FOTO: REPRODUçãO

Por: Redação Ligado em Série

Crítica | Veep 4×06: Storms and Pancakes

veep 406

[com spoilers do episódio 4×06] Na crítica do primeiro episódio, comentei que Veep era basicamente um amontoado de one-liners brilhantes e que os elementos ao redor eram apenas combustível para alimentar esse gás do riso. Pois assim como aconteceu em Convention, Storms and Pancakes mostra uma preocupante perda de gás na insanidade descontrolada da série, não conseguindo provocar risadas, não despejando seus tradicionais diálogos e basicamente se entregando sem piedades ao maçantismo.

Porque provavelmente colocaram uma mesa de pebolim na sala dos roteiristas, já que este sexto episódio simplesmente decide não tentar: a trama envolvendo Selina e Tom James se resume a ter uma piada repetida à exaustão repetida à exaustão (a saber: Tom é carismático, Selina não, Selina fica com inveja), tornando os eventos previsíveis e cortando a garganta do humor. Não há um exagero, uma hipérbole, uma oportunidade aproveitada para estapear o espectador com algo surpreendente (o momento em que Selina fala do mel das abelhas, por exemplo, é desperdiçado). É um exercício quase zen acompanhar o desenrolar das coisas, e provavelmente testemunhar o andamento do “conflito” envolvendo a panqueca especial deve ser muito semelhante a meditar.

Não ajudou muito também arremessar Dan e Amy na iniciativa privada, uma vez que lá a síndrome da piada repetida volta a se alastrar feito fogo em um monte de palha embebida em combustível e dentro de uma redoma de hidrogênio – Amy está com ódio da Casa Branca, Dan conta vantagem sobre qualquer coisa, a empresa não tem mãe e age da forma mais gananciosa possível, e por aí vai. Há um ou outro acerto – a cena dos policiais -, mas são situações pontuais e nem de longe lembram o dinamismo e a intensidade que Veep costuma apresentar. Além disso, a odisseia testicular de Jonah soa como mera encheção de linguiça (sem trocadilhos) e poderia muito bem ter sido cortada na pré-seleção.

A impressão que passa é que, ao separar suas personagens, Veep tirou a ótima dinâmica que o conjunto mantinha (diálogos ágeis, intensidade, empolgação) sem disponibilizar novas ferramentas para esses cenários, fazendo com que todos os núcleos passem a ideia de que algo está faltando. Com exceção das intervenções de um Ben solitário, essas sim piadas recém-pescadas do mar, e de um Hugh Laurie carismático, Storms and Pancakes oferece muito pouco em seus trinta minutos de arrastamento. A campanha de Selina anda meio irregular, mas a da série talvez esteja ainda pior.

2star

Uma resposta para “Crítica | Veep 4×06: Storms and Pancakes”

  1. vigomide disse:

    Concordo muito com a parte da separação da equipe. Aquilo ali era muito bom junto, como ficará o desenrolar disso, eu não sei.
    Mas espero que entrem na linha, porque Veep é uma das melhores coisas que aconteceu nos últimos tempos.

Deixe um comentário

ss