FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Smash: Publicity

[com spoilers do episódio 1×12] ” Mantenha seus amigos por perto e seus inimigos mais próximos ainda”. Este parece ser o lema de Rebecca Duvall, depois que o assistente bocudo Ellis mais uma vez fez intriga nos bastidores de Bombshell. A estrela de cinema decidiu então levar Karen para experimentar de perto o gosto dos holofotes da fama, sabendo as consequências que aquilo pode causar, seja com a imagem da substituta e para sua vida pessoal. Aliás, todo o primeiro ato de Publicity teria sido impecável, com uma montagem ágil e um belo número musical de Karen em um casa de shows, se não jogassem de novo mais uma historinha ridícula do filho de Julia, que agora resolveu dar outro piti desaparecendo. O casting do ator Emory Cohen como o tal Leo é um dos piores da atual safra televisiva, um adulto de 22 anos interpretando um moleque de 17, sem o menor talento para convencer como tal.

Outra sequência que causou discórdia neste capítulo foi o número Bollywood que Karen “sonha” após a briga de seu namorado com Rebecca. Pois eu achei excelente, bem produzido, e com a presença de todos os “núcleos” da série, que dificilmente poderiam ser inseridos num contexto normal da produção. Além de prestar uma homenagem a esta cultura dentro de um contexto (Dev é indiano e eles estavam em um restaurante indiano), a série seguiu a cartilha ao, de certa forma, interromper a narrativa com o musical, como é comum em grande parte dos filmes produzidos naquele país. Mas o grande destaque do episódio ficou mesmo com Ivy, arquitetando um plano mesquinho para roubar a cena de Karen e reconquistar o seu papel no musical. Ela somente não contava com a sagacidade de Rebecca (que de boba não tem nada) em exigir que a música composta para a substituta voltasse a ser cantada por Marylin. Smash  recuperou o fôlego e entra na reta final novamente interessante e ágil, focando no musical (tirando os deslizes com o menino) e em boas músicas.

6 respostas para “Smash: Publicity”

  1. gabs disse:

    é sempre bom acompanhar um seriado e ver que ele tem mais triunfos do que falhas. realmente, esse draminha mexicano da Julia ja deu no saco. Também não gosto da Uma Thurman, ela nunca me convenceu muito, mas o Derek (tanto o ator quanto o personagem) compensa toda e qualquer falha de atuação…fico tão ansiosa pra ver que nem espero mais legendas HAHAHAHA bom texto, concordo com cada linha! (:

  2. Fabio Miranda disse:

    A Uma foi um dos grandes acertos desse final de temporada. Ela cumpre muito bem o papel proposto: o da atriz de cinema que conseguiu um papel na Broadway mais pela sua fama do que pelo seu talento. A cena final do episódio com ela “sugerindo” que a Marilyn deveria cantar a nova música é sensacional e coerente com o enredo da história.

  3. Rodolfo Costa disse:

    Adorei o momento “Caminho das Índias” também. Assim como adorei o episódio.

  4. Diogo disse:

    Também gostei do momento caminho das índias. Só acho muito forçado dizer que o sonho não foi dentro do contexto. afinal, se o sonho é da Karen, como ele conhece o filho da Júlia? e a indecisão do Tom entre os dois caras? que o Ellis é um larápio? que a família da Júlia está passando por problemas? e do caso da Eileen com o barman?

    Realmente, não importa, todas as séries tem o direito de fazer suas viagens. Agora também não vamos dizer que todos os personagens foram encaixados nos sonhos de forma normal, até por que isso não é um problema e, repito, gostei bastante, só perde para ‘Mr. e Ms Smith’.

    Adoro quando Smash sai do armário

  5. Diogo disse:

    completando: só não gostei do plano da Ivy/Ellis. isso, sim foi vergonhoso. armação do nível de Gossip Girl

  6. Foi um bom episódio. O número musical estilo bollywood foi bem produzido e a música é muito boa. Só não aguento mais esses dramas que ninguém se importa sobre o filho mala da Júlia.

Deixe uma resposta

ss