FOTO: REPRODUçãO

Por: Davi Garcia

Breaking Bad: Dead Freight

[com spoilers do episódio 5×05] Se a última e chocante cena deste 5º episódio, “Dead Freight”, servir como indicativo, não é exagero imaginar que Jesse possa revisitar aquele mesmo estado depressivo que acabou dominando-o em parte da quarta temporada de Breaking Bad pouco depois da morte de Gale. Afinal, revelando-se desde os primeiros momentos deste novo arco como alguém bem menos condescendente com a possibilidade de derramar sangue alheio para dar prosseguimento aos negócios – algo que ficou exposto em pelo menos duas situações -, ele agora inevitavelmente sentirá o peso de ter sido o responsável indireto pela morte de uma criança.

E se o nascimento do engenhoso plano do assalto ao trem sugerido por Jesse merece destaque pela forma elegante com que refletiu, sem soar repetitivo, a mesma dinâmica da season premiere (quando Walter discutia com Mike e Jesse acabou tendo o estalo para resolver o problema das fitas de vigilância sem a necessidade de usar um artifício mais violento), também não dá para deixar de falar do que Walter fez para ganhar mais uma vantagem no perigoso jogo que abraçou. Nisso, a sequência em que o vemos visitando Hank em seu novo escritório de chefia no DEA (com direito a lágrimas das mais teatrais), serve não só para reforçar mais uma vez a sociopatia que já tomou conta do personagem, mas principalmente para configurar o cenário que lhe deu a possibilidade de plantar uma escuta no local e se colocar como uma vítima das escolhas de Skyler frente os olhos da família. Sobre isso, aliás, é igualmente assustador ver como a sede pelo poder e a ganância que motiva Walter vão cegando-o a passos largos fazendo com que perca não apenas o amor e companheirismo de Skyler (que abandonou o posto de esposa para assumir a de uma refém/parceira voluntária, como ela mesma coloca em dado momento), além de corroer a última relação efetivamente importante que ainda tenta manter com o filho. Seja lá como for, uma coisa é certa: não há mais volta ou chance de redenção. Walter White está morto e a única personalidade existente nas feições daquele rosto expressivo é mesmo a de Heisenberg. Qual será o próximo passo dessa fascinante jornada descendente?

Loja Ligado em Série + Saraiva | Breaking Bad em DVD.

Comentários Adicionais por Bruno Carvalho e Dierli Santos

É sempre curioso notar o nível de detalhe rotineiramente alcançado por Breaking Bad. Neste incrível episódio, destaco aqui o momento em que Walter tem aquela conversa com Skyler na sala. Note que, após a saída de “Flynn”, o silêncio dominou completamente o ambiente entre as pausas dos diálogos, permitindo que ouvíssemos ao fundo o tique constante do relógio de parede da casa. E assim como ocorreu ao final do episódio passado, essa representação sonora mais uma vez pode denotar que o tempo entre Skyler e Walter está se esgotando, bem como que esta relação deles está prestes a explodir como uma bomba-relógio. Os roteiristas de Breaking Bad, aliás, deram mais um show de construção narrativa, empregando muito bem o recurso de “pista e recompensa” com a introdução do menino no deserto e, adiante, com a cena em que Walter diz para o jovem Todd que “ninguém pode saber daquele furto” – momentos que foram fundamentais para o desfecho chocante que o capítulo teve. (B.C.)

 Às vezes desconfio que quando Vince Gilligan termina de escrever um episódio de Breaking Bad, ele decide “OK, esse ficou ótimo, mas semana que vem farei um melhor ainda”. E realmente consegue. “Dead Freight” reúne aquela tensão já conhecida da série, fazendo a gente torcer durante todo o capítulo, para no final nos lembrar que na verdade eles não são os mocinhos da história. Com mais um grandioso plano, mostrando toda a inteligência do trio, dessa vez o final chocante deve ser responsável por grandes mudanças nos personagens. E fica claro mais uma vez a diferença entre os sócios quando ocorre o tiro e Walter permanece impassível ao ver a cena. E como bem lembrou o Luiz, agora eles não são mais os novatos que possuem os chefões para limpar seus problemas, agora eles é que precisam aprender a lidar com as ações de um novato.

Há um certo medo de que Jesse volte ao mesmo estado que ficou no início da quarta temporada, repleto de culpa pela morte de um inocente. Eu acredito um pouco mais na capacidade do criador de levar a história adiante. Obs: Neste link do tumblr tem uma teoria ótima sobre uma referência no episódio (via @juhsuedde). (D.S)

3 respostas para “Breaking Bad: Dead Freight”

  1. Renan disse:

    Não acredito que Jesse volte para o mesmo estado, é mais provável ele suspeitar do Walter novamente. Pouca gente comentou, mas a Lydia (Laura Fraser) é sensacional, já amei a personagem.

  2. Tiago A. disse:

    Breaking Bad: a unica série atual que é um prazer se cansar de elogiar.

    É preciso ver o episodio duas ou mais vezes para pegar todas as referencias. G-E-N-I-A-L.

  3. Júnior disse:

    Vince Gilligan é genial mesmo. Mas não foi ele que escreveu esse episódio. O escritor e diretor deste ep. foi o George Mastras.

Deixe uma resposta

ss