FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Crítica | True Detective 2×01: The Western Book of the Dead

truedetective2

[sem spoilers] A HBO nos convidou para assistir aos três primeiros episódios da nova temporada de True Detective, série antológica criada por Nic Pizzolatto e que surpreendeu público e crítica em seu ano de debute por trazer uma trama policial densa e complexa, numa narrativa que costurava muito bem eventos ocorridos no passado com uma investigação de brutais assassinatos no presente.

Já na segunda temporada (e só podemos falar do primeiro episódio por ora), todo o elenco e a ambientação foram alterados. A história agora se passa em Los Angeles e arredores, em especial no distrito de Vinci, e o foco agora está em quatro personagens, sendo três deles policiais interpretados por Colin Farrell (Ray Velcoro, um detetive amargurado, corrupto e com um passado sombrio), Rachel McAdams (Ani Bezzerides, uma detetive do condado de Ventura viciada em jogos de azar) e Taylor Kitsch (Paul Woodrugh, um patrulheiro rodoviário do Estado da Califórnia), além de Vince Vaughn, (Frank Seymon, um empreendedor do ramo imobiliário que está para desenvolver um grande projeto no estado utilizando de meios escusos e correndo o risco de perder todo o seu investimento).

TrueDetectiveS022

A série manteve a fotografia seca e granulada, mas aqui com um visual industrial e mais noturno, abusando desnecessariamente de establishing shots aéreos de viadutos e fábricas. Logo no início vemos Velcoro numa espécie de interrogatório mesclado com um flashback que emula a fórmula da primeira temporada, mas isso não passou de uma simples menção. Toda a trama aparentemente se passará no presente e tem como fio condutor o desaparecimento do administrador de cidades do condado de Vinci, responsável por viabilizar o empreendimento de Seymon, que ao fim é descoberto morto em circunstâncias bizarras (com os olhos queimados por ácido e sem o órgão sexual).

TrueDetectiveS021

O roteiro cumpre com eficiência a função de unir os quatro personagens de quatro tramas paralelas em torno do caso. Já os diálogos, contudo, não são tão profundos e pungentes como aqueles ditos por Rust e Marty na primeira temporada, o que havia se tornado a marca registrada da produção. Em termos de atuação, entretanto, dá pra dizer logo de cara que tanto Vaughn como McAdams e Kitsch estão ótimos e Colin Farrell está excepcional. Infelizmente neste início a composição destas personagens não trouxe elementos que os tornem marcantes como os trejeitos de McConaughey ou a amargura de Harrelson.

truedetectives2

Apenas ao final do episódio conseguimos ver com clareza o rumo que a temporada tomará, pois são vários os indícios de que o ocorrido pode ter algo a ver com orgias frequentadas por magnatas nos arredores de Hollywood. Sem inovar em termos narrativos e com uma direção apenas satisfatória de Justin Lin (Velozes e Furiosos), o que dá pra dizer com base neste início é que esta temporada provavelmente seguirá como uma simples investigação criminal em vez de aprofundar-se no complexo e intrigante estudo de personagens que vimos no ano anterior. O segundo episódio traz um momento impactante (abordarei isso em críticas futuras), mas essa definitivamente não é a True Detective que conhecemos. Tomara que o restante da temporada me prove errado.

3star

A série estreia neste domingo 21 às 22h na HBO Brasil.

31 respostas para “Crítica | True Detective 2×01: The Western Book of the Dead”

  1. Marcus Vinicius Lima Martins disse:

    O episódio foi bastante ruim. O reconhecimento se dá mais por ter a grife HBO e True Detective, do que por méritos próprios desse primeiro episódio. Foi como se o os autores não soubesse o que escrever e tiveram que mostrar várias cenas de estradas, ao ponto de ficar irritante. A série quis ter causar um suspense intrigante, mas deixou isso para 10 minutos finais do episódio que já estava mal andando. Teve momentos confusos, primeiro eu achei que o personagem do Vince Vaugh fosse gay, depois, hetero, depois bi, e depois já não entendi mais nada. Sei que isso especificamente não importa, mas já que é mostrado na tela e isso é uma obra televisiva, fica a dúvida se isso será importante em algum momento da história.

  2. Concordo com o texto. Realmente, senti muita falta dos diálogos fodões da primeira temporada; nesse piloto, nenhum se destaca. Além disso, fico com o gosto amargo pelo fato de parecer uma série policial… Comum. E nada mais triste do que isso quando falamos de True Dectetive.
    Por outro lado, o roteiro continua bom. A forma como o destino dos personagens se cruzou foi bastante orgânica e a história conseguiu me prender.
    Aguardando os próximos…

  3. Matthew Rockatansky disse:

    pelo amor de deus.
    quem leu o livro do rei amarelo, já percebeu que os olhos do cara queimado se remetem a um pedaço da peça.

    sim, a sexualidade, o ato, o sexo, é importante, como nota-se desde a primeira temporada, pelo seu teor, dentro da maioria de “seitas” e cia., do seu potencial de liberar certos tipos de energia, não à toa percebemos logo no primeiro episódio que todos os personagens têm algum problema relacionado ao sexo.

