FOTO: REPRODUçãO

Por: Redação Ligado em Série

Ligado Entrevista: Taylor Schilling e Jason Biggs, de Orange is the New Black

Em evento, atores e criadora da série conversaram sobre a nova comédia da Netflix

biggsorangePor Caio Fochetto, correspondente especial do Ligado em Série Após o lançamento de Arrested Development, o serviço de streaming Netflix traz uma nova comédia, sua quarta produção original. A convite da empresa, passamos a manhã desta segunda com parte do elenco conversando sobre a série. Em São Paulo estiveram Jason Biggs e a autora Piper Kerman, com Taylor Schilling por telefone. Orange is the New Black é baseada na história real de Kerman, que passou um tempo na prisão. A série tem criação e produção executiva é de Jenji Kohan, da politicamente incorreta Weeds.

Primeiramente, Taylor nos contou que a personagem mostrará diferentes camadas na telinha, transformando-se numa Piper diferente da que é retratada no livro. Para a atriz, dar vida a alguém que já existe não foi um problema. Ela conversou bastante com a criadora sobre sua personagem ser outra, justamente por viver em circunstâncias diferentes da história real.

Mesmo assim, Schilling não nega que ter a Piper original no estúdio tenha sido positivo. A autora retribuiu contando que foi um alívio ver a primeira gravação da série e perceber que tudo iria funcionar como imaginava. Os episódios de Orange is the New Black têm cinquenta minutos de duração e mostram não apenas como Piper acabou atrás das grades, mas também a vida de suas “amigas de cela”. A protagonista, por exemplo, trocou de rotina após viver um longo relacionamento com uma traficante de drogas, Alex, interpretada por Laura Prepon (That ’70s Show).

painelbiggs

Já Jason Biggs, que vive o noivo de Pipper, Larry, disse que apesar de estar afastado do núcleo principal, seu personagem é fundamental para entendermos a protagonista e confirmou que retornará na segunda temporada (já garantida), ainda que com uma história um pouco mais independente. O fato de Larry não estar no cenário principal não parece  incomodar o ator, embora ele tenha sido sincero e afirmado que esta foi sua principal preocupação após ler o roteiro pela primeira vez. Ele contou que havia decidido dar um tempo em televisão desde o cancelamento de Mad Love até que aparecesse um personagem mais profundo, em um projeto que interessante o suficiente. Segundo ele, o que o atraiu em Orange foi a assinatura de Kohan.

Com humor, a novidade da Netflix traz um pouco do universo penitenciário feminino, investindo em críticas sociais e fatos curiosos sobre um ambiente tão longe da realidade da maioria dos assinantes do serviço. Esta era uma das preocupações de Piper Kerman, inclusive com seu livro. Seu objetivo maior era contar o que acontecia com uma pessoa quando ela vai presa. Para ela, contar esta história através da Netflix acabou se tornando uma experiência mais completa. Há um compromisso com a criação, o que traz mais liberdade aos profissionais envolvidos e um resultado melhor para o público final. A primeira temporada completa de Orange is the New Black já está disponível na Netflix.

Caio Fochetto é editor do site Box de Séries.

Deixe uma resposta

ss