FOTO: REPRODUçãO

Por: Davi Garcia

Breaking Bad: Crawl Space

Por Davi Garcia

Breaking Bad é uma série para masoquistas feita por sádicos na qual você chora de forma histérica para depois rir como um maníaco à medida em que morre lentamente. Eu não escrevi essa frase, mas tenho inveja de quem o fez porque ela resume exatamente o que foi “Crawl Space”, antepenúltimo episódio dessa fantástica 4ª temporada (a melhor da série até aqui, não?). Recheado de momentos memoráveis (a sequência de abertura, a visita de Gus a Hector, a breve discussão entre Jesse e Walt, a cena no deserto, o desespero do químico frente a ameaça explícita de Gus…), em muitos aspectos esse episódio pareceu um season finale com um monte de coisa acontecendo de forma cruzada num amontoado de ganchos enlouquecedores.

Evidenciando o conflito de Jesse entre o discurso para Gus (“Não mate o Sr. White pois se o fizer não trabalharei para você”) e o orgulho de não aceitar a reaproximação e o apelo do antigo parceiro, “Crawl Space” foi também o episódio que nos revelou o momento mais fragilizado de Walt na história da série. Disperso, com medo e desesperado com a pressão de ver o cerco se fechando (Hank cada vez mais perto da verdade ao mesmo tempo em que percebe ter se tornado peça descartável no esquema de Gus), vimos o personagem feito pelo excelente Bryan Cranston (coitada da concorrência nas próximas premiações) desmoronar num misto de reações contraditórias na ótima cena que encerra o episódio para entrar no seleto rol dos melhores momentos da história da televisão.

A cena citada, não só condensa o momento do personagem e a percepção de que, talvez, todos os sacrifícios e riscos podem ter sido em vão, mas também estabelece a certeza de que ao tentar resolver um problema (o de morrer sem deixar nada para a família), Walt acabou, direta e indiretamente, criando vários outros ainda piores como, por exemplo, o de colocar a vida de Hank em perigo (de novo) e a necessidade de ter que revelar (quase) tudo a Skyler e, no processo, vê-la envolvendo uma terceira parte na confusão de forma perigosa e irreversível. Surpreendente no choque e na forma com que cada pedaço da trama se conectou, “Crawl Space” só não foi um episódio 100% perfeito por causa do conveniente acidente sofrido por Ted. Um pequeno escorregão perdoável, claro, frente os muitos méritos de mais um capítulo impressionante da série.

Huell, você está feliz?

Considerações do Episódio, por Bruno Carvalho:

– Embora conveniente, o escorregão do Ted foi bem executado, com os elementos de “pista e recompensa”. Vejam, antes de receber Skyler em sua casa, o sujeito cuidadosamente ajeitou o tapete da sala, para então abrir a porta pra ela; o mesmo tapete que, mais tarde, causaria o acidente. Até mesmo quando o roteiro de Breaking Bad precisa ser levemente indulgente, a execução mantém-se brilhante como o restante da série.

– O plano zenital nos instantes finais do episódio foi capaz de causar um profundo desespero no espectador, quando a câmera afastava de um Walter White reduzido a um pequeno espaço no porão da casa. Me lembrou muito a cena do final da 1ª temporada de LOST, quando a câmera descia a escotilha e evidenciava a incompreensão de Jack e Locke sobre as consequências daquela nova descoberta.

– Gus é o cara. Sua meticulosidade foi elevada a um nível ainda superior com o planejamento minucioso do galpão médico que encomendou, contendo inclusive todos os tipos sanguuíneos e aparatos necessários para salvar a vida dos envolvidos na purgação do cartel mexicano. Bravo!

32 respostas para “Breaking Bad: Crawl Space”

  1. Juliano Graebin disse:

    Simplesmente perfeito. Nada a declarar. Está entre os melhores episodios que já vi de qualquer série, ou até mesmo o melhor. =D

  2. Gilberto Prujansky disse:

    Venho reparando, já de outras seasons, que a dinamica de Breaking bad é assim: eles vao preparando a estória com alguns episodios aparentemente mornos, que culminam em outros que sao quase que obras-primas, juntando todas as pontas deixadas abertas aparentemente. Estes episodios sao os melhores, e sabendo que eles virão, deixa vc bem feliz e apreensivo quando ve um dos episodios aparentemente sem sentido, mas que se tornará essencial para o episodio-chave a frente.

  3. Tem razão. A morte estranha do Ted é um pecadilho perto da genialidade da série. Um erro totalmente perdoável. Maravilha de série

  4. Bruno Carvalho disse:

    Será que ele morreu mesmo?

  5. Pedro disse:

    o Ted morreu mesmo? achei que ele tivesse sobrevivido

  6. Ricardo disse:

    Para mim, as cenas com Huell, inclusive a morte do Ted, serviu como alívio cômico do episódio. Achei que o personagem teve a morte que mereceu :P

    Mas cara, que episódio. Como você disse, Bryan Cranston já arrancou o Emmy de todo mundo, que puta episódio!

