FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Entrevista Exclusiva: Jennifer Morrison, de Once Upon a Time e House!

No hotel Emiliano em São Paulo esta semana, com um ambiente pequeno – porém aconchegante – pouco mais de trinta pessoas esperavam a protagonista de Once Upon a Time, Jennifer Morrison. Com as devidas apresentações, o diretor do canal já anunciava o sucesso que a série tem feito no Brasil pelo canal Sony, batendo recordes de audiência com apenas cinco capítulos exibidos até a data atual. Finalmente com um pouco de atraso, Jennifer Morrison entrou na sala estonteante, com um figurino simples, preto clássico,  um salto absurdamente alto e agora ruiva, distribuindo sorrisos para todos os lados e atendendo os pedidos de todos os fotógrafos que chamavam pela melhor foto. Jennifer sentou-se do lado do diretor e, conforme instruções, as perguntas deveriam ser feitas em português, para o entendimento de todos. Muitas vezes Jennifer colaborou para que a tradutora (um pouco insegura) desenvolvesse melhor seu papel, falando pausadamente.

Ela respondeu várias perguntas e esclareceu bastante seu ponto de vista com relação à sua personagem Emma Swan e todos os outros. Se considera sortuda por ter sido cogitada para o papel e ficou encantada com o roteiro assim que o leu. O assunto House surgiu nas perguntas, algo que foi permitido pelo canal. Jennifer mesma citou sua antiga série em algumas respostas, fazendo com que todos rissem. Ela não revelou, contudo, nenhum detalhe da participação que fez no final da série. Apenas pediu para “assistirmos”. Além disso, a atriz revelou que é bastante amiga de seus companheiros de cena – especialmente de Ginnifer Goodwin e Josh Dallas (Branca de Neve e Príncipe Encantado) e até chama Josh de “Dad”; que todos passam muito frio em Vancouver (onde a série é filmada) e, além disto, revelou com exclusividade para os presentes que a série já estava garantida para a 2ª temporada. Com mais uma sessão de fotos e flashes, Jennifer se despediu de todos assim como entrou: sorrindo para todo mundo.

À tarde, a ruiva conversou com exclusividade conosco, num bate papo especial promovido pela operadora NET. Veja como foi a entrevista completa:

Ligado: Olá Jennifer, é um prazer conhecê-la e recebê-la aqui no Brasil, você é adorável!

Jennifer: Olá, obrigada!

Ligado: Vamos te conhecer um pouco melhor primeiro, ok? Descobrimos que você fazia parte do coral no seu colégio. Você se vê em um dia em uma peça, filme ou série de TV musical?

Jennifer: Bondade, eu adoraria! É uma daquelas coisas que a gente sempre quer fazer quando crescer, não é? Cantar, dançar e tudo mais. Seria definitivamente um sonho poder fazer todas essas coisas em um trabalho, algum dia.

Ligado: Você mencionou na coletiva que gostaria de interpretar um papel que envolve lidar com armas e ação. Há alguma personagem que você se vê interpretando assim?

Jennifer: Gente (risos)! Eu não sei. Eu queria ser mais ligada em vídeo games. Eu teria que perguntar Jared, que interpreta Henry na série, pois é fanático com jogos e eu tenho certeza que ele poderia me dizer qual personagem para interpretar. Eu simplesmente amo a idéia de fazer um filme de ação. Eu sempre tento encontrar algo nesta linha, mas nunca tive uma oportunidade. Seria muito divertido!

Ligado: O nome do seu personagem, Emma Swan, normalmente é uma alusão à cisne, uma transformação, um grande crescimento. Então, como você acha que essa transformação irá ocorrer? Será que vai fazer Emma crer nos contos de fada?

Jennifer: Vai ser muito complicado, eu acho. Obviamente ela está lidando com a realidade, então seria absolutamente louco para ela ser informada de que tal pessoa não é real, mas um personagem de conto de fadas. Então, ela está tendo uma reação humana normal para esta informação extraordinária. Eu achava que era muito interessante quando eu fiz alguma leitura e pesquisa sobre os cisnes quando começamos, obviamente, a olhar para o nome de Emma Swan. Curiosamente, o nome Swan, para a personagem, veio de seus primeiros pais adotivos. Foi a única vez que ela experimentou o amor em sua vida até que Henry entrou em sua vida. É interessante que ela escolheu manter o sobrenome e o colar de cisnes, cuja arte simboliza a unidade entre a divindade e a humanidade, o que é realmente importante para o que estava acontecendo na série. Emma, ​​em última análise, representa a unidade entre os conto de fadas ea realidade.

Ligado: Ela é a conexão.

Jennifer: Então essa conexão trará uma incrível jornada que certamente a levará a descobrir onde está a encruzilhada entre a realidade e a fantasia e que finalmente levará Emma a acreditar nesta ideia, nesta louca ideia, quando finalmente for provado a ela o que está de fato acontecendo.

Ligado: A série mostra que a vida é sobre circunstâncias. Todo mundo tem um lado bom e um lado mau. Você acha que os personagens maléficos, por conta disso, merecem a redenção ou a punição?

