FOTO: REPRODUçãO

Por: André Costa

Brooklyn Nine-Nine melhora no season finale e sai por cima

charges and specs brooklynFOTO: FOX

[com spoilers do episódio 1×22] Um dos grandes problemas de Brooklyn Nine-Nine era a previsibilidade dos desfechos das tramas, que podiam ser vistos a olho nu da Lua. Pois Charges and Specs, episódio que fecha esta primeira temporada, se safou disso e criou uma trama interessante, frequentemente pontuada por cenas engraçadas e que consegue manipular as situações para manter o espectador envolvido. Há um pouco de exagero aqui e ali, mas não chega a atrapalhar o dinamismo do episódio nem o fato de que, com tantos altos e baixos, essa reta final da temporada parece ter sido escrita em uma gangorra.

Um dos grandes acertos foi fazer Boyle terminar o noivado com a Vivian, já que isso prendia uma ótima personagem a uma série interminável de piadas relacionando sexo e comidas – e, longe da perversão nutricional, Boyle volta a funcionar comicamente graças à sua inacreditável combinação de dramaticidade e trabalhadas (a cena envolvendo Rosa e um tonel pegando fogo é das melhores do episódio). Charges and Specs também tira a cartinha “sorte” do Banco Imobiliário ao envolver toda a equipe na mesma trama: além do senso de urgência que isso transmite, abre espaço para interações mais intensas e divertidas conforme o prazo final se aproxima (o flashback do capitão Holt, Amy desafiando o capitão, Boyle deitado no chão, Terry com uma japonesa, entre outros).

A estrutura não-linear também é usada com inteligência, já que desperta a curiosidade no espectador no início para construir o significado da cena ao longo do episódio e, ao final, resgatar ela com sucesso e um desfecho espertinho. Da mesma forma, é legal notar o cuidado com as personagens, já que a a própria “declaração” de Jake se recusa a vestir qualquer romantismo, ficando em um “eu meio que queria que rolasse algo entre nós” que é fiel à imaturidade quase patológica do sujeito – e também é interessante notar como os aspectos surpreendentes da personalidade do capitão Holt surgem quando ele confia e apoia a decisão de Jake, como se, ao confiarem um no outro, ambos se tornassem um pouco mais parecidos (claro, há o elemento do humor ali, mas essa leitura é bastante sustentada pelo episódio).

Charges and Specs ainda arranja tempo para brincar de forma criativa com as convenções do gênero (a cena em câmera lenta na loja de roupas), o que é sempre divertido quando bem feito. Pena que em alguns momentos exagera na dose, forçando a piada e atirando o timing cômico para aquele mesmo limbo onde as canetas vão quando caem no chão – como no momento em que Boyle tenta quebrar um prato ou quando Jake devolve a arma e o distintivo. É quando nos lembramos que alguns episódios recentes de Brooklyn Nine-Nine poderiam muito bem ser proibidos pela convenção de Genebra. Ainda assim, o resultado final é bastante positivo, encerrando a primeira temporada da série com diversão, estilo, humor afiado e fugindo das piadas óbvias. Como a segunda temporada já foi confirmada, agora é esperar para ver se esses policiais ensandecidos e desprovidos de bom senso conseguem fazer um trabalho do mesmo  calibre.

4star

Deixe uma resposta

ss