Crítica | American Horror Story 5×01: Checking In
Crítica | American Horror Story 5×01: Checking In

Crítica | American Horror Story 5×01: Checking In

ahs2

Ao iniciar a crítica do episódio de estreia da quarta temporada de American Horror Story, destaquei o golpe baixo de Ryan Murphy ao inserir na história um palhaço assassino, fonte de grandes traumas do público assíduo de produções de terror. Pois o elogio (sim, é um elogio!) se repete aqui: quem não se sente intimidado diante de corredores vazios de um hotel com funcionários estranhos que parecem saber mais do que deixam transparecer?

Dando o pontapé inicial de sua promissora quinta temporada, American Horror Story conseguiu de cara realizar algo que muitas séries tentam, mas falham constantemente: homenagear uma produção e referenciá-la, sem soar como uma cópia gratuita. Ou vai dizer que você não lembrou de The Shinning (O Iluminado) por vários momentos do episódio? Desde os planos sequência que acompanham um hóspede caminhando pelos corredores do hotel até os movimentos de câmera, com alguns cortes secos (e que já se tornaram marca registrada da série), lembravam a película de Stanley Kubrick (e nem vou citar as crianças no fim do corredor, que remetem às gêmeas que o garoto Danny encontrou no filme – outro trauma de filmes de terror: crianças estranhas).

Mas essa homenagem da série só funciona porque a mesma consegue adquirir identidade própria, fazendo com que todos esses elementos se integrem à narrativa, que se mostra bastante interessante nesta temporada. Ainda que vários elementos não tenham sido entregues nesse episódio (o que é um bom sinal, pois é sempre melhor guardar certas cartas na manga para usa-las na hora mais apropriada), já é possível aguardar com ansiedade que alguns eventos ocorram, como uma possível descoberta do detetive Lowe do que aconteceu com seu filho ou qual é a identidade do assassino que acabou levando o policial ao hotel no qual ele se hospeda agora.

ahs

Do mesmo modo, American Horror Story justifica seu histórico de cenas impactantes ao exibir a sequência em que dois jovens são assassinados na cama do hotel, ao mesmo tempo que dois outros personagens bebem o sangue de ambos (!). E, se Lady Gaga, que se saiu bem em sua estreia e conseguiu atrair olhares de várias pessoas curiosas para a série (eu só queria saber porque ela usa ombreiras que nem o Didi Mocó), quem se destacou mesmo foi Sarah Paulson (mais uma vez) no papel da viciada que mora no hotel e é obrigada a conviver com alguém que odeia diariamente. E além da direção, há que se ressaltar a fotografia escura, que se mostra muito eficiente ao emprestar um ar claustrofóbico e atemorizante para o hóspede e para nós.

Sendo eficaz também ao apostar numa trilha sonora espetacular (Downtown e Hotel California foram escolhas acertadas ao espelhar o estado de espírito dos personagens no momento de sua execução), American Horror Story deu mostras de que vem trazendo uma temporada digna do que a série já exibiu nas duas primeiras temporadas. Resta torcer para que a qualidade do que vimos em sua estreia se perpetue até o season finale.

5star

44 comentários

  1. Gueminho Tristão

    Sou fã da série mas achei que erraram na mão. Muita referência (além do Iluminado, o casal de vampiros é “Fome de Viver”, o colchão é “Helraiser”), muita violência e pouca história. O episódio parece um clip. Não me senti interessado na trama, o que eu considero o primcipal elemento.

  2. Rodrigo Tannuri

    Não gostei da estreia. Achei que o principal objetivo foi lacrar, como esse público gosta de falar (pior verbo já criado), e não contar uma história, mostrar algo sério. Não sei vocês, mas me senti completamente perdido.

  3. Igor Lisboa

    Adorei as autuações da Gaga e da Sarah.. Paguei com a língua, só nesse primeiro episodio ela já merece o destaque que teve.. Mas apesar de tudo, a história foi confusa e não tem explicou muito da história

  4. gabriel nunes

    Quando foi que um primeiro episódio de AHS teve história? Se passamos Coven e Freak Show sem desenvolvimento de plot nenhum, vocês tão reclamando do primeiro episódio? Não digo que foi fantástico, mas vou esperar para avaliar como vão se resolver as coisas antes de dizer que não gostei, por enquanto, o começo foi bem positivo.

