FOTO: REPRODUçãO

Por: Davi Garcia

Com história insossa, novo episódio de Fringe decepciona

Episódio exibido na sexta-feira foi um dos mais fracos da série

[com spoilers do episódio 5×03] Depois de uma estreia apenas morna seguida por um capítulo excelente que empolgou pelo estudo de personagem bem fundamentado, a decepção de ver o que esse “The Recordist” trouxe (e não trouxe) foi grande. Não tanto pela fragilidade da lógica de vermos pessoas que convivem com uma estranha doença ainda que possuam tecnologia para registrar em cristais cúbicos(!) a história da humanidade pós invasão, e mais pela morosidade com que deu continuidade aos esforços dos protagonistas para derrubar a ditadura dos Observadores. No geral, a verdade é que pouca coisa funcionou nesse episódio que passará longe da minha lista dos mais memoráveis de Fringe. Nesse contexto, quando nem as piadas do Walter nem os conflitos que surgem entre Peter e Olivia dão liga, apostar que os coadjuvantes da vez sustentem a trama sozinhos se torna uma missão quase impossível, principalmente quando estes tem uma relação atropelada e muito mal trabalhada (mesmo que desde o início tenha ficado claro que o pai do garoto que interage com os protagonistas faria algum sacrifício maior a favor deles). Considerando esse quadro, também não dá para negar que a forma pouco instigante como se dá a busca pelas tais peças/fitas que revelarão o plano perdido na mente de Walter contribui para diminuir o impacto narrativo que essa reta final da série deveria ter. Com isso, o que sobrou de positivo deste fraco episódio de Fringe foi só mesmo a sutileza com que ele soube explorar a relação paternal já quase plenamente estabelecida entre Peter e Olivia (sobretudo desta, claro) com a filha Etta nas cenas em que os primeiros sinais de infecção se manifestam e a certeza de que os cristais perdidos naquela floresta representam uma grande ameaça aos Observadores e terão algum papel importante mais a frente. Contudo, a meu ver esses acertos representaram muito pouco para um momento em que a série não pode se dar ao luxo de fazer episódios com cara de fillers. Anger (raiva), o glyphcode da vez, não resume o sentimento deixado por este episódio, mas se a palavra fosse decepção…

 

Nota especulativa: e se o Walter que aparece nas fitas na verdade for o Walternativo? Isso não só explicaria o fato do Walter não conseguir lembrar de absolutamente nada, como também poderia representar a possibilidade de que a ponte entre os dois universos tenha sido reaberta de alguma forma, não?

20 respostas para “Com história insossa, novo episódio de Fringe decepciona”

  1. Gustavo E. disse:

    Dica: Reveja o episódio cuidando cada detalhe. Pq são eles que tornam esse episódio cheio de conteúdo e bem feito.

  2. tocadolobo disse:

    Mas não explicaram muito bem a perda de memória de Walter no season premiere, ao ser interrogado psiquicamente pelo Observador?

    Enfim, é engraçado comparar o review de vocês com o da Camis Barbieri: http://seriemserie.blogspot.com.br/2012/10/fringe-5×03-recordist.html

    Eu concordo mais com o dela, mas alguns pontos citados por você são consistentes.

  3. luisdpaula disse:

    Tbm achei engraçado isso. Li a da Camis primeiro e depois vim aqui. Isso mostra que cada pessoa tem seu ponto de vista.(Mas o meu bate mais com o da Camis nesse caso :P )

  4. teu cu disse:

    suas criticas sao as piores que eu ja vi! escreve mal, nao analisa o episodio na sua totalidade, e ainda parece que voce nao viu direito o episodio, nao gosta de ficção cientifica e muito menos da serie.

    o pior é voce cogitar que aquele seja o Walternativo, se mata ou vai ver gossip girl, na boa

  5. Delta Blame disse:

    Acho extremamente competente as idéias elencadas pelo Davi. E uma coisa muito importante comentada no io9 é que essa caça ao tesouro vai engessar a trama da derradeira temporada de Fringe.
    Aguardemos.

  6. delisa disse:

    Alguém não entende o seriado……

  7. delisa disse:

    Não é engraçado, não. É indicativo de mau humor. Não estou dizendo que o episódio não teve problemas (alta tecnologia e ao mesmo tempo sequer saber qual doença de pele o grupo tinha?), mas o episódio foi misterioso e tenso metade do tempo. Me diverti assistindo e fiquei curiosa com a história. O mais legal foi voltarmos a ter a velha fringe das primeiras temporadas (Walter analisando, criando artefatos, gene, etc). Mas, o autor parece só querer enxergar os defeitos.
    Apesar da camis exaltar demais o seriado, tb concordo mais com ela….

