FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Crítica | Westworld aborda a ficção de forma perturbadora e fascinante

westworld

Ah, como estávamos precisando de uma série boa como Westworld! Confesso que nos minutos que antecederam o início da exibição me peguei aflito. Afinal, pensava: como a mistura de velho oeste com ficção proposta por J.J. Abrams, Jonathan Nolan e Lisa Joy poderia dar certo? Os créditos começaram e dali em diante já me senti aliviado. A própria abertura demonstra – ao exibir a construção de seres humanos através de imensas impressoras 3D – que abordará os temas propostos com a grandiosidade e ousadia que a temática merece.

“Ousadia” é uma atenuação da minha parte, pois o piloto de Westworld é grandioso em diversos níveis. Começamos logo de cara no trem que chega ao tão comentado parque de velho oeste e somos apresentados a diversos personagens que, como suspeitamos, são uma evolução dos animatronics de Walt Disney e que aqui chamados de “anfitriões”. Eles servem para proporcionar aos mais abastados hóspedes todo e qualquer tipo irrestrito de prazer, não limitado ao prazer sexual.

westworld1

Descobrimos, com isso, quem é humano e quem é “máquina”, com direito a algumas surpresas e subversões já nos instantes iniciais: isso porque das várias narrativas experimentais que o parque encena diariamente, algumas delas começam já no próprio meio de transporte até lá. Aliás, é digna de nota a simplicidade com que o roteiro aborda a complexidade de sua trama, sem jamais buscar explicá-la em excesso ao espectador. O roteiro de Michael Crichton (autor do longa original), Jonathan Nolan (Person of Interest) e Lisa Joy (Burn Notice) é seguro o suficiente para confiar na inteligência e no conhecimento do seu público, revelando apenas o que é necessário e quando é necessário.

Isso permitirá, a médio e longo prazo, que novos detalhes mudem tudo que conhecemos sobre este universo, tal qual as melhores séries sci-fi do gênero fazem, como vimos em LOSTBattlestar GalacticaArquivo XFringe.

westworld3

Tecnicamente irrepreensível, o drama traz ainda locações espetaculares, uma cidade cenográfica que faz uma belíssima homenagem ao gênero do western e é carregado de efeitos visuais que impressionam, com destaque para aqueles que emulam a versão já defasada dos anfitriões na primeira cena em que o Dr. Robert Ford (Anthony Hopkins) surge em tela. As cenas de ação estão entre os pontos altos do episódio e se beneficiam da mise-en-scène clássica dos faroestes.

No centro de tudo temos o casal Teddy e Dolores (James Marsden e Evan Rachel Wood), que diariamente percorre uma história programada pelos engenheiros e roteiristas do magnífico império da diversão. Como ela vai terminar no fim do dia depende da interação dos convidados com eles e com outros anfitriões, já que o parque está preparado para automaticamente se “adaptar” às vontades e atitudes de seus pagantes. Westworld é o principal personagem da série, pois seu complexo e vivo organismo permite que uma mesma situação seja experimentada de várias formas distintas. Tudo depende do ponto de vista, quando e como.

westworld4

Isso inevitavelmente traz para o foco da narrativa conflitos éticos, morais e existenciais e, é claro, esperadas e inesperadas reviravoltas. Quem é mau em Westworld pode potencialmente ser o maior beneficente do mundo real. É nessa dicotomia que os dias transcorrem “naturalmente” até que as nuances implementadas por uma atualização de firmware permitem que os modernos androides acessem memórias dormentes e figuras tidas como inofensivas como Teddy, Dolores, o pistoleiro Hector Escaton (Rodrigo Santoro) ou a dançarina Marve Millay (Thandie Newton) saiam do roteiro programado e comecem a “pensar” por conta própria.

Será que Westworld trará a briga entre criadores e criaturas? Não acho que será algo tão simples assim por tudo que foi abordado. São essas, pelo menos, as primeiras questões que esse interessante episódio piloto traz, demonstrando um potencial quase infinito de situações dramáticas que podem ser narradas se mudarmos apenas uma das inúmeras variáveis apresentadas. Westworld é uma das produções mais ambiciosas da HBO, fruto de um esforço criativo que ao mesmo tempo perturba, instiga e impressiona, tal qual vimos recentemente na excelente Black Mirror.

A viabilidade de um parque como o visto em Westworld é assustadora demais para um domingo à noite, é verdade, mas agora quero muito ver até onde a série será capaz de ir.

