FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

Awake: The Little Guy

Por Bruno Carvalho

[com spoilers do episódio 1×02] A complicada situação de Michael Britten, que aparentemente vive duas realidades após um terrível acidente com sua família, ganhou mais um interessante elemento neste segundo episódio. Mais “acostumado” com sua situação, ele agora aprendeu a conciliar ainda mais seus sonhos de forma prática, o que o ajuda, por exemplo, a lavar a roupa para o filho do jeito que sua mulher fazia (afinal, é só ele aprender com ela na outra realidade) ou até mesmo descobrir coisas sobre Rex na realidade em que ele não está mais lá para escondê-las. Mas essa condição acaba tornando Michael levemente insensível com determinados fatos, pois enquanto Hannah precisa lidar com os conflitantes sentimentos sobre abrir ou não a correspondência de seu filho morto, Michael apenas sente-se curioso, já que irá vê-lo em algumas horas. Mas esse episódio de Awake sofreu com um problema de ritmo, especialmente nas cenas de sua parte policial. Investindo em casos desinteressantes que em nada têm a ver com a trama principal (ainda que simbolicamente), o drama bruscamente apresentou mais um elemento à história em seus instantes finais: uma grande conspiração.

E ainda que possa ser interessante a revelação de que o acidente de Michael e sua estranha condição tenha uma motivação externa, tenho receio de que a série se enverede por um caminho menos psicológico e mais “ficção científica” e faça com que a série se perca. E já que estamos falando de teorias, não pude deixar de notar que a tal conversa da chefe do policial com um homem misterioso ocorreu justo na realidade em que sua mulher sobreviveu. Seria essa a real? O que estão tentando encobrir? Será que os sonhos não são apenas um problema psicológico de Michael? Tomara que Awake consiga nos responder esta e outras questões em tempo, já que este episódio deixou uma incógnita sobre qual rumo a série adotará de verdade e amargou uma queda de 20% na audiência americana.

18 respostas para “Awake: The Little Guy”

  1. Adam disse:

    esses americanos preguiçosos de merda que só assistem reality!!! vsf

  2. LEANDRO DE SOUZA RAMOS disse:

    Além da conspiração, o episódio deixou claro que Rex está mesmo morto, quando sua mãe, após abrir a correspondência, decide ir atrás do que filho andava fazendo. Pra mim o fato de Michael só descobrir sobre a motocicleta no final, deixou claro que ele estaria acordado.

    Para o conceito da série funcionar, todas as ações deveriam ser vistas e sempre ter a presença de Michael, para que ele, de alguma forma se lembrasse delas. Claro que tem a ação do subconsciente, que em algumas cenas poderia ficar claro o que causou tal fato. Mas acho que seria complexo e ao mesmo tempo fácil demais pensar dessa maneira.

    Aliás, ficou também bastante escancarado que sua chefe teve alguma coisa a ver com o acidente e que Michael está, mais uma vez, em seu subconsciente, formando uma teoria que ao final, resultará na descoberta do grande plano.

    No mais, aguardemos o desenrolar dos fatos.

    Grande Abraço!

  3. enriqueescudero disse:

    Como assim LEANDRO dE SOUZA, “Rex está mesmo morto”? Ele está morto sim, em um dos mundos apenas. No outro ele está vivo! Isso não foi definido ainda, qual lado é o correto.

  4. João Arêas disse:

    Eu estou gostando da série. Espero que continue e não se perca.

  5. LEANDRO DE SOUZA RAMOS disse:

    hehehe, é isto que estou especulando com os fatos que descrevi. A ideia principal é que um dos mundos é o real. Eu acho que o real é aquele em que Rex morreu. Digo isso com os fatos até agora expostos. Mas acho que vem mais por aí.

  6. Robson Sobral disse:

    Só não gostei da conspiração. Isso irrita. Mas foi bom ver que ambas as relaidades existem quando o protagonista não está por perto.

