaneiam quando se assumem fãs desse atentado à inteligência e pagam mais mico ainda quando começam com ataques de pelanca contra qualquer um que fale mal dessa merda chamada Glee.

  45. Diogo disse:

    Decepção ocorre quando você cria expectativas sobre algo e o mesmo não as corresponde. Então se você previu que o episódio não iria ser bom e, no final, achou que não foi bom, como isso pode chamar isso de decepção?

    Glee SEMPRE teve um roteiro surreal (sim, inclusive na primeira temporada, afinal alguém acha plausível um garoto de 16 anos acreditar que engravidou a namorada através de uma “jacuzzi” e uma mulher esconder a barriga de uma gravidez falsa do marido por meses?), e sempre cumpre o seu papel de ser um videoclipe de 40 min aleatório.

    Não gosto de series adolescente (até por que já estou beirando os 30 anos), mas curto muito Glee, justamente por fugir desses dramas repetitivos e apresentar histórias nonsense.

  46. Vinícius disse:

    Por que Glee é uma merda na sua opinião?

  47. Leandro disse:

    Acho que apenas a primeira temporada de Glee foi realmente boa. Os roteiristas conseguiram criar os episódios conectando muito bem as músicas cantadas com as histórias individuais dos personagens.
    Na segunda temporada eles se perderam muito, e o resultado foi muito abaixo da primeira. Quase desisti de assistir. Já na terceira, parei no primeiro episódio, que nem aguentei chegar no final.

  48. Eracticis disse:

    Caramba! As pessoas ofendem-se mutuamente por conta de algo tão superficial quanto tv.
    Quem gosta é livre pra isso e quem não gosta não precisa assistir e sequer comentar, afinal, não possuem embasamento pra isso, visto que não acompanham.
    Mas trocar ofensas por um programa de tv, é muita falta de noção.
    Eu gosto. É sem sentindo e babaca e no geral, não me agrega valor algum. Mas gosto exatamente por isso.
    Quando quero simplesmente não pensar em nada, vejo Glee.
    Quando quero pensar, assisto The Good Wife, Damages, e outras tantas que servem a esse propósito.
    As pessoas possuem o estranho hábito de enaltecer o que gostam, em detrimento ao gosto alheio.
    Há quem diga que Californication é uma porcaria pornográfica e ofensiva.
    Há quem diga que Game of Thrones é uma babaquice de nerds.
    Há quem diga que True Blood é coisa de tarados sádicos.
    Sempre tem quem não curta. Meu conselho pra quem gosta: Fica na sua e não esquenta, porque opinião é igual digital.

  49. Bárbara disse:

    Davi Garcia :
    Kelly, a questão é que existem milhares de formas de abordar problemas da adolescência sem apelar para as soluções rasteiras como a turma do Ryan Murphy faz em Glee. A já encerrada Frinday Night Lights, por exemplo, fez isso muitíssimo bem e por 5 temporadas.

    Exato!!!! Como a Fox gasta tanto dinheiro com Glee (me fala que aquela parte do clipe Scream não gastou muuuuito dinheiro, vai!) e está pra cancelar Fringe porque a série é exibida sexta (por falta de horário na grade( e tem pouca audiência???? TE ODEIO FOX!

  50. Andre disse:

    Eu gosto de Glee, mas realmente acho que a série se perdeu do que era proposto na primeira temporada. Mas acho que existem coisas muito piores. Ao mesmo tempo que elogio Pretty Little Liars (brilhantíssima série, diga-se de passagem), critico imensamente Greys Anatomy, confesso que depois da segunda temporada me dava sono. E Friends? Três primeiras maravilhosas temporadas, e uma quarta temporada horrível. Assim como séries detestáveis como Fringe, 90210, The OC e a péssima Chuck! Acho que Glee tem que parar por aqui, melhor terminar em alta, do que se tornar piada de mal gosto que já tá se transformando!

