segunda-feira, maio 27 2024
4.0 out of 5.0 stars

De fato, Loki segue como a melhor série da Marvel na 2ª temporada que retornou esta semana no Disney+, mas isso não é dizer muito. Tirando WandaVision, as demais atrações – incluindo a recente bomba Invasão Secreta – são medíocres, desnecessárias e enfadonhas. Retornando do exato momento em que foi interrompida no 1º ano, a atração retorna fazendo o que sabe de melhor: ação e humor na medida certa.

Após um quase-embate com Aquele Que Permanece, Loki (Tom Hiddleston, excelente como sempre) e Owen Wilson (costumeiramente divertido) estão juntos novamente agora que tudo que sabiam sobre a TVA pode (ou não) estar em xeque. É ótimo, inclusive, que o mistério da série não seja o seu principal foco, sempre apresentando sim num roteiro ágil e sagaz e nas interações entre seus inspirados personagens.

Loki

Além da adorável e imprevisível Sylvie (Sophia di Martino), o grande destaque dos novos capítulos – já assisti a 2 numa sessão para a imprensa – é a chegada de Ke Huy Quan (Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo) na pele de OB, um desajeitado, mas sempre simpático “faz-tudo” na TVA que eleva o nível de importância dos eventos mostrados com uma leveza ímpar e um timing cômico invejável.

Embora seja uma série em que a jornada importa mais que o resultado, apenas me questiono se Loki vai conseguir sair do lugar-comum (pelo menos nos dois primeiros episódios) e trazer algo realmente impactante no MCU, especialmente considerando o enorme problema que a presença tóxica de Jonathan Majors se tornou para a cia.

Independente de onde isso vai dar, Loki vale como um passatempo descontraído, revigorante e que nunca se leva à sério demais como outras dezenas de exemplares deste universo – tanto no cinema quanto na TV. Esse, sim, é o seu grande diferencial das outras incontáveis horas que a Casa das Ideias despeja todos os anos em nós espectadores.