Um Cão Chamado Wilfred
Um Cão Chamado Wilfred

Um Cão Chamado Wilfred

Ryan (Elijah Wood) é um sujeito com problemas. Muitos problemas. Sua namorada o abandonou, ele largou o emprego, passou a consumir maconha em excesso e fracassou, inclusive, na tentativa de tirar sua própria vida. Desde então ele começou a enxergar o cachorro da vizinha como um sujeito numa fantasia canina e que virou uma companhia, digamos, inusitada. Wilfred conversa, anda e age como um ser humano, embora para todo mundo seja um lindo e adorável cãozinho. Eu não assisti à versão original de Wilfred exibida na Austrália (e com o mesmo ator na pele de Wilfred, o talentoso Jason Gann), então só me resta divagar sobre os motivos que levaram Ryan a ver o animal desta forma.

Esquizofrênico? Drogado? Depressivo? Talvez tudo isso junto. Talvez não. Interpreto que Wilfred personifica a tendência auto destrutiva de Ryan, um sucedido advogado que, aparentemente atormentado pelas múltiplas decepções da vida, resolveu largar tudo e todos. Esta produção carregada de humor negro é claramente mais do que uma comédia sobre um homem e seu companheiro vestido de cachorro. Wilfred parece sabotar Ryan em seus relacionamentos, a busca de um novo emprego e constantemente arruma uma forma nada agradável de prejudicar seu fiel amigo.

E após avançarmos 11 episódios nesta interessante 1ª temporada, ficou claro que nem todas as atitudes do “amigo-cão” são cometidas por ele. Wilfred provavelmente não fala ao telefone, fuma maconha ou é extremamente ofensivo com terceiros. Existe o Wilfred que se empolga ao matar uma cegonha em plena praia, que encoxa o ursinho de pelúcia e morre de medo de ir ao veterinário e existe o Wilfred na cabeça de Ryan, que está sempre ali quando ele menos precisa e que faz Ryan fazer tudo aquilo para prejudicar a si mesmo. Um Tyler Durden canino, praticamente. Embora às vezes inconstante, a série possui momentos e diálogos geniais, a maioria envolvendo a interpretação do mundo através da lógica de um cachorro, projetada por Ryan: “son of a bitch? How’s that an insult”, exclama em determinado momento (várias outras citações hilárias aqui).

No mais recente episódio exibido, Doubt, as coisas começaram a ficar mais curiosas, com a introdução de um suposto ex-dono de Wilfred (provavelmente tão imaginário quanto o próprio) cuja vida fora arruinada por ele. Coincidentemente, ele apareceu justamente quando Ryan passou alguns dias sem fumar. Seria a abstinência? A razão retomando em sua consciência através deste sujeito que queria alertá-lo?Penso que sim. Wilfred não é uma série óbvia e seu humor não é facilmente digerível, mas é certamente uma comédia única e peculiar, capaz de gerar diversas interpretações sobre quem e o quê é Wilfred.

E aí, como vocêWilfred?

24 comentários

  1. @RafaelBatalha

    Adorei Wilfred assim que vi a promo…

    esse tipo de humor sempre me interessou..
    não filosófo muito sobre a série.. só curto ver um cara vestido de cachorro e de nariz pintado andando pra la e pra ca e fumando maconha!

    kkk.

  2. @fernandoironic

    Uma das coisas que eu mais gosto são as frases no começo do episódio, elas te preparam pra todo o tema a ser discutido. O episódio “Isolation” foi um dos que mais gostei da maneira como a frase no início definiu muito bem todo o andar do episódio. O Wilfred me irrita e MUITO, mas me divirto demais com a série, e me identifico muito com o Ryan também, nessa fase meio “perdida” do que fazer com a vida e tal.

  3. Rodrigo Otávio

    Fui lendo e concordando com cada palavra. Você conseguiu descrevê-lo do mesmo jeito que eu o vejo, mas que não conseguia expôr tão bem.

