FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Fringe: And Those We've Left Behind

Por Bruno Carvalho

São poucas produções que tem competência para criar boas histórias envolvendo viagens no tempo e este recente episódio de Fringe também não fez feio, na esteira de excelentes capítulos como White Tulip e até mesmo The Constant de LOST. Aprofundando ainda mais na mitologia da série, And Those We’ve Left Behind trouxe à tona o curioso conceito de “Câmara do Tempo”, uma brecha encontrada por um amargurado cientista que perdeu sua esposa para o Mal de Alzheimer e, utilizando a pesquisa dela, criou um aparato capaz de criar uma espécie de bolha momentânea para o passado. E ele só conseguiu depois que a “anomalia” Peter Bishop aterrisou neste novo Universo, trazendo consigo diversos efeitos colaterais indesejados.

Além disso, agora não resta dúvidas de que estamos mesmo em uma nova realidade, diversa daquelas que acompanhamos nas temporadas anteriores – um lugar onde o Peter que conhecemos não existe e não deveria existir. E mais uma vez é mérito dos roteiristas de Fringe introduzir e complicar a trama e seus elementos sem jamais perder a coesão com a história que estava sendo contada (algo que poucas séries hoje conseguem fazer com tamanha segurança e maestria). Esta promissora temporada encerrou seu primeiro arco de forma magnífica, apresentando o que deve ser o principal objetivo a partir de agora: o retorno de Peter ao seu devido lugar/tempo. Aguardo ansiosamente pelas novas possibilidades.

18 respostas para “Fringe: And Those We've Left Behind”

  1. Diego disse:

    Foi, sem dúvida, o melhor episódio da temporada. Me emocionei.

  2. Sally_WilsonMD disse:

    Fantastico!!!

  3. Bruno Fernandes disse:

    Os roteiristas de Dexter deveriam aprender com os de Fringe. As vezes eles aprenderam e estamos assistindo em Dexter um universo paralelo.

    Fringe é para mim, neste momento, um dos melhores dramas. Fringe e Damages estão salvando o ano., principalmente Fringe. O cuidado na construção dos personagens e a meticulosidade com que estão construindo a trama faz de Fringe um seriado com densidade emocional, muito superior a estas baboseiras juvenis que passam hoje.

  4. Briza disse:

    Olha, eu ainda não estou convencida de que este seja de fato um terceiro universo. Ainda que eu gostaria muito que fosse.
    Se esta fosse de fato uma realidade na qual o Peter morreu quando pequeno, não consigo entender todo o plot do September no primeiro episódio dessa temporada.

  5. Bruno Carvalho disse:

    Talvez não um terceiro universo completamente novo, mas uma nova realidade resultado da equação 1º universo + 2º universo + Ponte entre os Universos – Peter Bishop…

    De qualquer forma, é uma realidade totalmente inédita que, quem sabe, pode acabar culminando num universo novo. As dicas/easter eggs estão aí desde o início da temporada, como a abertura diferenciada, mas acho que agora a teoria ficou mais forte ainda. Veremos…

  6. Carol Graziano disse:

    O episódio foi tão bom que eu fiquei triste de ver um comentário curtinho por parte de você, Bruno. Mas tenho certeza que você gostou do episódio, pois de fato Fringe segue com um roteiro consistente. Eu realmente estou adorando a série, é a que mais estou motivada a ver nesse momento! O caso foi muito bom, a tensão Peter/Olivia (culminando no deprimente diálogo final) foi ótima e a frustração do Peter com a dificuldade de ser compreendido inevitavelmente pega a todos nós. Ah, se todas as séries que assistimos fossem assim…

  7. Pedro disse:

    Episódio sensacional! Merecia uma review, pelo menos, maior!

    Minha namorada já tinha me dito que achava que estávamos vendo um terceiro mundo, mas acabei não dando muita atenção a ela. Eis que a danada matou a charada antes de todo mundo!

    O episódio foi fantástico o que torna ainda mais triste e inacreditável a péssima audiência que teve. Infelizmente creio que essa será a última temporada de Fringe. Espero que seja os roteiristas trabalhem com essa possibilidade e finalizem a história da maneira como ela merece!

  8. Geovanna disse:

    Tá sendo curioso acompanhar essa diferença de personalidade do Walter e da Olivia nesse possível terceiro universo. Dá para ver que no fundo, os sentimentos são os mesmos em relação ao Peter, mas como ele “nunca existiu”, não puderam ser desenvolvidos.
    Queria poder fazer algo a respeito da audiência, mas infelizmente só posso aproveitar os bons episódios, como esse, até que o fim iminente(melancolia total).