  5. Rodrigo Tannuri

    O pessoal a elogiou, mas também não curti. Ela só tem uma expressão. Pior que a gente não pode criticar, porque aí aquela galerinha mala vem xingar. Lamentável isso.

  6. leo liçarassa

    Se vc assistiu murder house (1 temporada) vc sabe que eles não vão explicar tudo de uma vez, vão explicar ao longo dos episódios que vão ser 13.

  7. Victor Sousa

    “AHS prefere ter fama de ser uma franquia polêmica do que por contar boas histórias” certamente no maximo que vc assistiu de AHS foi Coven e esse EP de Hotel…

  8. Duh

    Mas esse foi o primeiro ep, era só para apresentar os personagens, no segundo ep é que a história começa a desenvolver. As inúmeras referencias sempre fizeram parte, vide a primeira temp que tinha várias, principalmente O bebe de Rosemary. Sendo que na estreia de Murder House tbm era confusa e causava muita estranheza nos seus primeiros episódios, só com o decorrer a história foi ganhando forma, em Hotel vai ser a mesma coisa.

  9. Rodrigo Tannuri

    Acredite, vi as duas primeiras e Freakshow. A 3ª não me interessou muito o tema e, pelo que a galera comenta, foi fraca. Enfim, continuarei assistindo. É o que disse antes: o fato de estar criticando o episódio, não me torna hater da série. Sei do potencial que tem. Relaxem, porque nos veremos aqui no próximo :)

  10. Victor Sousa

    Com certeza. Só uma dica: sai dessa defensiva de “haters”, “galerinha que vem xingar” e pré-conceitos sobre os fãs populares que usam verbos como “lacrar” (existe verbos ruins de verdade como “escravizar”, “suicidar”, etc). AHS conquistou seus fãs e sucesso com qualidade e origilidade. A serie tem definido seu publico, quando isso se inverter a gente se preocupa com como os outros fãs se expressam ;)

  11. Jesse Coronado

    O episodio piloto me deu sono, e foi bem chato, mas ainda esta no começo, vamos ver mais pra frente como vai ser, so acho chato as pessoas ficarem comparando a serie com suas temporadas anteriores, a serie tem formato de antologia, entao ela praticamente estreia uma serie nova todo ano. Esqueçam as anterios e aproveitem a historia dessa. Acho que se fizerem isso vao aproveitar muito mais o roteiro

  12. Não achei nada demais. As pessoas estavam insanas no twitter, a maioria porque a Lady Gaga tá no elenco e já é sabido que os Little Monsters são loucos. Foi bacaninha? Sim. Vale 5 estrelinhas? Nem pensar.

  13. Jesse Coronado

    O segundo episodio beirou o nojento, acho que os produtores estao confundindo cenas chocantes, com cenas nojentas e forçadas.

  14. Juliano

    Então pare de assistir! Eu prefiro esperar pra ser surpreendido! Concordo em parte com vc, mas o segundo episodio deu Mais sentido a historia!

  15. Fabio Tudor

    Perfeito! Estava me sentindo sozinho com a mesma opinião. E o segundo episódio foi na mesma linha. Foi uma sucessão de cenas absurdas, nada contra elas, mas tem que um motivo, tem que estar inserido no contexto. Senão melhorar no terceiro episódio vou dizer adeus, tem muita série boa por aí, ñ posso perder tempo!!

  16. Gueminho, também achei bem fraco. Surpreendeu de tão fraco, aliás. Sem sutilezas, sem inteligência. Parecia um clipe, como você mesmo menciona.As referências foram grotescas, só faltou colocar uma setinha para indicar. Eram tão descaradas que mais pareciam um remake mal feito do original. Vamos ver o segundo episódio. A premiere decepcionou.

