FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Fringe: Brown Betty e Northwest Passage

Fringe (2×20: Brown Betty; 2×21: Northwest Passage): Sou fã da liberdade poética e criativa de Fringe desde o piloto, mas preciso admitir que Brown Betty foi o episódio errado na hora errada. Ora, a série passou toda a 2ª temporada estabelecendo o incondicional amor paterno de Walter com Peter e não era necessário interromper o excelente ritmo que estava sendo adotado para restabelecer isso de forma lúdica com os devaneios do cientista drogado. Apesar de impecável a direção de arte e a criação de um clima “noir-tech”, toda esta estrutura me soou desperdiçada na trama, sem contar nos rápidos números musicais (inseridos de última hora a pedido do canal FOX para promover a série Glee) que trouxeram os atores, em especial Anna Torv, desconfortáveis em cena. Enfim, a temporada poderia ter seguido muito bem sem este episódio, assim como aconteceu com aquele que foi resgatado da primeira temporada (Unearthed) e que no fim das contas também não acrescentou nada e confundiu os espectadores por apresentar Charlie ainda vivo. Felizmente em Northwest Passage o drama retornou em um de seus melhores momentos, com um capítulo extremamente tenso e lotado de mistérios. Acompanhando os passos de Peter depois que este decidiu fugir do pai “daqui”, a narrativa adotou um tom meticuloso a cada cena, conduzindo-nos para um dos pontos mais cruciais da temporada através da caçada de Newton e seus shapeshifters: a revelação do “homem do outro lado”, que é mesmo Walternate.

E somente com aqueles instantes finais uma imensidão de fatos, informações e enigmas sobre o universo de Fringe vêm à tona. Se o Walter Bishop que nós conhecemos fora capaz de quebrar a barreira do impossível para salvar a vida de seu filho, era de se esperar que Walternate faria o mesmo para resgatá-lo, depois de juntadas as peças. O padrão, então, foi manifestado e movimentado por duas versões de uma mente brilhante, sob os sempre curiosos olhares dos guardiões dos universos, os Observadores. Vale abrir um espaço aqui para ressaltar a magnífica performance de Joshua Jackson, que interpreta Peter agora com uma imponente presença em tela a cada cena. A dinâmica dele com a xerife da cidadezinha foi invejável. Ainda faltam muitos mistérios para serem respondidos, mas agora sabemos que a tão aguardada “guerra” entre os dois mundos têm seus comandantes que estão dispostos a ir até o fim e o season finale começa a tomar forma com ar de grandiosidade. Pra qual lado vocês vão torcer?

2 respostas para “Fringe: Brown Betty e Northwest Passage”

  1. emiliebunny disse:

    synthroid pills wte tramadol 1587

  2. Dash disse:

    cialis cdefx insurance auto auctions 8-((( new york car insurance 33274 online cialis 17688

Deixe uma resposta

ss