FOTO: REPRODUçãO

Por: Bruno Carvalho

O Final de Awake

[com spoilers dos episódios 1×11, 1×12 e 1×13] Awake foi uma série passageira, mas que ao longo de sua curta trajetória de 13 episódios conseguiu apresentar, desenvolver e concluir (de forma até satisfatória) uma história densa, interessante e complexa, como poucas séries do gênero são capazes de fazer. Em sua reta final, a partir do 11º episódio, o drama mergulhou fundo em sua mitologia principal, quando o subconsciente de Britten começou a lembrar melhor do acidente e de um possível envolvido, que também trabalha na polícia, o Det. Hawkings. E eu disse “subconsciente” justamente em virtude da indefinição constante de qual universo (verde ou vermelho) é o real, algo que a série encerrou sem responder de forma definitiva (o que, adianto, não foi necessariamente ruim ou inconclusivo). O episódio 12 foi digno das melhores aventuras de Jack Bauer em 24. Provando ser sempre versátil, Awake alternou a narrativa na ação e na tensão, com Britten sendo perseguido e novamente utilizando as descobertas de um mundo para solucionar mistérios em outro (como foi com a senha do computador) e trazendo a resolução definitiva da conspiração que rondava as causas de seu acidente, vinda de seus superiores na força.

E quando a série caminhava para apresentar um desfecho razoável no capítulo 13 – o mundo verde em que seu filho Rex sobreviveu seria o real e o vermelho, onde o detetive estava preso, seria um sonho – vimos Britten, pela primeira vez, em seu subconsciente, representado por um corredor com seus dois terapeutas brigando pela existência e direcionando-o para uma conversa com seu parceiro vestido de pinguim. Aliás, tal cena mostrou como a mente dele captava as evidências de um caso e processava-as no sonho (não sabemos qual), acordando com a milagrosa resposta. Inconscientemente ele notou que o sapato de sua chefe estava fazendo um som diferente e encontrou a prova para enquadrá-la. Mas no lado vermelho ele ainda estava preso e precisava urgentemente abandonar aquela realidade. Assim, após despedir de sua mulher, ele retornou ao mundo verde para tentar racionalizar o ocorrido com com a Dra. Evans e eis que a série então fez uma pausa literal para apresentar a surpreendente cena derradeira. Muitos a interpretarão como “ah, foi tudo um sonho, então?”, mas isso, ao meu ver, está longe de ser o que ocorreu. A mente de Britten, capaz de estabelecer uma nova realidade em um momento difícil (sobrevivente de uma tragédia em que perdeu um membro de sua família), foi capaz de criar uma terceira realidade após estar mais uma vez encurralado – o mundo mais azulado/acinzentado, repare na paleta de cores – onde nem seu filho e nem sua mulher morreram e tudo fora um aparente sonho. Até que ele novamente fecha os olhos.

Ainda que com um final aberto a interpretações, o criador da série Kyle Killen esclareceu que a cena foi filmada com o propósito de ser um final de temporada e não o final de toda a série. Assim, a narrativa teria seguimento a partir do momento em que Britten fecha os olhos, não representando o final originalmente concebido. Mesmo assim, com um final semi-aberto (já que muita coisa foi sim resolvida), a produção acabiu ganhando um status interessante que amplia a interpretação que cada um pode ter daquela fechada de olho (como o peão de Inception). A única certeza que fica é a de que Awake definitivamente não era uma série para a TV aberta americana e poderia ter tido uma jornada bem mais duradoura na TV paga.

4 respostas para “O Final de Awake”

  1. Adorei Awake, e mesmo nao sendo planejado como o final da serie acabou funcionando bem. Uma das melhores series que já vi trabalhar a questão psicologica humana, se saísse em DVD compraria com certeza.

  2. Não é possível que cancelaram Awake e renovaram a [insira sua série aqui]!!!! Dava pra formular pelo menos 10 frases diferentes nesse comentário.

    Tanto se falou que House estava cansativa, que ja era hora de parar. Na minha opinião, poderia ter continuado. Sinto falta do doutor.

    Já por outro lado, que me perdooe quem não concordar, mas Simpsons ganhar uma nova temporada já é um sacrilégio. Eu assisto todos os episódios, mas faz pelo menos umas 3 temporadas que deveria ter parado. Eu devo ter algum problema, pois não consigo parar de ver, mesmo a serie tendo mostrado que os roteiristas devem ser aqueles chineses, que ficam acorrentados ao pé da mesa, clamando por uma morte digna para a série. Eu assisti até o episodio final de Heroes, então tire por aí meu nivel de loucura.

    Voltando a Awake, a única coisa que não gostei desde o começo, foi a escolha de Laura Allen… já não gostava dela desde The 4400.

  3. DouglasL... disse:

    Poxa essa série foi tão boa e cancelaram de uma forma horrível!
    Mas fazer o qer néh?!

  4. Teles – Carlos disse:

    Depois de assistir o final, tive a sensação de que realmente estavam planejando mais temporadas (só vim saber agora lendo o texto).

    Mas fiquei satisfeito mesmo assim. Awake é uma série que vou recordar por muito tempo, dada sua excelência.

Deixe uma resposta

ss