  7. karine disse:

    Estava indo bem até aparecer aquela cena final da conspiração. Ficou parecendo um spin off da extinta The Event.

  8. Davi Garcia disse:

    Putz, eu ia comentar exatamente isso, Karine. Pode ser prematuro dizer, mas acho que a trama ficaria bem melhor sem a sugestão de conspiração. Tomara que eles tenham um coelho na cartola para nos surpreender. A ideia da série e principalmente a execução dela é boa demais para ser desperdiçada. Aguardemos.

  9. Joaquim Basso disse:

    Minha Teoria: nem a mãe nem o filho morreram; Michael é que entrou em coma no acidente e está vivendo essa vida dupla em seu profundo sono. Que tal?

  10. Wilian disse:

    Também achei a conspiração desnecessária.
    E eu também tenho a impressão que a realidade em que a mulher do Michael está viva é a real. Sei lá,por mais que as duas realidades tenham um filtro de cor diferente( uma é mais esverdeada e a outra mais alaranjada), a segunda realidade parece mais real.

  11. Bárbara disse:

    Só não entendi o por que da review ainda discutir qual realidade é a real, já que o criador da série já disse que não é nisso que a série vai focar, e sim no que levou ao acidente de carro. Aliás, também não entendi o por que de cogitar um caminho mais ficção científica, sendo que na mesma entrevista o criador da série descartou isso. De que adianta perder tempo discutindo coisas que a pessoa responsável pela série já disse que não acontecer?

    http://www.tvguide.com/News/NBC-Awake-Kyle-Killen-Interview-1044275.aspx
    http://tv.ign.com/articles/122/1220354p1.html

  12. Jessé disse:

    Life on Mars feelings

  13. igor frederico disse:

    Vide “The Killing” e “Lost”,se você for confiar que nem cego no que os criadores falam,você ta mau,amigo

  14. igor frederico disse:

    E o que mais me deixou curioso nesse episódio,não foi a conspiração final,que sim,também me desagrada. Mas sim,as duas cenas em que o eprsonagem central não se encontra,não vejo isso como um erro que passou desapercebido,pelo jeito que a série anda,tudo é meio que pensado e feito com um cuidado extremo, e essas cenas são significativas para a condução da trama.

    E vamos la,torcer pra que uma série tão boa,não se perca em idéias caídas e sem porque de existirem.

  15. Bárbara disse:

    Veremos, então, Igor. E “amiga”, por favor :)

  16. Marcelo Soares disse:

    Pois é, quando vi que o encontro da chefe dele com o homem foi na realidade da mulher viva pensei logo que ela poderia ser a real, mas, se for paar existir uma realidade real aposto na do filho e essa seria, quem sabe, uma realidade construida por algum motivo ainda secreto, e a chefe estaria se encontrando dentro dessa realidade com outras pessoas.

    Apesar de acreditar que sejam duas realidades distintas e assim como Olivia em Fringe o cara consegue acessar elas depois do acidente, o lado mais psicologico é muito bom e não gostaria que se perdesse dentro de uam possivel parte sci fi.

  17. Juliana disse:

    Mas pessoal, e o lance de a chefe ter mencionado ao homem misterioso que ele “matou TODA a família do Michael”? Será que as 2 realidades são utópicas? E se ele perdeu os 2 e, para suportar tamanha dor, criou essas duas realidades?

  18. Vanderson disse:

    Vi o ultimo episódio e percebi que houve uma perda total do enredo. Os dois mundos se misturaram e ficou comprovado que não havia uma realidade em ambos os mundos. Foi um final sem argumento e sem resposta.Pois deveriam responder, caso tenha ocorrido o acidente, se ele estava internado em coma, passando por essas duas realidades fictícias. Mas terminou com ele fundindo as duas realidades em uma, que possivelmente não seja a verdadeira. triste final…

Deixe uma resposta

ss