FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Crítica | Orange is the New Black • 3ª temporada

oitnb

[contém leves spoilers] Estamos de volta à penitenciária de Litchfield! A terceira temporada de Orange is the New Black estreia nesta sexta 12 e o Ligado em Série assistiu aos primeiros seis episódios a convite da Netflix, em preparação para a entrevista exclusiva que faremos com Uzo Aduba, Samira Wiley e Natasha Lyonne (em breve o vídeo no ar)!

No novo ano aparentemente pouco tempo se passou após os eventos da segunda temporada e o ocorrido com Vee. É dia das mães e as detentas se preparam para receber seus filhos e pais em uma festa organizada pela prisão. Esse é um ótimo ponto de partida para a série fazer o que faz melhor: desenvolver suas interessantes, carismáticas e complexas personagens. Neste ponto a trama de Piper Chapman (Taylor Schiling), que deu início à narrativa na primeira temporada, já está num estágio em que é dividida com as demais e (ainda bem) não está mais em primeiro plano.

OITNBS3_31OCT14_WHILDEN_0451.NEF

Chapman claramente deixa de ser a protagonista, pois os dramas pessoais de praticamente todas as detenta são bem mais interessantes que o dela (razão pela qual, provavelmente, abandonaram Larry). E embora Alex Vause (Laura Prepon) esteja de volta, o foco é compartilhado e descobrimos até mesmo as backstories de personagens bem secundárias (como a de Chang, que se revela uma das mais sombrias).

OITNBS3_11JUNE14_WHILDEN_D0075.NEF

Outro bom destaque é a vocalização de certos temas polêmicos ou delicados que o texto de Jenji Kohan faz primordialmente através de Big Boo (Lea DeLaria). Liberal, a autora não mede palavras para expor a sua posição acerca da legalização do aborto (a cena com Dogget e o “memorial de fetos” é impactante), drogas e, especialmente, preconceito e homofobia. Aliás, neste ponto a temática de Orange is the New Black casa muito com a de Sense8, pregando direitos igualitários e o fim da intolerância neste mundo moderno que ironicamente produz figuras repugnantes e conservadoras.

OITNBS3_14JULY14_WHILDEN_D0373.NEF

Isso tudo acontece entre os sempre adequados flashbacks, que servem para comentar e acrescentar profundidade às tramas, e a ameaça de fechamento da prisão pela perda de seu financiamento sob a gestão de Joe Caputo (Nick Sandow). E fato é que a notícia do fechamento de Litchfield (vejam só: uma prisão com criminosas) traz um aperto no peito, pois pode significar invariavelmente que não veremos aquele grupo junto. Isso denota claramente a força deste micro universo criado por Kohan, já que ela nos faz torcer para que isso não aconteça de forma alguma.

OITNBS3_14AUG14_WHILDEN_D0403.NEF

Repleta de momentos divertidos (como a infestação de percevejos, o retorno de Red à cozinha botando pra quebrar) e tocantes (o drama vivido por Dayanara e Bennet, assim como o da perturbada Suzanne pela perda de Vee), Orange is the New Black retorna em ótima forma, provando ser capaz de se reinventar sem jamais perder o frescor de sua excelente temporada de estreia. E embora não seja uma série que traz atrativos técnicos (a fotografia é mecânica, o design de produção pouco inventivo e a direção é apenas razoável), Orange compensa e muito em sua deliciosa narrativa, seu rico roteiro e as belas interpretações.

4star

A crítica será atualizada após assistirmos à segunda metade da temporada.


Assista à nossa entrevista com o elenco de Orange is the New Black sobre a terceira temporada!

[youtube video=https://www.youtube.com/watch?v=gyZ93ozlrHk]

3 respostas para “Crítica | Orange is the New Black • 3ª temporada”

  1. Elaine Pessanha disse:

    Que final emocionante!!! Chorei muito. Vários ganchos para a próxima temporada.

  2. Serena disse:

    Que entrevista maravilhosa! Que matéria maravilhosa, primeira vez que eu visito o site e é sensacional, não vejo a hora de vocês atualizarem a critica!

  3. Nathalia Cunha disse:

    Gente, cadê a crítica da segunda parte? Já faz quase um mês que essa foi para o ar :(

    Sei o trabalho que dá manter um site desse tamanho e sou leitora assídua de vocês, por isso, vou fazer essa crítica torcendo que não levem a mal, é muito mais construtiva que outra coisa. Não sei o que acontece e nem se vocês mantêm só esse portal ou têm outros trabalhos e etc, mas muitas vezes me sinto desamparada como leitora. Vocês começam a fazer crítica por episódio e desistem, não dão uma satisfação. Fazem metade de uma crítica da temporada (o que é bem inteligente porque faz a pessoa ter vontade de voltar. Eu, por exemplo, já voltei 3x) e não completam. Exceto com Game of Thrones, que foram bem assíduos, as outras que eu acompanho não ganham a mesma atenção. É muito legal ter um site só de seriados, principalmente um que é inteligente e bem feito, não sei se falta esse feedback para vocês continuarem com mais vontade ou só se eu tô sendo reclamona, haha.

    Mas é isso aí.
    Quero que vocês melhorem e cresçam cada vez mais.
    Ah, e se quiserem aumentar a equipe, estamos aí! hahaha

Deixe uma resposta

ss