FOTO: REPRODUçãO

Por: Allan Verissimo

Homeland: grafite que apareceu no último episódio acusa a série de racismo

homeland4

Homeland já recebeu diversas críticas no passado, pela maneira como retratou a Venezuela e as nações árabes. Porém, dessa vez, a crítica ocorreu de um jeito bastante inusitado. No episódio mais recente, o 5×02The Tradition of Hospitality“, a protagonista Carrie Mathison (Claire Danes) visita um campo de refugiados na fronteira entre a Síria e o Líbano. A cena em questão foi gravada na Alemanha. Em determinado momento, é possível distinguir grafites árabes numa parede, criticando a série. A mensagem principal diz: “Homeland é racista“. Outra mensagem nas paredes também afirma: “Homeland é uma piada e não nos faz rir“.

151015153229_grafite_arabe_2_624x351_cortesiadosartistas_nocredit

Os artistas responsáveis, Heba Amin, Caram Kapp e Stone, declararam que a produção de Homeland estava procurando “artistas árabes de ruas“, para dar mais autenticidade às cenas. Incomodados com a mensagem política da série, o trio decidiu, em suas próprias palavras, “subverter a mensagem usando a própria série“.  Curiosamente, ninguém na produção parece ter percebido os verdadeiros significados dos grafites, até a data oficial da exibição do episódio. Homeland é exibida nos EUA pela Showtime aos domingos.

homeland_grafite


Oferecimento | The Leftovers na HBO GO: assista quando e onde quiser!


10 respostas para “Homeland: grafite que apareceu no último episódio acusa a série de racismo”

  1. Airke disse:

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk é, acho que não deu muito certo

  2. Tiago Zanchi disse:

    Alguém sabe me dizer no que a série é racista?

  3. Raul Gondim disse:

    vilanização dos povos árabes. é meio explícito, não?

  4. Murilo Pinho disse:

    E onde é que está a mentira nisso?

  5. Raul Gondim disse:

    você acha que todo árabe é do mal, é isso? O_o

  6. Raul Gondim disse:

    você acha que todo árabe ou muçulmano é do mal e não existe uma estereotipação generalizada em Homeland?

  7. Bruno Sousa disse:

    Em que momento da série houve um discurso que “todo árabe ou muçulmano é do mal”?

    É a mesma coisa que dizer que Tropa de Elite passa a ideia que todo mundo que mora na favela é bandido. Têm favelas completamente DOMINADAS por bandidos? Tem! Mas não significa que todo mundo na favela é bandido.

  8. Christiano José Jabur disse:

    Você deve achar que eu sou terrorista ou apóio o terrorismo por ser neto (por parte de pai) de árabes (libaneses). Apesar de ter sido cristão toda a minha vida. Inclusive fui batizado no catolicismo quando era bebê.

  9. Tiago Zanchi disse:

    Faz sentido… é que eles criticam pra caramba os EUA também, mas isso não anula toda os estereótipos islamofóbicos apresentados na série. Não tinha pensado muito a respeito quando vi a noticia :P Valeu!!

  10. Ângelo M. Palmeira disse:

    A série é taxada de racista só porque não se dobra ao credo bovino multicultural politicamente correto.
    Grande parte dos muçulmanos, se não pegam em armas, no mínimo compactuam ou se sentem confortáveis em justificar atos terroristas. A grande maioria dos países islâmicos são ditaduras seculares ou religiosas e alguns deles colaboram estreitamente com grupos terroristas, como é o caso do Irã com o Hezbollah. Além disso, o que não falta nos países do islã são financiadores para grupos terroristas. Dos19 terroristas do 11 de setembro, 15 eram da Arábia Saudita, em teoria um aliado dos EUA na região.
    Boa parte dos adeptos do islamismo vêem a violência com naturalidade e o valor da vida humana nessas sociedades não é o mesmo que se dá aqui no Ocidente.
    A única coisa que a série faz é levar em conta todos esses fatos.
    Homeland não é racista. É realista.

Deixe um comentário

ss