FOTO: MARION CURTIS/NETFLIX

Por: Bruno Carvalho

Criador de Black Mirror na NYCC: “está difícil concorrer com o noticiário”

Ainda sem data de estreia confirmada, a 4ª temporada de Black Mirror teve seus primeiros detalhes revelados no painel da série que ocorreu durante a New York Comic Con, com cobertura in loco do Ligado. A moderadora foi Jodie Foster, que dirigiu o primeiro episódio do novo ano, intitulado Arkangel.

É dele, aliás, que saiu a cena exibida com exclusividade para os presentes. No capítulo, conhecemos uma empresa (a Arkangel do título), que oferece o trial gratuito de um serviço que implanta uma espécie de chip em crianças e permite que os pais controlem diversos aspectos da vida seus filhos através de um aplicativo móvel.

FOTO: NETFLIX

A cena mostra o processo de implantação do chip (visto na imagem acima) e depois os pais “brincando” com as funções, que permitem monitorar o nível de nutrição, temperatura e até mesmo o ponto de vista da criança naquele exato momento. Um detalhe curioso é a possibilidade de ativar o “modo seguro” que automaticamente pode “esconder” cenas violentas, gráficas ou com conteúdo impróprio, seja na TV ou na vida real (na cena um cachorro raivoso e ameaçador vira um amontoado de pixels no olhar da menina).

A diretora Jodie contou logo de cara que adorou este capítulo, pois ele permitirá mostrar um lado “sombrio” da tecnologia. Ela disse também que esses são os roteiros preferidos dela.

Charlie Brooker, o criador, e Annabelle Jones, produtora executiva, disseram que esta 4ª temporada foi gravada em vários países ao redor do mundo e alguns episódios terão até três tramas paralelas acontecendo. É neste ano também que teremos episódios mais extensos (de até 74 minutos) e também o mais curto de todos até agora, segundo Brooker, com pouco mais de meia hora.

FOTO: MARION CURTIS/NETFLIX

Sobre a mudança da série do Channel 4 britânico para a Netflix, Brooker aproveitou o painel para esclarecer alguns pontos: primeiramente ele disse que a gigante do streaming nunca pediu pra eles mudarem nada.

Pelo contrário, todo o feedback que tivemos foi para fazermos mais. Além disso, qualquer imput deles era positivo. Mas quando eu ouvi um monte de críticas dizendo que a série seria ‘americanizada’, eu disse pra Annabelle: ‘Dane-se! Vamos fazer um episódio na California nos anos 70!”

Foster relembrou que a série, que estreou em 2011, foi capaz de prever até mesmo alguns avanços tecnológicos e situações políticas, como o caso do primeiro ministro inglês que teve “envolvimentos” com um porco. Brooker, contudo, disse que não vê a série como um “alerta” e que esse não é o objetivo dele. Mas o criador confessou:

“Está muito difícil escrever [os roteiros] hoje em dia. Agora a série concorre com o NOTICIÁRIO”

A declaração foi dada em referência à eleição de Trump, a Brexit e até mesmo aos atentados terroristas que aconteciam no mundo quando estavam preparando os textos e episódios da 4ª temporada.

Com menos tempo para produzir novos episódios, Annabelle Jones contou finalmente que eles estão 100% imergidos em Black Mirror e que tanto ela quanto Brooker têm trabalhado sem parar em novos roteiros e ideias. A 5ª temporada ainda não está confirmada, mas eles deram a entender que já estão trabalhando em mais episódios.

No painel, ouvimos um burburinho que a data ainda não foi anunciada porque falta tempo para a estreia: espera-se, assim, que o 4º ano de Black Mirror estreará próximo do Natal, mas ainda em 2017.

Ligado viajou a Nova York a convite da Netflix.

Deixe uma resposta

ss