  4. Ótimo texto, fez eu pensa em várias coisas que havia deixado passa em branco depois de ve um episódio.
    Mal passo pela minha cabeça a idéia de que o Wilfred seria uma outra personalidade do Ryan (péssima interpretação minha)
    Eu amei a série, desde a segunda semana sinto abstinência ao fim de cada episódio.
    “Tyler Durden canino” mto mto mto bom

  5. Fernando Maia

    A serie parece ser boa embora não seja de todo novidade.
    Quem teve infância entre os anos 80~90 deve se lembrar de uma série chamada Unhappily Ever After ou Infelizes para Sempre, em que o protagonista Jack que é infeliz com o casamento, trabalho e filhos começa a trocar diálogos com um bicho de pelúcia abandonado no sótão que acaba sendo seu alter ego.

  6. Rodolfo

    Estou acompanhando a série e estou achando ótima.
    Tive uma interpretação um pouco diferente, vejo o Wilfred como o subconsciente do Ryan, as vezes como um psicólogo que faz ele descobrir as causas de sua “depressão” (frustração e tentativa de suicídio) a partir da simplicidade do mundo visto por um cachorro. Isso fica claro já no primeiro episódio quando o Wilfred convence o Ryan a roubar a maconha, cagar nas botas do vizinho e arremessar a bolinha de tênis: “good boy, welcome to a new life”. Por que ele estava tão “travado” em fazer algo tão simples como arremessar aquela bolinha?

  7. Vejo Wilfred como uma boa ideia desperdiçada num texto bobo e óbvio.

    Acabo de assistir a estreia da série na FX e não curti. Fui atraído por uma ideia maravilhosa e instigante, que daria uma comédia imperdível no tom certo. Mas os atores parecem levar tudo a sério demais, como se estivessem num drama. E o cachorro não tem carisma algum. Não curti!

  8. gabrielb

    Wilfred nao eh o tipo de serie facil de se gostar, exige interpretacoes, e deixa o expectador livre para entender tudo do seu proprio modo( claro que com um limite haha) mais se vc gosta de novela, e esta acustumado a assistir programas com conteudo mastigado eu te dou uma dica nem comece assistir pois talvez sua expectativa em relacao a serie ira te frustrar.

  9. Pedro Coutelle

    Eu e mais dois amigos fumamos uma maconha e fomos correndo assistir o Wilfred que é uma série fantastica com um ótimo humor negro. Para quem está chapado se torna mais interessante e empolgante ainda.

  10. Janna

    Wilfred é a melhor série que acompanhei desde a estréia de tantas porcarias e que ainda estão no ar…….
    Cada um que interprete como quiser….eu acho o máximo……
    Quero um cãozinho desses p mim…..!!!kkkkk

  11. Janna

    Janna :
    Wilfred é a melhor série que acompanhei desde a estréia de tantas porcarias e que ainda estão no ar…….
    Cada um que interprete como quiser….eu acho o máximo……

  12. simon

    e o que nao e droga neste mudo ?
    cigarro é droga.
    alcool é droga
    remedios sao drogas
    ser pobre e uma droga
    ser burro é uma droga
    sem droga a vida e uma droga

    que droga!!!!!

  13. DINEY COSTA

    Você foi pelo caminho certo mas se equivocou no meio do texto,pois o wilfred não é a personificação autodestrutiva e sim a personificação dq o ryan gostaria de ser.E está ali justamente quando o ryan MAIS precisa,fzndo de tudo para AJUDAR o ryan.

  14. sonia

    Wilfred, é sem dúvida uma série cômica e muito bem elaborada. A segunda temporada segue interessantissima e divertida.
    No meu ponto de vista, Ryan é esquizofrenico, tomava remédios para a doença, e depois que tentou se matar, passou a não mais tomar os medicamentos e por isso vê Wilfred em forma de homem, com fantasia de cachorro.
    Elijah Wood está incrivel nessa série!

Deixe um comentário