FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Teoria Geral de Community

Um egocêntrico advogado é obrigado a voltar à faculdade e, para conseguir sair com uma garota, ele acaba criando um grupo de estudos composto por pessoas com as mais diferentes personalidades. Até então normal; mais uma sitcom envolvendo um grupo de pessoas que irão superar suas diferenças e se tornar uma família, passando por várias situações engraçadas, não é? Não. Community não é apenas mais uma série de comédia. Community é uma experiência, algo diferente de qualquer coisa atualmente na televisão. Isso tudo devido ao seu roteiro, ou melhor, ao seu estilo de roteiro: os episódios podem variar abordando um clima pós apocalíptico em uma guerra de paintball, Charlie Kaufman e toda sua metalinguagem, um mundo inteiro em stop motion, uma viagem espacial dentro de um velho trailer, uma festa de Halloween interrompida por um ataque zumbi e por aí vai. E mesmo capítulos que não possuem uma temática excêntrica, continuam recheados de referências pop culturais e paródias/homenagens a filmes e séries.

Tudo isso ambientado em uma faculdade comunitária completamente nonsense e escrito com competência e propriedade. A série foi criada em 2009 por Dan Harmon, baseada na sua própria vida enquanto estudava na faculdade comunitária Glendale. Ele é o co-criador do seriado “The Sarah Silverman Program”, protagonizado pela comediante politicamente incorreta do título. Ele também trabalhou em vários outros projetos, envolvendo atores como Jack Black, Drew Carey e Owen Wilson. Uma das características de seus projetos é a inserção de diferentes mídias digitais para promover e diversificar o programa, e Community não fica de fora. É possível encontrar websódios, assim como o próprio site da faculdade Greendale vista na série, com lugar até para inscrições ao jornal do campus. Como muitas outras séries e filmes injustiçados, Community ainda não foi indicado aos Emmys e Golden Globes da vida, mesmo adotando com facilidade o posto de melhor comédia da atualidade. Abraçada por toda a crítica, o número de fãs continua crescendo e a audiência permanece boa, fazendo com que a 3ª temporada já esteja confirmada. A 1ª temporada da série já foi lançada em DVD no Brasil e o 2º ano está sendo exibido (tarde da noite) no canal Sony.

7 respostas para “Teoria Geral de Community”

  1. Queison disse:

    a série é realmente excelente! Diria até, viciante!

  2. Parabéns Bruno. Consiso e umamótima oportunidade para angariar novos fãs para a série, que amo de paixão.

  3. Dricailva disse:

    Ótimo texto! Comecei a assistir há cerca de 1 mês e já estou viciada na série. Os episódios são sempre muito criativos e os personagens fogem dos clichês das comédias de sempre. É pena mesmo não ter recebido prêmios, mas a audiência prova a qualidade. Sempre faço propaganda da série pra todos que conheço!

  4. Bruno Carvalho disse:

    Texto da Camila Picheth! Parabéns a ela!

  5. Eduardo Muniz disse:

    Ontem quando eu tava indo dormi vi que tava dando Community na Sony. Deixei de dormi só pra ve o episódio que eu ja tinha assistido.

    Community é viciante demais. Muito foda

    Ótimo, ótimo, ótimo texto.

  6. Tany M disse:

    Uma das minhas séries preferidas ultimamente.

  7. Eve disse:

    Top 3:

    1. 30 Rock
    2. Parks and Recreation
    3. Community

    E, sim, eu ainda boto 30 Rock em primeiro. :p

Deixe uma resposta

ss