FOTO: REPRODUçãO

Por: Redação Ligado em Série

A linguagem de Mr.Robot

linguagem-mr-robot

Com mistérios, tecnologia, reviravolta e um protagonista que consegue fazer posições de pilates com os olhos, Mr. Robot se tornou um fenômeno, com duas temporadas intensas e uma terceira a caminho. Entretanto, mais do que a trama, é a forma como a narrativa é apresentada visualmente que fortalece a melancolia e o peso dos acontecimentos. E, olhando de perto, dá para ver o cuidado que a série teve com isso através de algumas escolhas bem específicas:

1. TODO MUNDO DE CANTO

Trabalhando com figuras marginalizadas, deslocadas, à parte da inércia e sofreguidão cotidiana que se abate sobre o resto dos mortais, Mr. Robot frequentemente coloca suas personagens bem no canto do quadro, ilustrando como estão a quilômetros do padrão. Além disso, a decisão mostra o quanto eles são oprimidos pelo “resto do mundo”, que parece os empurrar quase para fora do enquadramento.

cantos-final

2. ATENÇÃO AO SEGUNDO PLANO

[spoilers] O espaço deixado pelo enquadramento, entretanto, é utilizado por Mr. Robot para bater o martelo ou informar alguma coisa nova. Por exemplo, na segunda temporada, quando está claro que Elliot sees dead people, o pai dele aparece normalmente em segundo plano, muitas vezes ocupando o espaço do enquadramento que antes ficava vazio ou até mesmo se posicionando entre o protagonista e o resto do mundo. Também é interessante notar que, quando o Mr. Robot aparece em primeiro plano, normalmente é em momentos onde se exalta e tenta chamar a atenção de Elliot, provando que na verdade o pai do protagonista também é aquele tio chato que grita no almoço de família, em mais um plot twist.

fundo

Provando que otimizar é mesmo a grande palavra do século XXI, a série utiliza o espaço para amplificar a paranoia e a insegurança – como nesta cena entre Elliot e Angela, onde os anúncios claramente lembram que o Dark Army pode estar ouvindo a conversa.

fundo-2

3. SIMETRIA PARA AS INSTITUIÇÕES

A fotografia deixa as personagens escanteadas, mas, quando se trata dos cenários, é tudo o mais simétrico e centralizado possível. Daria até para dizer que é algo kubrickiano ou wesandersoniano, mas não quero botar Mr. Robot nesse nível ainda (embora adore a série). A ideia parece bem clara: as instituições retratadas são sólidas, imponentes, antigas, distantes, sem espaço para mudar as regras ou improvisar ou se render a uma abordagem mais despojada e humana. De certa forma, evidencia ainda mais o deslocamento das personagens.

simetria-final

4. HISTÓRIA MOVIMENTADA, CÂMERA PARADA

[spoilers] A partir da segunda temporada, uma coisa que Mr. Robot faz muito, mas muito pouco mesmo, é movimentar sua câmera. Em geral, a ação acontece com a câmera estática (principalmente na segunda temporada), conferindo um ar de inevitabilidade à coisa toda: é como se todos os acontecimentos fizessem parte de um curso natural, sem exigirem que o formato se adapte a elas. Um bom exemplo é o tiroteio no 2×10, uma cachoeira de balas que é fotografada como se fosse uma abelha pousando em uma flor.

parada-final

5. POUCA PROFUNDIDADE DE CAMPO, POR FAVOR

Todos sabemos que Elliot é um rapaz bastante focado (tipo, clinicamente e metodicamente focado). Para ilustrar isso, Mr. Robot com frequência fotografa o jovem que é metade hacker e metade globo ocular com uma profundidade de campo curta, desfocando tudo que está atrás dele – mesmo que seja uma personagem importante e mesmo que seja durante um diálogo. Nesses momentos, é como se o mundo deixasse de existir para Elliot.

profundidade-final

3 respostas para “A linguagem de Mr.Robot”

  1. Vini disse:

    Meu, muito legal! Divulguem mais pra que mais pessoas leiam, por favor! A fotografia de Mr Robot é um show à parte! Depois de Breaking Bad e Mad Men, junto com Game of Thrones, é a série atual que mais tem chances de virar um clássico da TV americana. Essa segunda temporada foi ousada, confusa, ambiciosa e genial!

  2. Victor disse:

    Com certeza ela entrará no topo das melhores daqui alguns anos. Uma série que deixa você louco e faz você ver e rever os episódios pra tentar ter uma teoria concreta .. é um boom total na mente.

  3. Thaise Lino disse:

    Uau, adorei todas as observações sobre Mr. Robot, a série me pegou desde o primeiro episódio, desde o início, essas características já estavam presentes.
    Esses detalhes só exaltam, o que as pessoas que assistem já sabem, a série é fantástica em todos os sentidos!!!

Deixe uma resposta

ss