Netflix considera produzir vídeos na vertical, afirma presidente da empresa
Netflix considera produzir vídeos na vertical, afirma presidente da empresa

Netflix considera produzir vídeos na vertical, afirma presidente da empresa

Reed Hastings, co-fundador e presidente executivo da Netflix, esteve hoje na Mobile World Conference em Barcelona e deu uma interessante palestra, onde ele dividiu com os presentes diversas ideias e atualizações sobre as operações da gigante do streaming no mundo. Vamos às principais delas:

Vídeos na Vertical

Segundo Hastings, a Netflix é uma empresa dinâmica e que não possui qualquer limitação sobre formatos de vídeo. Primeiramente, ele comentou que trazer a funcionalidade de download para dispositivos móveis e até cartões de memória é só o começo.

Hastings disse que a Netflix faz experimentações com todo o tipo de formato e que a empresa precisa estar antenada com tudo que está acontecendo, inclusive vídeos na vertical, formato que se tornou popular com aplicativos como Snapchat e depois copiados por Instagram, Facebook e WhatsApp nas funções StoriesStatus. “Precisamos estar adaptados a todos os tipos de tela”, afirmou o executivo.

O Domínio de Vídeos Online

Reed aproveitou a conferência para dar uma polêmica declaração: para ele, em 20 anos 90% de todo o conteúdo em vídeo no mundo estará disponível na Internet e não mais na TV tradicional. “A internet é uma ferramenta muito importante para a distribuição de conteúdo em vídeo”, disse.

Para o executivo, haverá uma constante e crescente transição do conteúdo em vídeo da TV para a Internet, seja através da própria Netflix – que cada vez produz mais conteúdo original – seja através de outros players de streaming. Ele aposta que muito em breve todos os canais terão suas próprias plataformas de vídeo, como acontece com a HBO e, recentemente, com a recém-lançada CBS All Access.

100 Milhões de Assinantes

A gigante do streaming está prestes a ficar maior ainda. Em muito em breve a empresa atingirá a importante marca de 100 milhões de assinantes no mundo todo. “Hoje registramos pouco mais de 90”. O aumento, curiosamente, está em países em desenvolvimento. Os maiores crescimentos estão registrados nos continentes Asiático, Africano e no Oriente Médio.

Conforme ressaltado no upfront este mês em Nova York, a produção de conteúdo localizado é um dos principais responsáveis pelo crescimento da plataforma.

Diminuindo o Gargalo

Por ser uma empresa Over the Top, ou seja, que trabalha em cima da tecnologia de outras empresas – como provedores de Internet e telefonia móvel – a Netflix tem o desafio de trazer cada vez mais inovações na área de compressão de formatos de vídeo (quem sabe o pessoal da Pied Piper poderia ajudar, né?).

Ele desviou de críticas e polêmicas no painel, afirmando que a empresa constantemente busca novas tecnologias e meios para diminuir o gargalo do streaming e sobrecarregar cada vez menos a infraestrutura de terceiros. De fato, só no Brasil a empresa vem há anos instalando servidores localizados para diminuir a quantidade de dados circulando por longas distâncias, o que é bom tanto para consumidores quanto para operadores.

Questionado se a Netflix está fazendo com que pessoas abandonem seus pacotes de TV, Hastings utiliza dados dos EUA para afirmar que o número de assinaturas tradicionais se manteve. Porém, sabemos que no Brasil a quantidade de assinantes de TV a cabo ou por satélite vem diminuindo consideravelmente.

Investimento em Originals

Em 2017 a Netflix planeja investir mais de 6 bilhões de dólares, apenas em produção e licenciamento de conteúdo original. A meta da empresa é ter 50% de conteúdo original muito em breve.

3 comentários

  1. theTaripy

    Fala sério… vídeo na vertical é uma m***! Espero que isso fique apenas em vídeos amadores de redes sociais fúteis com as citadas no texto ¬¬

  2. Bruno Sousa

    Deveria ser PROIBIDO gravar vídeo na vertical, com a câmera traseira. Foto até que vai, mas vídeo não.

    Vídeo vertical só na câmera frontal. Ponto.

Deixe um comentário