FOTO: REPRODUçãO

Por: Davi Garcia

True Blood: In the Beginning

[com spoilers do episódio 5×07]  Pelo cinismo e pela porralouquice inerente do personagem, é justo dizer que o retorno efetivo de Russell Edgington para a trama dessa 5ª temporada de True Blood rendeu algumas sequências bem divertidas nesse episódio (vide a cena do karaoke que ele protagoniza antes de iniciar o massacre num bar, por exemplo). Pena, portanto, que para catalisar esses poucos momentos e ampliar o tom satírico que a série abraçou, seus roteiristas tenham aparentemente decidido jogar no lixo as (poucas) coisas boas que vinham ganhando espaço na temporada. Nesse contexto, o outrora promissor conflito que constituia o arco da Autoridade liderada por Roman Zimojic, resumiu-se a um golpe sem sentido (sim, porque nada explica o fato de todos os conselheiros terem sucumbido tão fácil e rapidamente aos ‘argumentos’ de Salome e do renascido Russell) que não só desperdiçou o bom personagem de Christopher Meloni, como também praticamente eliminou qualquer possibilidade de vermos a questão do extremismo sendo razoavelmente colocada sob perspectiva. Some-se a isso o surgimento tosco da tal Lilith e a aparição de Godric como uma versão vampiresca mal acabada de Obi Wan Kenobi e pronto: a trama que dava pinta de render algo bacana esse ano, começa a ir pro ralo levando os personagens junto. Assim, apesar dos pesares (leia-se subtramas bobas como a dos lobos; aquela da Sookie com as fadas ou a do demônio de fogo que gosta de trollar suas vítimas), reconheço que estava realmente gostando do ritmo da temporada e de sua trama central, mas tendo em vista o que esse “In the Beginning” nos trouxe, já começo a pensar que a única graça dos episódios que restam será a de ver Russell fora de controle tocando o terror sem qualquer limite com Eric arrependido (e talvez Bill, quem sabe) tentando recolocar ordem na casa com a ajuda de um médium que ainda não domina seus dons e uma fada que quer apenas descarregar suas baterias. Ou seja: pouco, muito pouco.

13 respostas para “True Blood: In the Beginning”

  1. Bea disse:

    A temporada realmente foi por água abaixo com este episódio. O desenvolvimento do arco da Autoridade nos episódios anteriores não serviu para nada, visto que acabaram com a trama mais interessante da maneira mais tosca possível. Por que introduzir e desenvolver minimamente um personagem interessante se ele não vai servir para absolutamente nada no fim das contas? Pessoalmente, detesto o personagem Russell e isso desde que ele foi o principal vilão da 3 temporada. Acho ele chato, irritante, desinteressante e sem uma mínima profundidade/desenvolvimento (em 6 episódios desenvolveram melhor o Roman, que foi morto, do que o Russell em uma temporada inteira). Não que eu espere profundidade e muito desenvolvimento dos personagens dessa série.

    Aliás, acho que um dos grandes defeitos da série está justamente no fato de escolherem vilões chatos, desinteressantes e muito irritantes, algo que foi menos marcante na primeira temporada, mas que desde a segunda torna assistir as cenas focadas nos mesmos quase uma tortura para mim.

    Não me importaria tanto com as subtramas bobas se não tentassem mostrar todas elas em um único episódio em detrimento da trama principal. Uma ou no máximo duas por episódio já seria mais do que generoso.

    Neste ritmo nem mesmo como guilty pleasure vai dar para assistir.

  2. Concordo sobre os vilões fracos, tirando aquela que pegava o Sam. Fiquei muito decepcionado ao saber que o Russel iria voltar pra série, não havia necessidade nenhuma disso, bastava colocar um personagem mais interessante e mais bem desenvolvido. Nesse episódio usaram mutias desculpas do tipo “clone do Homem-Aranha”, me explico melhor: “como você soube onde ele está enterrado?”, “segui vocês”, WTF?!
    Porque não pegar personagens interessantes para desenvolver boas histórias com o que já foi apresentado deles? Jessica! Mas não eles tem que inventar mais histórias inúteis, Ifrit, o demônio que não sai do Lafayete, pais da Sookie mortos por um vampiro, Tara vampira, Hoyt mau, disputa dos lobos. É tanta sub-histórias chatas que da até desgosto em assistir.
    Se for pra sobreviver de 5 minutos bons em um episódio de 55 minutos, eu vejo no YouTube.

  3. Raquel Alves disse:

    Cara, eu que não sou muito exigente, principalmente com True Blood, achei uma droga esse episódio, um monte de plot ruim aleatória, foi só isso o episódio.
    Não tenho mais esperança com essa temporada que podia ser ótima.

  4. pethy disse:

    qual a cena mais avulsa do episódio??

    Andy indo visitar o ex delegado aposentando que, no momento, estava traindo a esposa em uma banheira com outra mulher….ou…..Arlene assistindo ao vídeo de seu casamento com sua amiga, cujo o nome agora não me lembro, com direito a lágrimas e abracinho no final da cena?

  5. Até eu que sou defensor ferrenho de True Blood e tô sempre aqui tentando argumentar a favor, tenho que concordar, esse episódio foi bem fim de carreira… hahah

  6. Ainda tô abismado com a cena do Andy e do antigo xerife! hahah

  7. kk disse:

    o ligado em série não gosta de nada

  8. kk disse:

    o ligado em série não gosta de nada

  9. Rodolfo Costa disse:

    Eu até gostei da cena do vídeo. Mostrou um pedacinho de um período que não vimos porque a Sookie estava em outra dimensão.

  10. Rodolfo Costa disse:

    É… não foi um dos melhores episódios da série.

  11. Ismael disse:

    A Tara fazendo pole dance… meeeu deus.

    Os produtores devem estar com alguma dívida trabalhista com ela, alguma coisa do gênero. Não é possível.

  12. Evaristo disse:

    Gente, vocês acreditam MESMO que o personagem do Meloni morreu e que o arco “Sanguinistas versus Autoridade” chegou ao fim?

  13. A série está bem, está evoluindo as poucos para melhor estou preocupada ser for renovada para 6º temporada o Diretor AB vai sair e vai entra outra pessoa no lugar dele estou preocupada ser a série vai voltar com era antes cada episódio de tira o fôlego

Deixe uma resposta

ss