5stars


Leia mais:

– Especial sobre os parques temáticos mais incomuns do mundo:https://goo.gl/EpLXOD
– HBO abrirá o sinal para Magnífica 70 e Westworld:https://goo.gl/fWv2pN
– Nosso Ligado Entrevista com o astro da série Rodrigo Santoro:https://goo.gl/8jxjg6
– 5 coisas que vocês podem esperar da atração: https://goo.gl/WV5Ciw
Westworld: Um Mundo Completamente Novo: https://goo.gl/PW5mYn
– O planejamento de Westworld: https://goo.gl/yZwXWv
– O intenso trailer de Westworld com novas cenas: https://goo.gl/G2ep4L
– 20 imagens espetaculares de Westworld: https://goo.gl/whSQnO
– O Glossário de Westworldhttps://goo.gl/ivIIZO
– LigadoCast | Debulhando o Universo de Westworldhttps://goo.gl/ks7QJx

18 respostas para “Crítica | Westworld aborda a ficção de forma perturbadora e fascinante”

  1. Danilo Pereira disse:

    Uow. Vem monstro!!

  2. Leonardo Damaso disse:

    chupa N……

  3. David Rocha disse:

    Que piloto foda, os fãs de sci-fi estavam precisando de uma série assim, tem tudo para ser classica. só falta o publico reconhecer.

  4. adrianotenorio disse:

    Falar em “perturbadora e fascinante” acho que é carregar um pouco nas tintas. mas sem dúvida foi um ótimo piloto.
    [SPOILER SPOILER SPOILER]
    Só não deu pra entender como a empresa tem um controle quase absoluto do que acontece no parque mas não teve a menor idéia do que andou aprontando o personagem do Ed Harris. Afinal eles aparentemente sempre sabem se algo sai do roteiro da atração.

  5. Fernanda Anjos disse:

    Também fiquei me perguntando isso. Qdo terminou o primeiro episódio.
    SPOILER!!!
    Os convidados podem ficar mais de um dia em Westworld? Pois o personagem do Ed Harris está aprontando a vários dias nesse mundo.

  6. Giovani disse:

    Fiquei com a impressão que ele é um android e que de alguma forma conseguiu hackear o sistema…

  7. Ricardo Diniz disse:

    Nossa, devo dizer que sabia pouco, vi pouco, pra não aumentar minhas expectativas. Vale super a pena, porque que lacre, episódio maravilhoso. Esperando muito o próximo domingo.

  8. vinland disse:

    Achei muito boa. Pra um ano de tantas series fracas, e superestimadas, foi um alivio ver algo tao bom como WestWorld. Empolgado para o proximo domingo.

  9. Vinnie disse:

    Eu cheguei a pensar isso, mas ele toma tiros. Se fosse um Android deveria ter morrido, não?

  10. Vinnie disse:

    Apaguei pq esqueci de escreve SPOILER! Rs

    Eu cheguei a pensar isso, mas ele toma tiros. Se fosse um Android deveria ter morrido, não?

  11. Giovani disse:

    Pode ser, mas fiquei com a impressão que ele é uma “anomalia” no sistema…

  12. †akezo disse:

    Não vi,mas como só li/ouvi elogios até agora e já havia gostado do trailer em breve vou conferir o piloto.

  13. Vinnie disse:

    É… não fica claro como funcionam as armas dos robôs. Ele com certeza é o personagem mais enigmático até agora. Amanhã tem mais, vamos ver como a coisa evolui.

  14. Anderson Lima disse:

    Não foi tudo isso não, vamos ver se engrena.

  15. Marcelo Henrique disse:

    Bruno Carvalho, você é o melhor, cara.

  16. francisco jose dos reis disse:

    AINDA NÃO SEI O DESENROLAR DA SERIE ,ASSISTI E ATE AGORA NADA DE MAIS COMO ESPERAVA ,E FAÇO UMA PERGUNTA ,TODA TECNOLOGIA PRA FAZER UMA REPLICA DE UM SER HUMANO E O CRIADOR RESOLVE FAZER UM PARQUE ,CHEGA A SER RIDÍCULO .

  17. Crisna Crystal disse:

    acho que a briga está mais entre os deuses, entende?

  18. Vicente Raíra de Jesus Freitas disse:

    Você por aqui? :O kkkkkk

Deixe uma resposta

ss