  4. Devandir Sisdeli Junior disse:

    Que musiquinha ruim a da abertura hein!?

  5. Matthew Rockatansky disse:

    péssima x.x

  6. Nicole disse:

    O episódio foi péssimo, me pareceu uma espécie de paródia de tudo que teve de bom na temporada anterior. O que foi aquela cena do bar com Vaughn e Farrell com a câmera alternando olhares de cada um? Parece que foi feita só pra dar boas imagens pro trailer da série. Por mim podia ficar toda temporada só focada no Kitsch e na McAdams que era mais negócio.

  7. Matthew Rockatansky disse:

    Talvez tenha uma tensão sexual entre ambos.
    Os dois claramente têm problemas sexuais com suas companheira/ex., parece que não podem engravidá-las.

  8. Marcos R. disse:

    Episódio de apresentação interessante e bem escrito. As tramas dos 4 foram pinceladas e me fisgaram completamente. É uma antologia, e a base narrativa deve ser alterada. O que importa é a atmosfera e a fotografia marcante. Deixem de ser saudosistas, o episódio foi ótimo e boto fé nessa temporada tanto quanto a primeira!

  9. SuzukaDriver90 disse:

    KKKKKKKKKKKKKK

  10. João Paulo Dos Santos disse:

    A do trailer é muito melhor. A enganação ao publico ja começou na abertura

  11. Marcelo Marcolino disse:

    Não senti o mesmo impacto de quando assisti ao primeiro episódio da primeira temporada.
    Pode ser que engate, mas acho difícil.

  12. Magnosama disse:

    Fico feliz que a série não tente emular a 1ª temporada, nem em clima nem nos personagens, e que procure novos rumos. Essa tentativa poderia ser o fracasso da série. Gostei do primeiro episódio, da tensão e de todos os personagens, muito interessantes e que me fazer querer voltar a ver e acompanhar suas histórias.

    Ótimo início de temporada. Ansioso pelos próximos.

  13. Silvio Ferreira disse:

    Que mão pesada nas opiniões. Em um arco formatado para se desenvolver em 8 horas, é claro que o primeiro episódio mostraria pouco e só ajeitaria as peças no tabuleiro. Por ser uma antologia, a parte de apresentar burocraticamente novos personagens gasta um tempo considerável – e são tantos de relevo nessa temporada.
    Ainda não vi nada de novo como na primeira temporada, mas ver esses arquétipos de romance policiais são sempre bem-vindos para os que curtem romance policial; o que é o meu caso.
    O final não gerou em mim expectativa grande para o próximo, mas com certeza me fisgou. Que venha o próximo. ”I welcome judgement.”

  14. Vini Medina disse:

    Pior season premiere que já assisti. Roteiro mal construído, história confusa, personagens óbvios e pouco profundos. Ao que tudo indica, mais uma trama policial cheia de clichês. O que é aquela cena dos protagonistas se olhando no final? Ficaram parecendo os power rangers (é hora de morfar!) Pqp. Tem até um mafioso/empresário russo! É serio isso? Na minha opinião, nem o Colin Farrell se salvou. Atuação tão forçada quanto aquele bigode. Enfim, perdi a vontade de assistir.

  15. Antô disse:

    Que decepção!! O primeiro episódio é muito inferior ao da primeira temporada. Tudo é muito confuso, picotado, superficial e o plot é bem clichê de séries policiais – um figurão encontrado morto com possíveis links a a orgias, empresários e a nata da sociedade. Os atores estão ótimos, mas o roteiro me parece muito fraco, Vou continuar assistindo prá ver se melhora, mas sem dúvida não chega aos pés do roteiro da primeira temporada.

  16. Eduardo Horta disse:

    A música do teaser “changes will come to those who have no fear..” é muito boa e pra mim se equipara a da abertura da primeira temporada. Fui ver o episódio já com ela na cabeça e de repente tem uma música super escrota na intro. Entendi nada.

  17. Sergio Souza disse:

    Acho que o maior problema dessa segunda temporada foi o excesso de personagens. Se na primeira logo de cara ficamos encantados com MacConaughey e Harrelson, foram porque estes tiveram um bom tempo em cena, e tiveram obviamente seus diálogos mais bem desenvolvidos pelo fato de terem tempo suficiente para isto. Aqui temos 5 ótimos protagonistas, o que já exige um trabalho ainda mais elaborado dos roteiristas e pede uma direção sem exageros, o que não aconteceu, pois Justin Lin pareceu querer dar uma grandiosidade ainda maior ao piloto, com várias tomadas desnecessárias (desperdiçando o tão precioso tempo que deveria ser mais aproveitado com esta renca de personagens). E para quem (como eu) acabou de ver Sons of Anarchy, sim, o Galen parace que apenas migrou de uma série para outra…
    Espero que nos próximos episódios possamos conhecer melhor sobre o passado e futuro desses personagens, da mesma maneira que na temporada anterior, onde cada descoberta gera ainda mais ansiedade sobre o que está por vir, e tomara que a direção melhore e pare que querer chamar atenção pra si mesma.

