FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Crítica | O maravilhoso piloto de The Strain

the strain guillermo

Fãs de séries raramente tem a oportunidade de se deparar com um episódio piloto que cumulativamente estabelece bem a sua história, apresenta com calma seus personagens e inicia o desenvolvimento da trama de forma eficiente. Felizmente The Strain, nova série do FX, abre sua temporada desta forma, fazendo com que esta já seja a melhor surpresa do segundo semestre de 2014.

Baseada no livro homônimo de Chuck Hogan e Guillermo Del Toro, com co-produção de Carlton Cuse (LOST) e piloto co-roteirizado e dirigido por Guillermo Del Toro (Pacific Rim), o drama tem início quando um avião originário de Berlin pousa em piloto automático no aeroporto JFK, após uma estranha manifestação ter aparentemente matado todos os passageiros a bordo. A investigação é liderada pelo Dr. Ephraim Goodweather (Corey Stoll, de House of Cards). Pouco a pouco vamos sendo inseridos num universo bizarro que mistura elementos de Fringe, The Walking Dead e American Horror Story, quando descobrimos que o evento foi causado por uma criatura que move-se como um vulto, contamina pessoas com uma espécie de verme e transforma-os em “zumbis” portadores (e que em breve descobriremos o que realmente são, embora o piloto tenha dado vááárias dicas). Mas sem spoilers aqui.

strainpilot

Em pouco mais de uma hora, somos apresentados a vários personagens que – distintos e isolados a princípio – tomam parte numa narrativa intrincada, ramificada e maravilhosamente orquestrada, que jamais soa desconexa ou entediante. Este primeiro episódio se passa no ínterim de uma madrugada e a tensão do piloto é elevada exponencialmente à medida em que acompanhamos os esforços de uma misteriosa empresa em retirar a criatura a salvo do JFK.

No elenco ainda estão os ótimos David Bradley (Doctor Who), Sean Astin (Lord of the Rings), Francis Capra (Veronica Mars) e Kevin Durand (LOST). Sem medo de explorar o gore absoluto, o oculto e a atmosfera de filmes de horror B em cenas chocantes – que demonstram um cuidado especial com maquiagem e efeitos visuais -, The Strain traz ainda planos que já nascem memoráveis como aquele que acompanha a criatura desaparecendo no armazém ou os eficientes travellings que acentuam momentos de pavor, sem desviar o foco dos momentos mais horripilantes.

Interessante, ainda, que a série não poupa revelar nada. Assim, é com surpresa que vemos logo de cara as criaturas que certamente proliferarão, com direito a vários e intrigantes twists narrativos. Fato é que na mão de realizadores menos competentes, este drama inevitavelmente seria caricato ou infantil, pois a história do livro poderia facilmente transcrever para a tela como uma bobagem típica de CW. Mas a direção firme de Del Toro e a seriedade que o roteiro trata as situações absurdas acabam trazendo uma maturidade única a esta produção. Que belo piloto.

5star

The Strain terá treze episódios e, por enquanto, não tem emissora definida no Brasil.

Uma resposta para “Crítica | O maravilhoso piloto de The Strain”

  1. Igor Ogawa disse:

    Muuito interessante! Estava dando uma olhada em trailers de novas séries e me deparei com o de The Strain. Quando descobri que era baseado em livros do Del Toro, corri pra baixar. Excelente crítica. Vou assistir ao primeiro episódio agora mesmo.

Deixe uma resposta

ss