  8. dudenews disse:

    Sim, mas a perda de memória é seletiva, então? Porque não lembrar do plano faz sentido dentro do ocorrido no 5×01, mas o fato do Walter sequer lembrar de ter gravado alguma coisa foi o que me incomodou e daí o ponto que especulei.

  9. dudenews disse:

    Ah, que pena que você acha isso, vivo somente para agradar teu cu.

  10. tocadolobo disse:

    Pelo que entendi o Observador afetou todas as memórias do Walter relacionadas ao plano, e a gravação das fitas era justamente o backup deste, então… De toda forma, sim, essa história das fitas é, de certo modo, um deus ex machina para que a equipe consiga executar o plano.

    2012/10/15 Disqus

  11. maicon disse:

    se ve o nivel do site quando um modera é tão bem educado como o Davi

  12. dudenews disse:

    Você viu o “nome” do troll ali, né?

  13. dudenews disse:

    Pois é, Deus Ex machina era tudo o que a série não precisava a essa altura…

  14. Johny disse:

    ahahahaha bem bolado..

    falando da sua review, sempre leio no site, quase sempre discordo de muitas coisas, mas essa última foi bem coerente, resumiu bem meu sentimento por esse episódio.

  15. delisa disse:

    Não é deus ex machine. Isso ocorre qdo há uma explicação sobrenatural, não prevista na história. não é o caso.
    Walter perdeu diversas memórias, inclusive todo o plano, do qual as fitas fazem parte. É condizente com as premissas da série. Walter já teve perdas de memorias antes, não?

  16. dudenews disse:

    Sim, teve, Delisa, mas o que me incomoda mesmo é que foi uma solução simplista demais essa dele não lembrar nada de nada sobre ter gravado fitas e tal apenas para justificar a caça ao tesouro que aparentemente virou essa busca pelas pistas. =/

  17. Zé das Couves disse:

    Dessa vez eu discordei um pouco, Davi (mas nem de longe tanto quanto alguns por aí… rs). Até achei o episódio razoável. Não gostei mesmo foi do rumo que a série tomou onde – fora os momentos… digamos… emocionais – parece que só sobrou a corrida para achar as fitas e executar o plano que acaba com os carecas… (que, diga-se de passagem, já que parece tão eficaz e já estava pronto, por quê não foi executado antes?). Enfim, acho muito pouco para Fringe. Mas já estou me conformando com isso…

  18. Zé das Couves disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!! Ri bagarái!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

  19. Flávio disse:

    Em nenhum momento do episódio fala que Walter perdeu todas as memórias, senão como ele teria achado o laboratório, aliás por um meio que só ele sabia como chegar, nesse ponto o Davi tem razão, é uma perda seletiva ou não ficou explicado na série, e acredito que os roteiristas não estão muito preocupados com isso, naquele primeiro episódio que mostra ele saindo do ambar assim que ele foi retirado eles curaram a mente dele usando um aparelho, isso inclui toda mente inclusive aquelas partes que Bell tirou a mando do Walter, então antes dele sofrer o scan do Observador todo seu cérebro estava intacto, o tal deus ex machine foi mostrado na série não como uma explicação sobrenatural, e sim como algo que o ser humano ainda não tinha conhecimento de como funcionava, descoberto, estudado… um exemplo disso é a particula de deus como alguns cientistas alardem ao mundo inteiro, essa descoberta prova que poderiam ter descoberto a fonte de tudo que existe no universo, se fossemos colocar em números seria algo em torno de 90% de tudo que existe no universo ou melhor, talvez 1% ou senão 0000,1%, é tudo uma questão de ponto de vista, mas enfim voltando ao episódio em que o matemático acho que professor, utiliza o aparelho que borrifa nos olhos da pessoa para logo depois morrerem, foi explicado por Walter que os 2 composto não se misturavam para gerar aquele resultado, mas foi Walter que disse que não entendia como isso era possivel nem plausivel, dae veio o termo, acredito sim que Fringe passou da hora de ser encerrada, o que vemos agora é só uma tentativa de colocar todo um universo (da série) de 4 temporadas, resumido e mal contado em 12 episódios e pelo que eu já assisti não levo muita fé, principalmente com o que fizeram com a histórioa dos Observadores, infelizmente pra mim era a melhor série que eu vinha acompanhando, triste que tenha este andamento e termine assim.

  20. aaaa disse:

    achei o melhor episódio da temporada, a volta da astrid no laboratório,, pareceu como um episódio de caso… o final foi bem legal tbm me emocionou e o garotinho tava ótimo atuando, me emocionei… foi filler na verdade, mas foi bom…

Deixe uma resposta

ss