FOTO: SHOWTIME

Por: Redação Ligado em Série

Crítica | Twin Peaks 3×12: Let’s Rock!

FOTO: SHOWTIME

Nem parece que já chegamos ao décimo segundo episódio de Twin Peaks e que estamos nos aproximando do fim da temporada. Apesar da trama não ter avançado muito aqui (o que é preocupante, considerando que existem ainda muitas pontas soltas no enredo), este episódio trouxe algo bastante importante: a volta de uma personagem favorita. Havia muitos indícios de que Audrey Horne (Sherilyn Fenn) apareceria no revival, mas até agora ela não tinha dado as caras. E essa aguardada participação não decepcionou: de uma hora para outra testemunhamos um embate entre Audrey e seu marido que mostra que a ousada e decidida filha de Benjamin Horne segue com a mesma essência desafiadora de sempre.

Antes disso, no começo do episódio, temos novamente outra menção aos casos do FBI conhecidos pelo nome de Blue Rose. Os curiosos desaparecimentos dos integrantes da equipe liderada por Phillip Jeffries (David Bowie) também são trazidos à tona, pois, além dele, Chester Desmond (Chris Isaak) e o próprio Dale Cooper também desapareceram enquanto investigavam casos como esses. Agora que Tammy Preston (Chrysta Bell) foi convidada a se juntar à equipe, nos perguntamos se ela terá o mesmo destino dos demais colegas.

Outro ponto de conexão com a mitologia de Twin Peaks é a frase dita agora por Diane: let’s rock. Inicialmente, ela foi dita pelo Man From Another Place (também conhecido como The Arm) na clássica cena no Black Lodge durante o sonho de Cooper, e também já apareceu escrita no para-brisa do carro abandonado de Desmond. Mas as referências à série clássica não ficam por aí, pois o ventilador de teto acima das escadas na casa de Sarah Palmer (Grace Zabriskie) também recebe destaque na cena em que Hawk a visita (lembrando que o som dele tem ligação com os seres do Black Lodge). Falando nela, mais uma vez Sarah aparece tendo um ataque nervoso e falando de forma enigmática. Isso, junto ao fato de que houve um barulho dentro da casa durante a visita de Hawk, indica que o contato dela com o oculto segue existindo, reforçando que é possível que a jovem que engole aquele bicho híbrido no episódio 8 seja Sarah.

Mesmo com aguardados retornos e explicações, os melhores momentos deste episódio envolveram Gordon Cole (David Lynch). A sequência no hotel com ele, sua acompanhante e Albert (Miguel Ferrer) foram hilárias e provaram mais uma vez que Lynch se encaixa muito bem no próprio universo que criou.

A questão agora é quando o verdadeiro Cooper irá retomar sua consciência e quando conexões entre a caixa de vidro, os novos elementos e personagens ficarão mais claras, pois falta pouco para o fim de mais uma viagem pelo mundo de Twin Peaks.

Deixe uma resposta

ss