FOTO: REPRODUçãO

Por: Davi Garcia

Game of Thrones: The Old Gods and the New

[com spoilers do episódio 2×06] A preparação de terreno acabou e é hora de ver as muitas peças deste arco da trama de Game of Thrones finalmente se chocarem. Em suma, essa foi a mensagem deixada por  “The Old Gods and the New”, episódio que abriu a 2ª metade da temporada com eventos importantes e que podem ser, sobretudo, decisivos para o desdobramento da guerra que se agiganta envolvendo interesses tão diversos e autênticos quanto ingênuos e equivocados nos vários cantos de Westeros. 

Na sequência que abre o episódio, por exemplo, vemos o inseguro Theon Greyjoy tomando Winterfell como uma espécie de prova de valor à família que nunca foi a dele (os Greyjoy) e, no processo, perdendo também aquela que de fato o criou e lhe deu valores (os Stark). Os mesmos valores que ele agora renega e trai, ainda que tomado pela dúvida (uma noção que a cena da morte de Sir Rodrick deixa evidente), em nome da necessidade de se afirmar e de (tentar) se estabelecer como o lorde que na verdade nunca foi.

Nesse mesmo panorama, não deixa de ser curiosa a reação do rei sociopata Joffrey, que ao se ver desafiado em King’s Landing pelo mesmo povo que ele tanto insiste em torturar e massacrar (ignorando-os sem lhes dar condições de sobreviver dignamente), não consegue compreender, mesmo numa situação limite como aquela, que a política do medo e da intimidação nem sempre são armas eficientes de governo. Uma lição que seu tio, Tyrion (de novo, o único que parece ter a exata noção das coisas na capital), mais uma vez deixa bem clara ao classificar o sobrinho como um rei perverso e idiota.

Das belíssimas sequências envolvendo os esforços dos guardiões da noite para avançar em território selvagem, duas coisas: (1) que elas serviram, basicamente, para introduzir uma nova personagem (afinal, a série tem tão poucos, né?) e (2) para ilustrar a luta de Jon Snow para descobrir seus limites à medida em que depara-se com um novo e perigoso conflito. Uma situação que inclusive parece se repetir com Robb, que inicialmente confortável com as conquistas no norte a ponto de dar vazão a seu interesse pela misteriosa Talisa de Volantis, logo se vê dividido entre o desejo de retomar Winterfell ou seguir acuando os Lannisters.

E se a visita de Baelish a Tywin serviu para nos mostrar mais uma vez um homem disposto a jogar (ou se vender) a quem puder garantir sua posição, ela também colocou Arya vendo-se ameaçada de ter seu disfarce descoberto (Baelish a reconheceu ou não?) e, com isso, perder a chance de seguir tentando descobrir um ponto fraco de Tywin que pudesse favorecer os esforços do irmão no norte em sua batalha contra a família que trouxe o caos aos Starks.

Por falar em caos, que tal a encruzilhada na qual Daenerys se encontra ao final do episódio frente o sequestro de seus dragões logo após as tentativas frustradas de ganhar o apoio dos poderosos de Qarth usando apenas palavras de efeito (“Tomarei o que é meu com sangue e fogo”), mas que no fim não representam nenhuma moeda de troca efetiva? Que o próximo episódio nos responda essa questão e mantenha a mesma fluidez narrativa deste eficiente capítulo.

5 respostas para “Game of Thrones: The Old Gods and the New”

  1. Lairton Bezerra disse:

    Excelente episódio, como imaginado, a 2º metade da temporada ia deixar a “diplomacia” de lado e as coisas começarem a acontecer, algumas coisas alheias ao livro mas a série continua indo muito bem em sua adaptação, esperemos que nos próximos dois episódios as coisas fluam bem já que infelizmente só são 10 episódios.

    p.s: realmente, pra quem preza pela fidelidade a obra original, dividir o livro em duas temporadas é bem melhor, muita coisa pra pouco “tempo”.

  2. Aline Delarmelina disse:

    Acho que estou sozinha nessa, mas achei o episódio monótono. A única sequência que achei sensacional e que por sinal foi muito fiel ao livro foi a partida de Myrcella pra Dorne, com o ataque  do povo aos Lannisters e a Sansa sendo salva pelo The Hound. A parte do sacerdote sendo esquartejado me deu arrepios e o tapa de Tyrion na cara do Joffrey foi sensacional! Não tenho gostado da interpretação da Emilia Clarke (Daenerys). Vejo uma carinha de criança com muita inocência nos olhos e pouca voz de comando para quem se diz herdeira dos sete reinos. Lendo os livros imaginava que a essa altura da história ela já estaria bem mais madura. Robb Stark e Jon Snow foram retratados como totalmente imaturos nesse episódio, sendo que já provaram anteriormente que têm inteligência e sabem tomar atitudes muito maduras para personagens de apenas 15 anos. E, já que se não pode vencê-los, junte-se a eles, cansei de comentar as mudanças (cada vez mais bizarras) do livro para a série. sinto que os roteiristas querem dar explicação pra cada mínimo detalhe que acontece e às vezes largam de lado coisas mais importantes. 

  3. Cakki disse:

    Melhor episódio da temporada (até agora)!

    Que abertura, hein? Eu consigo ter nojo e pena do Theon ao mesmo tempo… Mas acho que nojo é a palavra que define… Eu entendo a confusão em que o Theon se meteu com as duas famílias, mas meu amor pelos Starks não permite que eu perdoe ele.

    Gente, confesso que chorei mto com a morte do Sor Rodrik (sei que a cena ficou diferente do livro e muitos não devem ter gostado, mas a mudança ficou boa)… A cena já estava triste por si só, mas o Bran gritando pro Theon parar foi de cortar meu coração…. Aí o Sor Rodrik ainda vira e diz que vai reencontrar o Ned, bom ai foi demais pra mim….

    Arya com Tywin sensacional como sempre! E a segunda morte do Jaqen tbm foi ótima! A Arya tá gastando os nomes com bobagens, mas, paciência… Esta hora já podia ter matado o Tywin e o Montanha (o que faria enorme diferença pro Robb na guerra), mas acho que por ela ser criança não consegue enxergar as coisas a longo prazo, só no imediato mesmo.

    Tyrion, tbm como sempre, sensacional! E mostrando, de novo, que é o único que enxerga o Jogo dos Tronos e o que acontece em Porto Real como ninguém!! E que cena fantástica aquela em que ele dá um bom tapa na cara do Joffrey! =)

    Enquanto os irmãos Starks se ferram por toda Westeros… O Robb preocupado com uma guria idiota… Nada como os hormônios para inverter as reais preocupações do Jovem Lobo…. Sem comentários para isso…

    E, falando em hormônios, Osha enganou o trouxa do Theon direitinho… Com direito a fuga dos pequenos Starks, dela, do Hodor e dos lobos!! o/

    Bom, só pra não passar em branco: adorei a chegada na Ygritte no seriado e, de novo, o Fantasma no meio da neve tava mtooo fofo!

    E, finalizando: já enchi o saco do discurso “I’ll take what is mine” da Dany…. Sei que no “Fúria dos Reis” a história dela não anda mto mesmo, mas já que estão mudando tantas coisinhas, podiam dar uma incrementada nos discursos furados dela…

  4. Junior disse:

    Não sei se eu vi demais, mas alguém além de mim viu o corvo de 3 olhos com o Luwin no começo do episódio?

  5. Cakki disse:

    Sabe que fiquei com essa mesma impressão!

    Tbm achei que era o corvo de 3 olhos.

Deixe uma resposta

ss