Globo erra e 2ª fase do The Voice Brasil não empolga

Com mudanças equivocadas no formato, batalhas perdem dinâmica

Quando a Globo estreou a versão brasileira do The Voice há pouco mais de um mês, elogiei a iniciativa falando que mesmo não sendo perfeito, o grande acerto do programa na ocasião era o de ter se mantido fiel ao formato original. Depois disso, tivemos mais três domingos de audições às cegas com algumas boas vozes novas surgindo (e outras nem tanto), mas pouco feedback efetivamente construtivo por parte dos 4 técnicos tanto para os aprovados quanto para os eliminados.

Com poucos erros, The Voice Brasil tem boa estreia

Versão nacional do reality musical da NBC estreou neste domingo na Globo

Não foi excelente, mas para uma estreia, o The Voice Brasil até que foi bem ao seguir quase que à risca a estrutura do original nessa primeira fase das chamadas audições cegas. Dessa forma, Tiago Leifert, que geralmente irrita pelo excesso de piadas sem graça durante suas participações esportivas, surgiu bem mais contido procurando o tom mais low profile que o próprio Carlson Daily, apresentador do programa americano, sustenta durante suas intervenções. Fora isso, é verdade que Claudia Leitte e Carlinhos Brown