FOTO: REPRODUçãO

Por: Redação Ligado em Série

Crítica | Community 6×10: Basic RV Repair and Palmistry

community 6x10

[Com spoilers do episódio 6×10] Community sempre teve os dois pés na metalinguagem, mas Basic RV Repair and Palmistry parece ir além e comentar sobre a própria metalinguagem da série: partindo de um plot envolvendo as tradicionais vicissitudes de uma road trip, como falta de gasolina e uma mão gigante no teto do trailer, o episódio lentamente vai se aproximando de Abed e da sua obsessão por histórias e estruturas narrativas.

A restrição de cenários e personagens (o episódio basicamente envolve o grupo de estudos em um ambiente de metragem quase negativa) meio que joga todo o peso em cima dos diálogos e da mise-en-scène, e o resultado nem sempre é satisfatório – principalmente nas digressões de Elroy (personagem que é engraçada, mas que aqui parece ter algumas falas desnecessariamente esticadas). Tipo, é bem complicado construir algo dinâmico sem uma variação grande de elementos, e, apesar de Basic RV Repair and Palmistry manter gritarias e conflitos sempre a uma frase de distância, determinados momentos simplesmente soam como cansaço (a brincadeira do Dean Pelton com stand-up comedy é um ótimo exemplo de insight divertido, porém mal elaborado).

Por outro lado, o episódio tem uma eficiência descomunal para ir construindo a história até um ponto de confusão generalizada. As tensões vão se acumulando – Dean tem faniquitos por causa da gasolina, Elroy por causa da bateria, Jeff por causa de Abed e por aí vai – e logo a instabilidade do ambiente se torna palpável. Como de praxe, os diálogos são lapidados até se tornarem Scarletts Johanssons (“seja lá qual o clima em que você estava quando tomou a decisão de comprar uma mão gigante, estou orgulhosa de ficar fora dele até morrer“, “admiro você apelar para a minha paixão por esportes e sarcasmo“, “não é bom estar de volta“), o que confere dinamismo à narrativa, já que mantém (quase) sempre algo interessante pairando no ar. Além disso, o elenco parece estar mais entrosado do que nunca, com destaque para a seriedade de Frankie (a seriedade deixa ela mais divertida ainda), e a dinâmica entre eles soa tão natural que poderiam estar em marte comprando ingressos de cinema a preços baratos e ainda assim aceitaríamos aquele cenário como algo crível.

Mas o diferencial aqui acaba sendo Abed e os flashbacks. Parece que Community está fazendo uma defesa da sua própria metalinguagem (“então será um show sobre… isto?” “tem razão. Abed, volte“), mas o arco dramático percorrido pela personagem sugere que é fácil se perder em exageros. Talvez seja a série cutucando a nossa obsessão por cultura pop, talvez seja a série criticando a utilização de referências em detrimento de uma boa história – e episódios como Geothermal Escapism e G. I. Jeff mostram que o show costuma usar um em prol do outro – ou talvez seja apenas uma reflexão mesmo. Apesar das tiradas boas e divertidas (embora o episódio não seja lá muito engraçado), da química entre os atores, da história ou da absurdamente criativa cena final, é essa capacidade de provocar interpretações e pensamentos pós-créditos que dá personalidade a Basic RV Repair and Palmistry. E que coloca Community em um nível diferenciado de qualidade.

4star

Deixe um comentário

ss