Damages: Have You Met the Eel Yet?
Damages: Have You Met the Eel Yet?

Damages: Have You Met the Eel Yet?

[com spoilers do episódio 5×02] Não sei você, mas um dos grandes motivos que me fez virar fã de Damages reside na capacidade que sua controversa e não menos carismática protagonista, Patty Hewes, demonstra para antecipar cenários e passos de seus adversários jogando com as peças que tem para manipular tudo a seu favor. Dessa forma, se por um lado foi intrigante ver como Hewes criou e alimentou a paranóia que confundiu e induziu Ellen Parsons ao erro, por outro foi meio decepcionante notar que neste “Have You Met the Eel Yet?” a série acabou se rendendo a explicações expositivas demais que culminaram na cena em que a personagem de Glenn Close liga para sua ex-pupila apenas para revelar o que acabara de fazer. Algo que, considerando o histórico da personagem quase sempre tão low profile, ela muito provavelmente evitaria apesar do ego que tem. Crítica à parte, se Patty obteve uma vantagem momentânea de bastidores, Ellen descobriu que seu cliente, Channing McClaren, mentiu quando disse não conhecer Naomi (a informante feita por Jenna Elfman), um ‘detalhe’ que nas mãos de sua oponente poderia ser garantia de vitória no tribunal, mas na da jovem advogada se transforma numa incógnita. Afinal, é impossível não imaginar que a descoberta do segredo de seu cliente possa ter implicações futuras relacionadas diretamente à sua própria morte, o grande evento que os flash forwards até aqui insistem em apontar Patty como autora. Seja lá como for, o fato é que, mesmo irregulares, os dois primeiros episódios desse último ano de Damages amplificaram a rixa das duas principais personagens revisitando a conflituosa dinâmica de mestre/aprendiz num contexto interessante e que pode, se evitar o excesso de exposição, render um desfecho genuinamente impactante que faça jus à fórmula de reviravoltas que é a assinatura da série.

Obs.: Pode ser coincidência, mas com a revelação de que o réu da vez tem segredos a esconder, notei que há um certo paralelo entre o personagem de Ryan Phillippe na série (Channing McClaren) e aquele ele intepretou recentemente no filme de 2011 estrelado por Matthew McConaughey, O Poder e a Lei (assistam se puderem e notem a semelhança). Além disso, para ficar no terreno de comparação da própria série, vale lembrar que a trama da 2ª temporada vendia Daniel Purcell (personagem de William Hurt) como vítima de uma conspiração, mas que no fim fazia parte do esquema. Será que veremos a mesma coisa ou algo parecido nessa temporada final de Damages?

11 comentários

  1. Yavanna

    Na minha opinião o Channing ou o advogado dele é quem mata a Ellen pq ela vai descobrir mais coisas sobre eles e a Patty, como sempre, se safa com alguns arranhões.

  2. Rafael

    Já eu achei a cena do telefone necessária, porque tirar o juiz de cena não era o principal objetivo da Patty (desde quando ela precisou da Ellen para algo do tipo? Ela mesma seria capaz disso), mas sim mostrar quem está no controle, quem está sempre um passo a frente e desestabilizar a Ellen.

  3. Acho que a Patty não ligou apenas para de vangloriar. Ela ligou para elogiar a Ellen, dizer que estava orgulhosa porque a sua ex-pupila não exitou em utilizar meios não corretos para vencer. Acho que o episódio acertou em nos lembrar que Patty ainda é Patty. Ellen tem que tomar muito toddynho para vencer essa disputa. Merecia bem mais que 3 estrelas.

    Obs.: Eu duvido que a Ellen realmente esteja morta.

  4. PNC Séries

    Eu também acho que foi essa a intenção. Eu só espero que a série não fique nessa brincadeira: será que foi? será que não foi?

    Vai cansar rapidinho.

Deixe um comentário