  51. Sara disse:

    Davi, quero primeiramente te elogiar por sua competência com reviews. Quero te dizer, que assisto muitas séries e Glee é uma delas.
    Mas eu acho que há um erro de sua parte, de avaliar uma série que você nem assiste, levando em consideração apenas um episódio. Como você pode dizer que as músicas não se adequaram se você não acompanhou as situações anteriores ?
    Glee de fato, não é um primor de série, desde o começo, Ryan Murphy esquece histórias, resolve tudo muito rápido e tal. Mas é desde o começo isso. Mas, só te peço pra não comentar sobre uma série que você não goste, porque isso é incoerente.
    Aos que não gostam de Glee, ok. Assistam outras coisas galera !
    Vamos respeitar gostos e opiniões.

  52. Sara disse:

    Eu assisto Glee como uma diversão, não pra ser levada em conta.
    The Walking Dead por exemplo, pra mim, tá meio monótona essa segunda temporada, porque só estão naquela história da Sophia, mas vc gosta da série, certo ?
    Tá vendo, opiniões diferentes, meu caro.

  53. Davi Garcia disse:

    Sara, em momento algum eu desrespeitei opiniões… Critiquei a série, o que é bem diferente. Quanto ao fato de dizer que Glee insiste em usar as músicas de forma solta em 90% das situações, falo comparando com a 1a temporada inteira que de fato vi. Daí a menção ao fato da série continuar sem saber usar as músicas para desenvolver um cenário específico ou os personagens, porque, apesar de não ter acompanhado a 2a temporada nem a atual, ao ver este episódio especificamente, notei que os mesmos problemas do passado continuam na série. ;)

  54. Sara disse:

    É Davi, mas dá um desconto, a série é só pra divertir pô haha
    Pra mim, pelo menos né, mas tem muita gente que diz que Glee é uma maravilha e tal, não é.
    Mas para as adolescentes e gays, é a melhor série, fazer o que.
    Só te dei o toque, porque pode ser visto como implicância de sua parte.
    Aliás Davi, qual é sua série preferida de sempre ?

  55. Glenda disse:

    Muito engraçado ler isso de alguém que não é, e nem nunca foi fã de Glee. E ainda mais acompanhou muito pouco da série e mal sabe da importância dessa série para jovens no EUA. Fora relatar o bulling e diversos casos tabus, a série alcança o gosto das crianças e jovens ensinando coisas que a sociedade não consegue passar.
    O fato é que a série não trata só de humor, auto tune, padrões, homenagens… E você como desinteressado deveria procurar mais sobre música e sobre a série pra poder escrever sobre.
    Todo mundo fala mal de Glee por ser algo popular ou voltado para jovens, mas reconheça que a série conseguiu sim seu espaço e que ela tem grande influencia para muita gente.
    Você falou da versão de Smooth Criminal, eu estudei música por 9 anos e sei muito bem dizer que aquela apresentação é poderosa o bastante para ser respeitada.
    Sem mais.

  56. Pedro disse:

    Asiste o episodio antes de saber criticar,HORRIVEL REVIEW

  57. Cometário Removido

  58. jessi disse:

    Só digo uma coisa, queria ver quem critica fazer melhor! Ryan é um produtor genial, já assistiram American Horror Story? Ele consegue fazer duas séries que são super diferentes tendo em vista as porcarias de séries que temos hoje em dia, Glee é inspiração não só pra adolescentes mas pra adultos e crianças também! Assista The Glee Project e ira ver o real sentido de Glee, é história de vida (assista o filme 3D também e veja as histórias de vida que contam lá)! O que Glee mostra é que é legal ser diferente e é isso que Ryan prioriza antes de qualquer coisa. Os atores mesmo já disseram que Ryan observa o que eles fazem nos camarins para colocar na série, tem muito da vida deles nos personagens! Só acho que quem deveria fazer Review deveria ser fã e não poser.

  59. então fala da serie q vc gosta , mas se não faz melhor não critica, é falta de respeito

Deixe uma resposta

ss