quinta-feira, junho 20 2024

Entre os anos de 2019 e 2021, ocorreu uma grande movimentação de plataformas de streaming chegando ao Brasil. E, coroando esse período, em agosto do ano passado o Star+ começou a disponibilizar seus serviços em território tupiniquim. 

O streaming que promove o conteúdo adulto da Disney herdou muitos títulos após a gigante do entretenimento comprar a Fox e o site norte-americanno Hulu. Com isso, o Star+ passou a se destacar por disponibilizar um amplo catálogo esportivo, onde muitas transmissões da ESPN também são exibidas. 

No entanto, a ofensiva está apenas começando, mesmo que, com uma estratégia extremamente agressiva, a Disney já tenha conseguido superar a Netflix quando o quesito é o combo família. Anteriormente líder de mercado, atualmente a Netflix conta com 220 milhões de assinantes, enquanto isso, a Disney chegou aos 221 milhões, mas a companhia não quer parar por aí, e a meta é até 2024 alcançar os 245 milhões de assinantes. 

Para alcançar esse objetivo, o Grupo Disney tem adotado algumas estratégias, que vão desde o oferecimento de um amplo conteúdo esportivo, internacional e local, até diversas alternativas de assinaturas, algumas inclusive com propaganda, o que barateia seu preço. Em uma entrevista à VEJA, a vice-presidente de digital na Walt Disney, Juliana Oliveira, falou um pouco sobre os objetivos da companhia.

Concorrência

O primeiro tema abordado pela executiva foi exatamente a concorrência entre as empresas que disponibilizam serviços de streaming, e segundo Juliana essa disputa acirrada é benéfica principalmente para o consumidor. 

“Quanto mais plataformas de streaming nós temos, mais opções os consumidores vão ter. Por isso é muito saudável que todas elas existam. O que diferencia uma da outra é a oferta de conteúdos. No Star+ por exemplo, temos um catálogo robusto de séries conhecidas, como The Walking Dead e Simpsons, e outras novas como Only Murders in the Building. O conteúdo esportivo é também um dos principais atrativos. Temos cerca de 500 conteúdos esportivos ao vivo semanais, que funcionam muito bem especialmente no Brasil.” 

O foco na oferta de conteúdos esportivos é evidente na Star+, sendo boa parte deles direcionados ao futebol, já que não é novidade para ninguém que a modalidade é a paixão nacional. Com isso, a serviço de streaming disponibiliza para os seus assinantes uma grande variedade de transmissões de competições extremamente populares no Brasil, como a Premier League e a La Liga, que além de atraírem uma boa parcela do público amante de um bom futebol por aqui, também acabam movimentando os novos sites de apostas, nos quais os usuários encontram uma grande variedade de bônus e promoções, assim como um amplo catálogo de torneios em que podem arriscar seus palpites e tentar a sorte. 

Produções tupiniquins

De acordo com a executiva, a Disney tem preparado diversas produções brasileiras para serem lançadas em suas plataformas de streaming, e que esse conteúdo ainda não foi ao ar por conta dos atrasos causados pela crise sanitária. No entanto, Juliana aponta que em outubro, por exemplo, será lançado O Rei da TV, uma produção inspirada na história do lendário comunicador Silvio Santos. Além disso, para 2023 está programado o lançamento da série How To Be a Carioca, que será estrelada por Seu Jorge. 

Preço

Segundo Juliana, a estratégia adotada pela companhia foi a implementação de uma política de preço mais acessível, já que eles desejam entender a necessidade do público que tem esse fator como determinante para a assinatura de um serviço de streaming. Com isso, eles fizeram parcerias com outras empresas, como o Mercado Livre e Globo, oferecendo combos de assinatura a um baixo custo. 

Além disso, a partir de 8 de dezembro, eles irão disponibilizar o modelo de assinatura com anúncios, que inicialmente será testado nos EUA, mas posteriormente será lançado em outras regiões. “Eu acho que quando isso acontecer na América Latina, vai ser uma estratégia muito assertiva para ampliarmos a nossa audiência e capitalizar esses novos consumidores”, disse Juliana.