Crítica | Agents of SHIELD 3×01: Laws of Nature
Crítica | Agents of SHIELD 3×01: Laws of Nature

Crítica | Agents of SHIELD 3×01: Laws of Nature

SHIELD-Destaque

[contém spoilers] Quando estreou no segundo semestre de 2013, Agents of SHIELD tinha a importante tarefa de satisfazer a sede dos fãs por mais aventuras e novidades do Universo Cinematográfico Marvel, durante os intervalos entre os filmes. Porém, após um piloto promissor, SHIELD acabou se perdendo entre episódios que ficavam entre o mediano e o terrível. Logo ficou claro o que não estava funcionando: a estrutura do caso da semana e o excesso de referências fan service a heróis e vilões que nós sabíamos muito bem que jamais iriam aparecer na série. Assim sendo, foi só quando ocorreu o crossover com os eventos de Captain America – The Winter Soldier, que a série finalmente cumpriu a sua promessa de funcionar como uma expansão do Universo Marvel – o que levou à sua excepcional segunda temporada, que se saiu admiravelmente bem em sua tarefa de introduzir os Inumanos ao mesmo tempo que realmente se esforçava em criar um longo arco dramático para os seus personagens, com início, meio e fim.

Situada três meses depois dos trágicos eventos ocorridos no season finale da segunda temporada, o episódio “Laws of Nature” já começa com uma ótima sequência envolvendo a descoberta de um Inumano, que acaba culminando numa sequência de ação envolvendo misteriosos soldados e Daisy Johnson (a ex-Skye). Ainda vemos Coulson e a equipe tentando descobrir quem é esse misterioso grupo que está atrás dos Inumanos, liderados por Rosalind Price (Constance Zimmer, de UnREAL). Ao mesmo tempo, vemos Lance e Bobbi enfrentando uma breve crise, enquanto Fitz investiga uma pista que pode finalmente revelar o que aconteceu com Jemma – embora o resto da equipe parece já ter se resignado com a ideia de que a amiga está morta.

RosalindPrice-SHIELD

Um grande trunfo desse episódio (e da série, desde a segunda temporada) é finalmente abraçar, sem reservas, o fato de ser uma série de super-heróis, com direito a cenas nas quais vemos o potencial (e o perigo) dos poderes de Daisy , Lincoln e Joey (e créditos também devem ser dados para os efeitos visuais da produção, sempre convincentes). Simultaneamente, o episódio também se beneficia por não cometer o erro de mostrar todos os seus personagens de uma vez – e assim, Ward e May acabam ausentando-se, dando mais tempo para o roteiro respirar e mostrar a atual situação dos demais personagens. Além disso, fica estabelecido que já não haverá mais tanto espaço para o humor inconsequente e infantil dos primeiros episódios. Sim, é claro que há uma piadinha sarcástica aqui e ali, mas ao invés de surgir durante toda a produção, elas agora surgem nos momentos certos, funcionando mais como um mecanismo de defesa dos personagens para aliviar a péssima situação na qual se encontram.

E se antigamente, Skye, Coulson e Fitz soltavam suas tiradas mais rápidos do que uma metralhadora, agora só há espaço para a angustia e a duvida. Chloe Bennet foi uma das atrizes que mais evoluiu no decorrer da série, ilustrando bem a evolução da hacker inconsequente para uma agente e heroína madura e com potencial para ser uma líder no futuro. Enquanto isso, Clark Gregg está ótimo como sempre, ainda mais agora que Coulson tenta se adaptar ao seu braço amputado. Mas quem realmente surpreende e rouba a cena no episódio é Iain De Caestecker: outrora um alivio cômico irritante, Fitz parece agora carregar o peso do mundo das costas após tantos traumas físicos e psicológicos – e o seu desespero em sua cena final é tocante, numa prova não só do talento do ator, mas também dos roteiristas, que construíram maravilhosamente bem a dinâmica entre Fitz e Jemma nas temporadas passadas.

Com ótimas sequências de ação, uma aparição surpresa de um velho conhecido de Iron Man 3, e as inevitáveis referências aos eventos de Avengers: Age of Ultron e Ant-Man, “Laws of Nature” ainda se dá ao luxo  de não só jogar possíveis pistas para Captain America – Civil War, como ainda termina com um surpreendente cliffhanger que levanta algumas questões: alguma possibilidade da atual localização de Jemma estar conectada, de alguma forma, com Guardians of Galaxy?

5star

4 comentários

  1. Vini

    Que maravilha que SHIELD passará a ser comentada aqui. Espero que muita gente tenha continuado com a série depois dos primeiros episódios sofríveis do começo da primeira temporada. Pra quem não sabe, a partir do 10 as coisas começam a melhorar e a partir do 15 a série fica realmente boa. A segunda temporada inteira é impecável. E, na minha opinião, essa premiere da terceira temporada é até hoje o melhor episódio de toda a série. Essa tem tudo para ser a melhor temporada de SHIELD até agora e a evolução da série é algo muito digno de nota. Fica a enorme dica pra todo mundo que quer ver uma série de super heróis muito, muito boa!

Deixe um comentário