FOTO: REPRODUçãO

Por: Redação Ligado em Série

Grey's Anatomy: Beautiful Doom

Depois de um início de temporada irregular, drama surpreende com um bom episódio

[com spoilers do episódio 9×05[ Grey’s Anatomy sobreviveria sem dramas? Esse é um questionamento recorrente desde que o criticado final da temporada passada foi exibido. A série da Shonda Rhimes, que já utilizou catástrofes em episódios excelentes, parece estar errando mais na execução do que na idéia.  Os dramas dos personagens sempre foram o foco da história, que possibilitavam as metáforas com as doenças dos pacientes e a narração filosófica. A diferença é que agora essas transformações são permanentes na trama e os primeiros episódios pós-acidente não conseguiram trabalhar isso. Prova disso é que Beautiful Doom, o melhor episódio da temporada até agora, teve morte e tudo o que Grey’s Anatomy consegue fazer bem.

Confesso que foi um alívio perceber que a série ainda conseguia emocionar. Além disso, o desenvolvimento da história de Cristina também foi interessante se lembrarmos que até poucos episódios atrás ela não queria trabalhar com o Dr. Thomas. Mas a relação entre os dois ficou tão legal que obviamente Shonda Rhimes iria fazer algo do tipo. Relevando o instinto assassino da showrunner, a morte do médico ainda é o motivo mais plausível para que Yang enfim conseguisse pegar o avião e visitar a amiga – algo que nem a  despedida de Mark conseguiu fazer.

 Também cogito que uma das possíveis causas da melhoria do episódio tenha sido o esquecimento da trama de Arizona. Esse é um dos exemplos de mudança na vida do personagem que vai afetar durante muito tempo a série. O que incomoda nesse caso é que cria uma trama praticamente monotemática, restringindo outras histórias interessantes e diferentes. Lembrando que algo parecido ocorreu com a gravidez de Callie, onde Arizona e Sloan ficaram uma temporada inteira apenas resolvendo essa situação.

Mais um fator positivo nessa semana foi Bailey. A médica enfim teve alguma cena que não causou vergonha alheia – algo que ainda não havia acontecido nessa temporada. É triste lembrar como a personagem deixou de ser a Nazi para se transformar em uma completa bocó. Enquanto ela se preocupa com seu apelido ou com a limpeza do microondas, Callie rouba a cena. Mesmo com todas as suas perdas pessoais, continua orientando os outros médicos, aconselhando e realmente tendo uma função no Seattle Grace Mercy West. Outra surpresa é Meredith, cada vez se mostrando uma médica mais competente, mesmo lidando com as dificuldades simples do dia-a-dia, como se distanciar da sua filha e não ter uma babá. É esse tipo de drama que a série precisa.

 Outras considerações:

 – Derek precisa ganhar uma história interessante, algum desenvolvimento em sua situação. Ou seria uma preparação para ele sair da série?

 – Vendo Owen cuidar com tanto carinho de Zola fica claro o motivo de sua relação com Yang ter tido um fim. É impossível não perceber como isso é algo importante para ele.

 – Sinto saudade de ver os personagens lidando com dramas reais, como ocorreu na temporada passada, com as provas e as decisões sobre o futuro profissional.

3 respostas para “Grey's Anatomy: Beautiful Doom”

  1. Claudia disse:

    Eu gostei do final da temporada passada !

  2. Peguei o spoiler sem querer… estava certo que o post era sobre o episódio 9×03 que assisti pela Sony, no qual o Dr. Thomas termina o episódio bem vivo tomando umas no bar com a Cristina (reconheci a cena na foto do texto, quando ele mostra o relógio que ganhou como presente de aposentadoria). Aí fui ler… spoilers! :-P

  3. Desculpe, Adriano. Nós sempre colocamos o número do episódio antes, eu havia me esquecido mas agora já atualizei.

Deixe uma resposta

ss