  18. Vicente Almeida disse:

    Bruno você avisou “Sem spoilers”.
    E em seguida escreve
    “ao fim é descoberto morto em circunstâncias bizarras com os olhos queimados por ácido e sem o órgão sexual”.
    Sacanagem.
    Você tem total liberdade de escrever quantos spoilers quiser.
    Mas pelo menos avise certo.

  19. Marcus Vinicius Lima Martins disse:

    Achei que só havia reparado no excessos de planos gerias.

  20. Yum disse:

    Realmente até agora não se comparou à primeira temporada, só na cena final que me animei. Mas pode ser que por ter que apresentar tantos personagens, o primeiro capitulo tenha ficado meio perdido mesmo. Vou insistir em ver só pq amei a primeira temporada.

  21. rodrigosantos disse:

    Exatamente. Por mais q os fãs desejem uma continuação nos mesmos termos, os criadores da série parecem ter sempre partido da premissa de que cada temporada tem um viés próprio. Há a troca de elenco e tudo mais. Criativamente abre mais possibilidades p/ direção e elenco.

  22. Josh Fernandes disse:

    Desculpa mas ele não disse quem, só mencionou que seria sócio de Vinci e administrador da cidade, isso é mencionado até na sinopse da série “Frank Semyon, um criminoso que corre o risco de perder todo império quando sua intenção de começar um novo e legítimo negócio é abalada pelo assassinato de seu sócio”. Ainda sim o autor do texto não precisava ir tão fundo escrevendo; “com os olhos queimados por ácido e sem o órgão sexual”.

  23. Rei Ragnar † disse:

    Gostei bastante do episódio, das performances, do enredo que tem muito potencial, digo que esse season premiere, para mim, foi melhor que o da primeira temporada. Acho que o único problema foi apresentar as origens dos quatro protagonistas de uma vez só, mas são apenas oito episódios, então temos que relevar. A fotografia é a mesma, a identidade da série foi mantida. Claro que as comparações serão inevitáveis com a primeira temporada. Talvez a história não traga a originalidade que a outra teve, mas foi muito boa a estreia, na minha opinião.

    Ah, e achei perfeita a abertura e a música escolhida.

    “Ill butt-fuck your father with your mothers headless corpse on the front lawn… You like bullying kids do ya ASS-PEN…12 years old my ass…. FUCK YOU”. Épico hahaha.

  24. Isso é a sinopse amg. Não é spoiler. Está em todos os materiais de divulgação e é o PONTO DE PARTIDA pra série. Isso não é spoiler.

  25. Danilo Souza disse:

    De fato, foi um episódio eficaz. Certamente, a comparação com a primeira temporada é inevitável, e esse episódio realmente não está no mesmo nível. Mas o nível da primeira temporada, desde o primeiro episódio, foi altíssimo. Ainda assim, teve bons momentos, boas atuações. Pena que o Justin Lin não é nenhum Cary Fukunaga. Nem de longe. Mas vamos ver, esse primeiro episódio foi bem introdutório mesmo, só cuidou da ambientação e de dar partida na trama, na espera do resto…

  26. Renato Silva disse:

    Caralho, musica horrivell! hahahahah

  27. Renato Silva disse:

    Momentos confusos?! HAHAHAHHAHAHHHA

  28. Renato Silva disse:

    Cara, pode me explicar a relação do rei de amarelo com essa parada dos olhos queimados? Fiquei intrigado, se tiver alguma referência vai ser foda!!!

  29. disqus_Ih8cMa577i disse:

    Adorei a primeira temporada, mas esta segunda não desceu. Atores bem mais ou menos, historia chata de CIS NY, musica ruim, diálogos banais. Esperava bem mais desta temporada. Estou no terceiro episódio e sem expectativas boas para o quarto. :(

  30. Luciano Oliveira disse:

    A abertura da série é a melhor de todos os tempos. A 1ª temporada, trama policial, ambientada no sul dos Estados Unidos, onde a influencia religiosa misturada com o “subdesenvolvimento local”, na decada de 80, sem internet, cria um ambiente cria um ambiente perfeito; A fotografia de abandono e ferrugem, o enredo e os personagens fortes nos diz que as modernidades do nosso tempo são na sua maioria futilidades, modinhas. O ser humano e a sua capacidade para o bem e para o mal, quando apresentados de forma verossímil, é insubstituível.

  31. Jesse Coronado disse:

    Eu gostei do episodio, e acho ridiculo comparala a 1 temporada, ja que falamos de uma antologia, ou seja, podemos dizer que e uma serie totalmente nova. Eu sinceramente nao estou esperando ver a mesma historia que vi no ano passado, ate porque se quisesse ver isso assistiria outras series policiais. Gostei da proposta da historia, atuaçoes de alto nivel, fotografia maravilhosa, como da anterior. Apenas a musica de abertura que pecaram. E por mais que essa temporada nao consiga ser melhor que a 1, ainda assim, ela e muito superior, a varias outras series de tv hj em dia. Vc que fica comparando as temporadas so tem a perder com isso, e nao vai aproveitar ao maximo o que o roteiro propoe.

Deixe uma resposta

ss