Morrison: Bom, eu acho que os personagens sombrios são sempre mais fascinantes quando você se identifica com eles em algum nível. Acho que existem alguns vilões na vida real, mas também temos as pessoas zangadas que ficaram assim depois de passarem por algum momento obscuro na vida. Não acho que ninguém nasce mal ou começa mal, são sempre as circunstâncias da vida que vão levar uma pessoa para esse lado e é a decisão delas se se manterão na escuridão ou se vão lutar contra ela. Então o mal é sempre mais assustador quando você entende de onde ele vem, porque se você imaginar que Regina é má por conta do quão fragilizada, desolada, com uma certa paixão por trás de toda a escuridão, é realmente mais assustador. Se a maldade é apenas sem sentido ou sem uma motivação mais forte, não é tão ameaçadora assim.

Ligado: Vimos um monte de contos de fadas na série. Existe algum em especial que nós não vimos ainda e  que você ainda gostaria de ver?

Jennifer: Eu não sei. Quero dizer, é tão engraçado, porque me perguntam isso e eu sinto que tenho tanta fé em nossos escritores, que fico agradavelmente surpreendida por eles semana após semana, apenas ansiosa para ver o que virá a seguir. Eu sou uma espécie de audiência dos roteiros, sabe o que eu quero dizer? Eu não sou o público da série, eu estou no roteiro dela, por isso eu procuro não criar muitas expectativas para manter esse nível de surpresa a cada novo episódio. Pra mim, essa é a parte divertida: os contos e seus crossovers, como a Branca de Neve ser amiga da Cinderela, ou esta tendo um filho com o príncipe encantado.

Ligado: Sua personagem na série é a única que não fez um acordo com Rumplestiltskin. Você acha que nunca vai chegar a esse ponto, ou, caso chegue, do que ela abriria mão?

Jennifer: É interessante porque Emma acabar fazendo um acordo, se não dois, com ele, mas nunca é para si mesma, ela sempre faz um acordo para ajudar alguém, e isso é bem diferente dos acordos que ele costumava fazer antes. Todos tem necessidades próprias, egoístas. Pode até ser que os acordos que Emma faz com ele tenham alguma repercussão, mas vai ser sempre diferente porque ela é…

Ligado: Altruísta?

Jennifer: Isso!

Ligado: Você parece ser uma pessoa durona, confiante. Quando você vê um programa de TV chamado “Once Upon a Time” (Era Uma Vez…), a primeira coisa que vem à mente é o romantismo, a utopia dos contos de fadas… O que você diria para as pessoas mais “duronas” para convencê-las a assistir Once Upon a Time?

Jennifer: Eu não sei (risos), quero dizer, Once Upon a Time é uma daquelas séries que é difícil de explicar, você tem que assistir pra entender como é. Curiosamente, nos livros de psicologia que eu andei lendo sobre contos de fadas, eles falam sobre como a frase “Era uma vez” abre a mente das pessoas uma certa maneira, fazendo-as aceitar algo “extraordinário” ou “fantástico” quando você lê a frase. Então eu sinto que é o título perfeito para a série, porque ele abre a mente do público a aceitar essa ideia realmente diferente que estamos apresentando, mas acaba sugerindo também que se trata daquela coisa clássica de contos de fadas, com túnicas brancas e essa coisa toda, mas nós não somos essa série. Espero que através do boca a boca as pessoas discutam sobre a série e se tornem atraídas pela ideia e passem a assistir Once Upon a Time na 2ª temporada.

Ligado: Como você está lidando com todo o sucesso? Alguma vez você imaginar que viria a este nível intenso?

Jennifer: Você sabe, para mim que nem tudo é muito real. Eu realmente amo o que faço e eu amo ser uma atriz, isso é tudo que eu queria. Mas acaba que para fazer tudo isso, acaba que a gente sacrifica um pouco a nossa vida pessoal e tudo que está relacionado. Não sei se isso vai ser natural para o ser humano, mas aceito que é parte do trabalho e eu procuro sempre ver o lado bom em tudo isso. Tento sempre ser muito grata à minha família e amigos que continuam me tratando do mesmo jeito, pois sei que sou a mesma que fui aos três, dez ou vinte e cinco anos. Eu tento não me deixar levar pela fama e apenas me sinto grata que as pessoas estão gostando da série e espero que elas continuem assistindo para que eu continue atuando.

Ligado: Muito obrigado pela conversa e esperamos que você tenha muitas temporadas pela frente!

Jennifer: Obrigada! Muito obrigada! Tenham todos uma boa noite!

5 respostas para “Entrevista Exclusiva: Jennifer Morrison, de Once Upon a Time e House!”

  1. Saulo Lima disse:

    chiques

  2. Andre Justus disse:

    incrível, só de ler as respostas dela, já é possível imaginar o quão simpática ela é (:

  3. Raquel Alves disse:

    Queria ver em vídeo também. 

  4. Inn Moura disse:

    Não se deve colocar na introdução algo que não será desenvolvido no resto do texto. Li a entrevista esperando a parte que ela fala de House e nada.

  5. O texto não é introdução para a entrevista, é um resumo da coletiva e, em seguida, a entrevista exclusiva.

Deixe uma resposta

ss