    É muito comum nas narrativas cortarem a parceria de dois personagens muito amigos por um tempo, mas eu nunca liguei muito para isso. Mas em Breaking Bad é diferente, para variar. Temo pela relação do Jesse e do Walt. No episódio passado, quando ele chama o Walter Jr. de Jesse fiquei com o coração partido.

    Para os próximos episódios, vou apostar em uma parceria inusitada. Mike e Walt tentando matar Gus. Acho que aquela cena do bar no começo da temporada não foi colocada ali em vão. E a cena de introdução, com os médicos ignorando o tiro no Mike… sei não… não acho que ele tenha ficado muito feliz.

  7. vale lembrar que o Ted já tinha tropeçado naquele tapete antes huaheuah, a queda e (possível) morte foi em decorrência do desleixo dele em trocar de tapete.

  8. Tomas disse:

    Apesar dele ter mexido a mão, acho que ele não sobreviveu.
    Os dois capangas iriam passar alguns dias com Ted, mas eles voltaram para o escritório do Saul.
    Concluí que não foi necessário ficar “acompanhar” um morto.

  9. Davi Garcia disse:

    Bela sacada, Ricardo. O Gus pensou em tudo quando orquestrou o ataque ao cartel, mas ignorar o Mike naquela situação pode acabar rendendo alguma pequena virada nesses dois últimos episódios mesmo.

  10. Sandrine disse:

    Não acredito na morte do Ted, mas num coma, talvez. Acho inclusive conveniente que ele fique vivo, já que é mais um que sabe que a família White não é lá tão limpa, e que a Skyler tem conexões no mínimo suspeitas.

  11. Douglas disse:

    Simplesmente Perfeita a análise/Resenha do Davi.. e também as observações mto bem feitas pelo Bruno!

    Que dupla e que série Impecável! Certeza q qndo acabar, esta Breaking Bad se colocará entre (senão a) primeiras séries da vida, pra mim! =)

  12. Douglas disse:

    Douglas :
    Simplesmente Perfeita a análise/Resenha do Davi.. e também as observações mto bem feitas pelo Bruno!
    Que dupla e que série Impecável! Certeza q qndo acabar, esta Breaking Bad se colocará entre (senão a) primeiras séries da vida, pra mim! =)

    Corrigindo a pressa na digitação: “Breaking Bad se colocará entre (senão a) as melhores séries da vida, pra mim!”

  13. Breno disse:

    Sobre a morte (ou não) do Ted. Não entendi a contrariedade. É um elemento irmãos Cohen inserido no roteiro, como vários ao longo da série. Achei sensacional. É a lógica do erro que acarreta outros erros, que culminam em tragédias. Humor negro na veia.

  14. Marceli disse:

    Magnífico episódio. Tudo o que tenho pra dizer.

  15. Marceli disse:

    Gênio! kkk :) Vamos torcer por uma reviravolta nessas proporções. Eu estou a ansiedade em pessoa. :~~

  16. Anônimo disse:

    jeronimo lopes :
    vale lembrar que o Ted já tinha tropeçado naquele tapete antes huaheuah, a queda e (possível) morte foi em decorrência do desleixo dele em trocar de tapete.

    Sim, sério que pensei que aquilo foi um “erro” do ator, deixado na edição. Na hora achei nada proposital, e isso mostra o nível de perspicácia do roteirista e do elenco.

  17. Roger disse:

    jeronimo lopes :
    vale lembrar que o Ted já tinha tropeçado naquele tapete antes huaheuah, a queda e (possível) morte foi em decorrência do desleixo dele em trocar de tapete.

    Sim, sério que pensei que aquilo foi um “erro” do ator, deixado na edição. Na hora achei nada proposital, e isso mostra o nível de perspicácia do roteirista e do elenco.

  18. Felipe Cassão disse:

    Episódio fantástico, sem mais.
    Bryan Cranston merece não o EMMY ou o GG, mas sim o Oscar.

    Acho que a teoria do Ricardo pode estar correta, se levarmos em conta a sinopse do season finale:

    [SPOILER]

    A showdown with Gus occurs. Walt finds an unexpected ally through Saul’s help.

