FOTO: REPRODUçãO

Por: André Costa

Basic Story (Part 1) prepara bem o season finale de Community

Community - Season 5

[com spoilers do episódio 5×12] Tipo de coisa que só Community faz: chegar no penúltimo episódio da temporada com tudo resolvido (o próprio quadro no fundo da sala de estudos remete a um monitor cardíaco que passou por grandes emoções), sem estar naquele ponto do arco narrativo onde a bomba vai explodir e alguém tem que decidir se corta o fio azul ou o fio vermelho e um casal está quase se beijando e por aí vai. Claro, isso apenas no início – eventualmente surge alguma situação caótica e insana que precisa ser solucionada, mas, até lá, o humor com que a série trata a “falta de história” é uma atração à parte (e confere mais intensidade à trama depois que as coisas começam a acontecer).

Boa parte disso se deve ao comportamento de Abed, que entra em faniquitos com a questão da história não ter história e é seguido por uma câmera que chacoalha de leve, extraindo humor justamente desse contraste entre a mise-en-scène tranquila e a abordagem visual intensa (como a trilha de tensão no momento em que alguém toma sopa ou a quietude na sala dos professores). A própria personagem dá tapinhas provocadores na cara das convenções do gênero ao discutir consigo mesma em frases tipo “a história se alimenta de conflitos. Se eu parar de resistir, deixa de ser uma história“, além de concluir que, para se adaptar a um mundo sem histórias, é necessário literalmente fugir das câmeras – uma forma brilhante de abordar o conflito de uma alguém que vive através de filmes e séries, ou seja, para essa pessoa uma história está necessariamente ligada a uma câmera (além disso, sugere que Abed tem uma percebção maior das coisas, o que é reforçado por uma leve aparição sua barbudo, naquele hype meio Deus, assim. Vamos acompanhar).

Do outro lado, a “chatice” de terem arrumado todos os problemas de Greendale é paradoxalmente representada através de situações divertidas que frustram a expectativa do público (o anel de noivado encontrado não é de nenhum romance, as baratas já foram mortas pela comida do refeitório) e/ou exageram nas características (o sensacional discurso inicial de Ronald Mohammed ou a cena da máquina de vendas). Os tradicionais diálogos inspirados  (“eu amo uísque e a mim mesmo“, “a coisa mais chata desde que Troy e Britta namoraram“)  surgem em quantidade suficiente para o espectador levantar os braços e gritar “é isso aí!”, intercalados com momentos épicos do reitor (a cena em que está chorando só de cueca) ou do professor Duncan (“o motivo de eu ter 48 seguidores no Twitter é porque não exploro eles” e a cena final). Já a transformação na universidade do sanduíche é engraçada por si só, ganhando em humor pela seriedade com que é tratada e alguns insights inesperados (“a maioria dos alunos de vocês acaba trabalhando para nós, mesmo“).

Community - Season 5

E já que falamos em paradoxos, Basic Story (Part 1) é cheio deles: salvar Greendale é o que condena Greendale, a história não é uma história, uma não-história é uma história, Abed está certo e errado, e por aí vai. É quase como se a universidade não pudesse existir uma vez “arrumada”, como se a sua existência estivesse ligada ao fato de sr um lugar errante para pessoas errantes. Além disso, brinca com a ideia de que o final feliz é o fim, que acabaram as histórias e o que se segue não vale a pena ser “filmado” (afinal, é comum os filmes terminarem com o final feliz), já que, como o próprio Abed falou, “levantar da cama é uma história” e talvez haja mais a ser contado.

Porém, um dos pontos altos do episódio é perceber como o grupo de estudos faz para não deixar a ideia de Greendale morrer – Jeff e Britta aceitam se casar para manter vivo aquele sentimento que deu início à turma, Annie cria o #SaveGreendale e Abed sugere que encontrem um mapa do tesouro. Uma forma de mostrar o quanto essas pessoas se importam sem apelar para diálogos piegas ou pausas dramáticas, preferindo, ao invés, reforçar as personalidades e a conexão deles uns com os outros. Assim, temos Greendale com a faca no pescoço, Jeff e Britta quase assumindo um compromisso e Abed, Annie e o Dean Pelton em completo frenesi dançante por terem encontrado o mapa que pode salvar a universidade. Um episódio que começa sem nada de conflito e descamba para um caos completo? Classic Community.

5star

Deixe uma resposta

ss