FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Community: Pillows and Blankets

Por Bruno Carvalho

[com spoilers do episódio 3×14] Por 22 minutos e alguns segundos em uma noite de quinta-feira, a TV americana sai do seu estado de mediocridade, onde séries mantém-se fieis às suas estruturas que fazem sucesso justamente por permanecerem imutáveis e inertes ao longo dos anos. É aí que Community entra, mais uma vez subvertendo sua forma e estilo como um exercício natural e, pra eles, até inevitável em prol da arte de fazer comédia. Certamente esta série não terá a vida longa dos CSIs, Houses e Big Bang Theorys da vida, mas em sua curta existência de prováveis poucas e modestas temporadas, terá contribuído de forma muito mais significante à TV do que décadas da programação estática que já foram produzidas para o americano médio. Em Pillows and Blankets, Dan Harmon contou a prosaica história de uma guerrinha de travesseiros com uma abordagem épica em forma de documentário de guerra civil em homenagem ao estilo do famoso cineasta Ken Burns.

Justificando a presença das câmeras que captaram os preparativos para a guerra e os súbitos confrontos pela equipe do Guiness Book que ali estaria para registrar o recorde do maior forte de lençois do mundo, o episódio contou ainda com uma série de recursos gráficos, fotos, mensagens de texto e até postagens no Facebook (Leonard curtiu isso!) para ilustrar as estratégias, quedas, triunfos e a resolução da então famosa Batalha de Greendale. Repleta de meta referências, como a música Daybreak na rádio da faculdade que Troy, Abed e Annie vivem cantarolando por temporadas e citações de clássicos de guerra (inclusive um pertinente questionamento sobre as confusões dos títulos da série Rambo), a narrativa foi a principal contribuinte para que Pillows and Blankets entrasse no rol dos memlhores episódios de Community até hoje. E para aqueles que acharam o último episódio mais fraco que o normal (afinal, embora estranha, a história da lanchonete Subway pode ter papel fundamental na renovação da série), ele claramemte estava construindo a fundação para este incrível capítulo. A única parte ruim do episódio foi justamente o seu final, pois no momento em que o logo da Universal Television tomou a tela, fomos imediatamente lançados fora deste turbilhão de ousadia e genialidade para retornar ao nível inferior e costumeiro da broadcast television americana. Por mais momentos como este, salvem Community, NBC! E vocês aí, eat fresh!

17 respostas para “Community: Pillows and Blankets”

  1. @tiagosector disse:

    Pronto. Community depois do episodio passado de nível mediano/baixo atou todos as pontas deixadas e juntou tudo no seu melhor estilo: ousando e abusando das referências e humilhando na inovação. Episódio foda!

  2. matheusmmo disse:

    Leonard também curtiu a review! Hahaha

    Muito bom, assino embaixo!

  3. Caio disse:

    #SaveCommunity #EatSubway

  4. Gabriel disse:

    Não tem nem muito o que comentar. Episódio Espetacular! Entra no meu TOP 5 da série facilmente =P

  5. Leandro disse:

    Prepararam bem o terreno no primeiro episódio e não decepcionaram no segundo! Que continuem assim! =]

  6. igor frederico disse:

    Agora é esperar pro episódio “Law & Order” que depois de “Pillows and Blankets” foi o episódio que a equipe da série mais destacou,ou seja,provavelmente mais um épico….mas épico no sentido literal da palavra,acho que esse “Pillows and Blankets” alcança os de PaintBall e Dangerous and Dragons e provavelmente os supera..ams essa discussão é outra…

    Nem é tão legal comentar um episódio tão bom e sem defeito nenhum,melhor esperar o próximo e vir comentar o

  7. Eduardo Mesel disse:

    Quase chorei lendo essa resenha, o episódio foi realmente sensacional! Essa série não pode acabar ainda!

  8. M. disse:

    Só eu que reparei que foi uma paródia magnifica de Band of Brothers? XD

  9. Ismael disse:

    Community é bem divertida, mas vocês, que tem conhecimento especializado de crítica, parecem se deixar encantar pelas “ousadias narrativas” e a super-estimam.