  19. Robson disse:

    Estou na 3a temporada dessa fantástica série que muito me arrependo por não ter acompanhado desde o inicio! Graças a indicação do bruno carvalho, estou viciado assistindo um episódio atras do outro. Culpa de vcs!hehehe…

  20. Bruno Carvalho :
    Será que ele morreu mesmo?

    Será? IHH

  21. reca disse:

    gente vcs estao viajando q CASO TED REALMENTE TENHA MORRIDO, isso foi CONVENIENTE. eu acho q a morte dele pode trazer mts problemas , como a skyler ficar assombrada culpada c isso, policia investigando, e sei la mais oq. e outra bruno, ele nao so arrumou o carpete. ele chgou a tropeçar qnd foi abrir a pora p skyler lembro mt bem pq pensei NOSSA Q CENA NADA A VER, SERA Q FOI ERRO MAS AI O ATOR IMPROVISOU E CONTINUOU A CENA. kkkkk. mas sabia eu q mais tarde o mesmo tapete o mataria ahuahahauuhahu, . achei mt bom e ate comico

  22. reca disse:

    ahahuuhhua acabei de dizer isso aki, EU TB ACHEI Q TIVESSE SIDO ERO DO ATOR kkkkkkkkk por isso amei qnd ele tropecou e caiu nao achi falho nem conveniente

  23. reca disse:

    assim q acabei de ver o episodio eu so pensava Q ISSO BRYAN, COMO RI, CHORA,DESESPERA AO MESMO TEMPO ASSIM??? SENHOR TINHA Q TER CATEGORIA ‘ATOR DE SERIES’ NO OSCAR, P ELE MERECE LEVAR TODOS OS PREMIOS. SO POR ESSA CENA AI. q isso, vai ser sinistro assim la em casa. e o aaron tb, meu deus, q quimica. so ator fera. ate anna gun se destacou nessa season

  24. Guga disse:

    Já faz um tempão que Breaking Bad figura uma das séries mais incríveis que já vi, desde 2007, pra ser mais exato. Mas somente no ano passado retomei a série, que então se tornou minha predileta.

    Grande destaque para o trabalho na fotografia da cena do deserto e chocante cena final. A perspectiva no rosto da Skyler, o arrependimento, perturbador! Aliás, perturbador é o adjetivo que resumiu o episódio pra mim. Perfeito! O melhor episódio da série até agora. Como já foi mencionado no texto, no fim das contas as consequências dos atos criminosos de Walt culminaram em algo muito pior do que deixar a família sem dinheiro.

    Se no episódio anterior o destaque foi para Jesse, nessa o personagem de Bryan Craston foi atuado com maestria. Merece todos os prêmios!

  25. N disse:

    Estou arrepiada e sem palavras até agora. Foi simplesmente visceral. Bryan Craston é o cara! Jão não sei o que dizer… não sei nem como elogiar mais a melhor série de todos os tempos. GO BB, GO!

  26. Limao Cascudo disse:

    Cara, acredito que a ”salvação” do Walter é bem obvia. Nos ultimos episodios, foi desenvolvida uma forte conexão entre Gus e o tio. Personagem que esta na serie desde a segunda temporada, conhecendo até Walter e jesse…então, Gus revela ao cara, de forma gratuita ( apontando para jesse) que matou seu ultimo descendente ( que era quase um figurante).

    Então, o Tio não vai levantar da cadeira de rodas e sair matando todo mundo, mas sim ligar Walter ao que sobrou do cartel, o que deve deixar ele Jesse em caminho opostos para a ultima temporada.

    Acredito que Walter vai sofrer uma emboscada ( O que vai gerar uma tensão natural), vai ser salvo no ultimo minuto, sendo levado a algum lugar onde vai encotrar um personagem novo( ultimo moicano do cartel) com o Tio.

    Acho que é isso, suposições sem spoilers

  27. Bruno Camurati disse:

    Bruno tá usando bem os ensinamentos do curso do Pablo hehehe.

    Uma série dessas nunca mostraria uns dedinhos se movendo à toa. Obviamente o cara ainda vive, o que vai trazer mais uma variável ao season finale. Além de tanta coisa que vai acontecer, imaginem o tal Beneke correndo atrás de Skyler… #Tenso

  28. Bruno Camurati disse:

    Ninguém citou, mas não foi interessante ver a “família” de Jesse feliz em sua casa? A trajetória dele foi bem legal nessa temporada, e ao ve-lo com a família deu a sensação de que ele está numa posição confortável, cozinhando, com moral junto aos chefões, enfim. Os papéis se inverteram, e acho que essa cena mostrou bem isso.

  29. “Bruno tá usando bem os ensinamentos do curso do Pablo hehehe.”

    Nem tanto, pois “plongée” é um plano executado na diagonal. O que acontece no episódio chama-se “Plano Zenital” (que tem este nome por ser executado num ângulo de 90º). Blz?

  30. Bruno Carvalho disse:

    Ok, corrigido.

  31. Beto disse:

    Desculpa, pode parecer besteira, mas será que só eu que notei que eles erraram a altura do Jesse? Na legenda dizia: 1m87cm. Não seria 1m70cm?
    A pronúncia de “one hundred eighty-seven centimeters”, como foi dito, pode ser confudida com “one hundred and seventy centimeters”.

Deixe uma resposta

ss