FOTO: REPRODUçãO

Por: Davi Garcia

A decepcionante estreia de Marcelo Adnet na fraca O Dentista Mascarado

Nova série de comédia da Globo tem texto ruim recheado de piadas velhas e sem graça

Marcelo Adnet Dentista MascaradoEu gosto do Marcelo Adnet (quem não gosta?), mas de uns tempos para cá comecei a temer que sua promissora carreira entre em declínio graças às escolhas equivocadas que ele tem feito (vide o terrível As Aventuras de Agamenon, o Repórter, por exemplo). Não, não acho que a ida do Adnet para a Globo seja um problema por si só (afinal, na maior emissora do país, seu talento pode ter toda exposição que merece e jamais teve na tv fechada), mas entre isso e achar graça de qualquer coisa que ele possa fazer existe uma grande distância. E é nesse contexto que se encaixa O Dentista Mascarado, “comédia” que a Globo passou a exibir na última sexta-feira, 5 de abril, como veículo para Adnet que, na estreia, contudo, não chegou a ser nem sombra daquele sujeito irreverente e divertido dos tempos de improviso na MTV.

Criada e escrita pela dupla Fernanda Young e Alexandre Machado (cada vez mais dispostos a provar que Os Normais foi apenas um feliz acidente de percurso em suas carreiras), a comédia – que parece querer abraçar um tom cartunesco -, usa e abusa de personagens caricatos e piadas velhas de duplo sentido para contar a história do Dr. Adalberto Paladino (Adnet), um ingênuo e atrapalhado dentista que convive com a indiferença do pai (um ex-policial feito por Otávio Augusto que não aceita a carreira do filho) e que se transforma num improvável “Paladino” da justiça combatendo crimes ao lado do protético Sérgio (Leandro Hassum que aparentemente só sabe fazer um tipo de personagem) e da golpista Sheila (Taís Araújo). A premissa, que nem chegaria a ser de toda ruim dada a variedade de situações engraçadas que poderia render nas mãos de roteiristas menos óbvios, no entanto revela uma comédia com direção pobre e repleta de cenas constrangedoras como essa que simplesmente não fazem rir colocando Adnet preso a um texto fraco e que nem de longe faz jus a tudo aquilo que ele já mostrou que sabe fazer.

O humorista, aliás, infelizmente parece disposto a defender o status quo da TV aberta e se enganar ao dizer, em entrevista para a Folha, que não dá importância para as críticas que irá receber: “A galera da zona sul, rica, classe A, que vê série americana e baixa filmes na internet, vai falar mal, porque jamais pode confessar que vê TV aberta e gosta de um seriado brasileiro.” Não Adnet, ninguém vai falar mal só porque vê séries americanas (que rótulo babaca, hein?), mas sim porque O Dentista Mascarado é terrivelmente ruim e sem graça. Uma verdade que gás hilariante nenhum (seja na zona sul ou em qualquer outra) pode mudar.

1star

Deixe uma resposta

ss