    Assim vira mais exercício crítico que entretenimento.

  10. Claudia disse:

    Foi um excelente episódio, quem dera todos os outros da temporada fossem do mesmo nível. O anterior a esse mesmo, foi horrível.

    Community é a nova Arrested Development, tem um grande potencial mas é subestimada pelo público maior. Mas sinceramente, prefiro que continue assim, mesmo que dure pouco. Prefiro ver a série virar cult daqui uns anos, do que virar hype e decair na qualidade, LEI-SE THE BIG BANG THEORY

  11. Robson Sobral disse:

    parei de ler em “SUPER-ESTIMAM”…

    O cara reclama que um BLOG DE CRÍTICA TELEVISIVA está fazendo EXERCÍCIO CRÍTICO! É o fim da Iternet mesmo.

    Quem tem que entreter é a série, aqui é pra discutir mesmo fiote.

  12. Vitor disse:

    Band of Brothers puro….kkkk…..

  13. Ismael disse:

    Robson Sobral

    ‘parei de ler em “SUPER-ESTIMAM”…’

    Por ter bancado o Grammar Police e ter parado talvez se explique porque deu a opinião abaixo, onde mostra claramente que não entendeu direito o que falei.

    “O cara reclama que um BLOG DE CRÍTICA TELEVISIVA está fazendo EXERCÍCIO CRÍTICO! É o fim da Iternet mesmo.”

    Não foi isso, você podia ler com calma novamente para tentar entender, mas te explico.

    Digo que estão priorizando as peculiaridades da estrutura do roteiro frente a todo resto.

    Eu gosto da série, tenta entender que se alguém não acha o máximo super-duper como você, não quer dizer que esse alguém é seu inimigo.

    (Esqueceu o “n” de internet, mas não vou te desrespeitar por isso. Viu, todo mundo erra.)

    “Quem tem que entreter é a série, aqui é pra discutir mesmo fiote.”

    Entre as discussões está o fato de achar que enchem demais a bola da série. Simples.

    Divergência de opiniões, maezinha, faz parte.

  14. Amanda disse:

    Ainda que Community seja uma das minhas séries preferidas, eu concordo com o que você disse. Eu gostei do último episódio, mas não o considero um dos melhores da série. Realmente a estrutura é interessante, mas o desenvolvimento do episódio deixou a desejar em um ponto fundamental: a parte cômica. Community se destaca justamente quando consegue aliar a forma ao conteúdo, como em “Modern Warfare” e “Paradigms of Human Memory”.

  15. Claudia disse:

    Mesmo sendo fã da série eu entendo a crítica do Ismael. O episódio foi bom, mas não digno de um TOP 5. E Nota-se CLARAMENTE a empolgação de quem escreveu o texto. Há argumentos fundamentados, mas o amor por Community fica tão latente a ponto de já pensar, duvido que vem crítica ruim por aí. Como fizeram no post do episódio anterior de Communirt, que foi péssimo

  16. igor frederico disse:

    RÁ,sempre aparecem chatos que tem que se achar perfeccionistas e reclamarem de algo que não tem o que reclamar.

    Reclamem e achem o episódio chato,a vida continua e Community também.

    ps:quem escreve não pode se empolgar?

    ps 2:sério que vocês estão colocando defeito nesse episódio por ele não ser TÃO bom quanto o que VOCÊS mais gostam?

  17. Marcio 'Fakk' disse:

    até que enfim um episódio genial de community, tava sentindo falta de um episódio assim na série. acho bastante digno “pillows and blankets” ser indicado ao oscar. não é só um documentário sobre guerra, violência, sangue e almofadas, mas tb sobre amizade e piadas exageradamente modernas.
    conseguiu captar toda a essência da série: as referências, o humor irônico, o peso emocional, os diálogos criativos e claro as piadinhas modernas…….tudo que faz um fan da série ser fan.
    community é uma série cheio de altos e baixos, mas os altos são tão altos que chegam a ir além das nuvens, saindo da estratosfera hauhauhauuahau

Deixe uma resposta

ss