  9. O que mais impressiona em Fringe é a capacidade de conjugar razão(ciência) com emoção em seus episódios que, não só funcionam como metáforas lindas sobre a humanidade, como também deixam pistas sobre o rumo dos personagens.Aliás, cabe ressaltar os detalhes. Logo no início, ver Astrid usar um aparelho do “over there” e Walther reclamando do Manual do equipamento nos mostra que a troca de tecnologia dos dois universos acontece!!! São nos detalhes que se percebe a grande genialidade da série. Pena que foi o pior episódio em audiência da série até aqui e isso é preocupante!!!

  10. Janaína disse:

    Olha, eu realmente espero que seja (como o pessoal do Ligado Em Série comentou acima) uma nova realidade resultado da equação 1º universo + 2º universo + Ponte entre os Universos – Peter Bishop”. Ficaria meio decepcionada se um terceiro universo fosse criado e o Peter tenha parado nele acidentalmente. Ia tirar um pouco da graça. Até porque, a temporada passada terminou com o Peter desaparecendo e todos os outros personagens se reajustando à sua não existência.
    Gostei MUITO desse episódio, não tem como não achar que essa é, de longe, a melhor temporada. Só não gostei do final.

  11. Leonardo disse:

    Concordando com todos os comentários, afirmo que este foi o melhor episódio da temporada e entra na categoria de “episódios seletos” de Fringe.

    Quanto à teoria sobre uma terceira realidade, não creio que seja exatamente um terceiro universo. Na minha opinião, ainda estamos no mesmo universo, mas as coisas foram drasticamente alteradas pela perda do Peter. Talvez o que os personagens acham que aconteceu não tenha acontecido e eles acabem lembrando da realidade anterior, que seria a “verdadeira”. Ou então, estamos numa realidade alternativa, como o Bruno teorizou.

    De qualquer maneira, Fringe é cativante em seus personagens e no andamento da história e vem exibindo um crescimento desde o início.

  12. Wilma disse:

    A qualidade de Fringe só faz crescer e a audiência só diminui, não entendo essa lógica. Talvez muita gente tenha tido medo de se apegar a uma série de mistérios depois do final sem respostas que Lost teve. Uma pena, mesmo que Fringe não resolva tudo, assim como em Lost, a caminhada vale a pena.

    Episódio excelente, só olhava o relógio na esperança de ver que ainda faltasse muito tempo. Gostei muito de ver Peter viajando no tempo (citando Lost de novo: lembrei muito de um episódio que Sawyer fazia isso e reclamava do mesmo jeito de Peter)!

  13. José disse:

    não teremos review do Davi Garcia sobre Fringe, dono dos melhores comentários sobrs a série

  14. Mirelle disse:

    Excelente episódio! Acredito mais mesmo numa realidade paralela do que um outro universo.
    Tá muito interessante a (não) intereção do Walter com o Peter, e dá uma dó ver a cara dele quando o Walter o ignora.
    Fringe, melhor série atualmente de longe! Incrível, parece que quanto pior a série, mais audiência tem e vice-versa. Fica complicado ver uma série tão escelente quanto Fringe não ter o reconhecimento que merece.

  15. Zé das Couves disse:

    Pois é… parece que ficou evidente que se trata de outro universo, tal qual profetizei no início da temporada (rsrs).

    Porém, quando as coisas ficam muito “óbvias” em Fringe, parece que se prova justamente o contrário, portanto… é possível que esse seja o universo “original” modificado e não uma bifurcação dele.

    Viram quando o Peter está no carro olhando a janela e diz que está tudo como ele conhecia? Essa “dica” é que acabou quase me convencendo de que não se trata de outro universo, mas do mesmo, só que alterado.

    Fora isso, outro episódio excelente. Fiquei vendo o tempo, como o colega acima falou, pra ver se rendia mais! kkkkk

    Torço pra que se faça com Fringe o mesmo que fizeram com Lost: definir uma data limite. Isso daria a tranquilidade que redatores e público precisam.

  16. Zé das Couves disse:

    Estranho… meu comentário foi parar num universo paralelo!!! Eu cheguei a vê-lo publicado, depois sumiu!!! Sério! Eu hein…

    Bom… resumindo a ópera: excelente episódio. Desde o início da temporada achei que esse era outro universo (e disse isso aqui), mas quando o Peter ficou olhando pra fora da janela do carro e dizendo que estava tudo igual… sei lá… acho que é o mesmo universo, mas alterado.

    Espero que Fringe tenha logo o seu dead line definido (na temporada X acaba e pronto), como foi com Lost. Assim fica muito mais tranquilo para roteiristas e fãs.

  17. lucidea disse:

    simplesmente amo essa serie que nao consigo olhar as falhas, o amor e sego mesmo!!! rsrsr

  18. Roxanne disse:

    Otima serie mesmo… uma pena que corre o risco de ser cleancada. Vai entender o gosto desses Americanos…Impossivel encontrar o OBSERVADOR nos episodios… tem q ser muito Nerd e bom d visao. :D

Deixe uma resposta

ss