FOTO: REPRODUçãO

Por: Davi Garcia

Fringe: The Boy Must Live

Em seu penúltimo episódio, série fala sobre o resgate da humanidade

Fringe 511[com spoilers do episódio 5×11] Em sua incessante busca pelo conhecimento, o homem, num curioso paradoxo, criou uma versão piorada de si mesmo justamente quando tentava encontrar mecanismos que trouxessem o próximo passo na escala da evolução. Assim, quando September/Donald revela e explica as circunstâncias que geraram os Observadores e sua natureza, ele também desperta uma reflexão sobre aquele Walter que, enquanto cientista anos antes (e em outra linha do tempo também), não ficava muito distante da imagem de um homem que ganhava notoriedade no campo intelectual à medida que se afastava dos laços emotivos que, na sua visão entorpecida, o enfraqueciam e tiravam-lhe o foco para o que realmente importava: se transformar no seu próprio deus. Nesse contexto, não é exagero dizer que Walter foi, de certa forma, o protótipo acidental e indireto daqueles que um dia seriam conhecidos como Observadores, mas que, a exemplo do próprio September (a partir do laço criado com o garoto Michael), teve um choque ao descobrir (ou redescobrir) a importância e o significado das experiências afetivas e emocionais genuínas que nenhuma fórmula matemática ou física complexa jamais conseguiria gerar.

E se o end game que Fringe preparava desde o início dessa última temporada já apontava (ainda que de forma irregular com tramas trôpegas nem sempre tão interessantes) o esforço de um grupo de pessoas para salvar a humanidade da opressão vinda do futuro, esse penúltimo episódio da série escancarou de uma forma muito mais envolvente a noção de que mais do que salvar a humanidade dos Observadores, aquele grupo liderado por Walter precisa livrar o homem de seus próprios equívocos e armadilhas. Uma ação que pode exigir um sacrifício irreversível  ou não para o pai de Peter e que por tabela também pode representar a chance deste e de Olivia se reunirem com a filha, Etta. A questão agora é: considerando tudo isso, será que o series finale trará um desfecho digno dos melhores momentos da série? No que depender da boa impressão deixada por este “The Boy Must Live”, a perspectiva é boa.

4star

A última temporada de Fringe será exibida no Brasil pela Warner somente em dois dias durante o carnaval.

3 respostas para “Fringe: The Boy Must Live”

  1. Claudson oliveira disse:

    Episódio fantástico, um dos melhores já vistos ( ok, estamos no final), tantas referências do passado fecham um ciclo em fringe.um final digno para uma série que não eh de ficção científica e sim sobre amor.

  2. Ismael disse:

    Achei fraco, mas um pouco melhor que os anteriores.

    Só fui lembrar hoje que a série já acaba no próximo episódio, ao ler aqui no LES.

    E isso também se deve ao ritmo lento e historinhas fracas. Sem muito mistério mais, parece que só estão enchendo lingüiça. Uma pena, mas então que acabe logo para não cair ainda mais.

  3. Thiago disse:

    Se os observadores nunca existirem, o Walternativo irá achar a cura do Peter, pois não será distraído pelo September, e consequentemente o Walter não precisará cruzar os universos. Assim Peter nunca conhecerá a Olivia desse universo e Etta nunca iria existir…

Deixe uma resposta

ss