  17. Bom saber, Fabio. Coven começou excelente, terminou mal. Freakshow eu gostei do início ao fim. Essa, se o Ryan Murphy depositasse uma graninha na minha conta…. Quem sabe. Mas teria que ser MUITO!

  18. Ninguém é obrigado a amar tudo, Victor. Eu gostei muito da primeira temporada, adorei Coven (menos o fim), curti muito Asylum, e Freakshow virou o meu xodó. Porém essa…. Não foi como nas outras. Realmente, não gostei. Pra falar a verdade, detestei. Ruim mesmo.

  19. Eu gostei da atuação de todos. O problema é o roteiro confuso. Não fiquei com medo. Fiquei espantada, e no mal sentido. Foi um terrir, como dizem. Um horrorzinho bem meia tigela.

  20. Bem, para mim, todos tiveram. Pelo menos tinha um tema em específico. Esse já se perdeu logo de cara. Uma pena. Quando digo que não gostei fico triste. Chato! Esperei algo demais, mas não deu… Não é sempre que se acerta.

  21. Foi demais, Felipe. Achei que exageraram na informação. Não precisava explicar nada. Mas foi coisa demais, informação demais, perdeu o mistério. O Horror ficou banal. E quando o horror fica banalizado, perde-se a graça.

  22. Jesse Coronado

    Tambem achei pam. Osegundo episodio ao inves de ser assustador, acabou ficando nojento. Parece que os produtores estao desesperados para que o publico fique chocado

  23. Jesse Coronado

    Essa temporada ate agora nao tem nada de horror, esta ficando uma nojeira, isso sim. Querem chocar e nao sabem como, ai ficam colocando sexo e sangue exageradamente. Por enquanto esta sendo uma das piores temporadas.

  24. Fernando

    Amei, para um fã de vampiros como eu, é um banquete aos olhos….mas ainda vou esperar a história amadurecer….e espero que amadureça antes de cair do pé…se bem que pra mim, até o momento, nenhuma superou a segunda temporada…e vai ser difícil superar…

  25. Jonas

    Assisti aos 3 primeiros episódios e aconteceu exatamente o que eu temia. Ficamos com uma Lady Gaga desfilando seus “looks” (até desfile de moda já rolou) e muito sexo com sangue, só isso que AHS Hotel mostrou até agora. A única que salva mesmo e está insanamente bem no papel é a Sarah Paulson.

  26. Jesse Coronado

    Isso eu nao acho ruim nao. Jessica Lange, curto muito ela, mas nao chego a sentir falta, o qye esta dificil de engolir e essa historia, Acho que o significado Horror no titulo dessa serie, ja perdeu o sentido.

  27. Neri Sacramento

    Ainda não comecei a assistir a quinta temporada, pois prefiro assistir dublado.Não gosto de ficar c um olho no peixe e outro no gato.kkk..Vejo aqui muitos comentários à respeito do primeiro episódio, como um pouco de confusão na trama.Mas esse é o grande diferencial de AHS, ela dá um nó na nossa cabeça, e essa tática foi melhor aproveitada na primeira temporada(É a minha preferida.)que por vezes me deixava c a sensação de…Que porra eh essa? Era tudo meticulosamente bagunçado, p deixar a nossa mente totalmente tonta. E é isso q me encanta na serie.P quem ta achando ruim no primeiro episódio, por n ter desvendado muita coisa, esperem, a graça ta nisso, ficar louco pelo que vem no próximo ep. Estou louco p assistir, mas to resistindo.rsrs Sei q será uma ótima temporada.

  28. CrisTWD

    A temporada sente e muito a falta de Jessica Lange como principal. Ela faz o enlace de todos os personagens para qualquer trama, envolvendo-nos. Sendo assim, não temos a impressão de peças soltas dentro de uma grande obra.

  29. CrisTWD

    Colocasse Jessica Lange no papel de Condessa para ver se o enlace com a trama não seria outro. Infelizmente, apesar de não ser das piores, Lady Gaga ainda está começando e não tem essa capacidade.

Deixe um comentário