FOTO: REPRODUçãO

Por: Redação Ligado em Série

Muito dinheiro para pouco 3D

efeito 3d

Batman vs Superman: A Origem da Justiça e Capitão América: Guerra Civil, os dois grandes blockbusters do ano até aqui, provaram que o 3D deixou de ser uma característica irrelevante na indústria: dada a atmosfera escura do filme de Zack Snyder (que se torna mais escura ainda com os óculos) e a montagem ágil do filme de Joe e Anthony Russo (que fica difícil de acompanhar), um observador pode concluir que, de indiferente, o 3D passou a ser prejudicial. Isso que estamos falando de duas obras filmadas em 2D e convertidas para 3D (aliás, recomendo este site para saber quem pertence a qual caregoria: Real or Fake 3D), ou seja, houve um esforço técnico para tornar tudo mais escuro ou frenético. E isso significa que Hollywood está deliberadamente piorando seus filmes para cobrar mais por eles.

A implementação em larga escala de avanços técnicos como som, cores e razão de aspecto maior sempre foi consequência de vacas magras para os cinemas (grande depressão, segunda guerra, TV etc). Com o 3D não é diferente. Em um universo de constante DDA, onde tanto o download ilegal quanto o streaming de grandes obras estão a uns meros cliques de distância, é preciso criar um diferencial. Assistir a um filme precisa ser uma experiência, e quanto mais bugigangas conseguirem colocar em uma cadeira de cinema, mais poderão cobrar pelo lugar e mais poderão gritar aos quatro ventos que a experiência ali é única.

Mas a grande diferença é que o 3D não se tornou parte da linguagem cinematográfica, como aconteceu com outros avanços técnicos. Ele continua puramente uma estratégia de marketing. Mesmo descartando as aberrações convertidas de 2D para 3D, que com frequência parecem apenas uma versão mal acabada daquelas livros pop-ups, sobra muito pouco para se orgulhar. Avatar, Coraline e o Mundo Secreto, Como Treinar Seu Dragão, Tron: O Legado, Gravidade, Caverna dos Sonhos Esquecidos, Dredd, A Invenção de Hugo Cabret e… qual mais? Difícil encontrar produções que realmente chamaram a atenção pelo bom uso do efeito.

hugo cabret

E o que essas citadas tem em comum é a utilização de uma grande profundidade de campo (a distância que o foco da câmera percorre no quadro). Não é um recurso comum no 2D – desfocar o que está em segundo plano direciona a atenção do espectador, especialmente em planos mais fechados -, mas é o que dá a mágica do 3D – para mim, a grande cena em três dimensões de Avatar é logo no início quando Jake sai da cápsula na nave e, graças a uma enorme profundidade de campo, conseguimos ver a quantidade de cápsulas naquela balsa espacial. E a tridimensionalidade contida ali é de tirar o fôlego.

É preciso repensar não apenas a profundidade de campo mas também a composição dos quadros. A quantidade de elementos em cena colabora com a percepção de profundidade, mas também não dá para atolar de coisas e deixar tudo confuso. É preciso pensar a respeito. Estudar, testar, ver o que funciona e o que não funciona – algo que a indústria americana não curte muito fazer. Afinal, é sempre mais fácil despejar mais alguns milhões no marketing e garantir que, mesmo entregando um produto deliberadamente pior aos consumidores, esses mesmos consumidores mantenham a roda girando.

9 respostas para “Muito dinheiro para pouco 3D”

  1. adrianotenorio disse:

    Concordo com o texto. E acrescento: Sempre achei o 3D muito escuro e de difícil compreensão, afora as exceções dos filmes descritos (Avatar, para mim, a melhor experiência até hoje, seguida de Gravidade). 3D deveria realmente ser algo além de só receber objetos “na cara” uma cena ou outra. E como sou míope, ainda enfrento o dilema de tentar encaixar o óculos do cinema sobre o de grau, o que definitivamente não dá certo! Então, por enquanto, 3D pra mim não vale a pena.

  2. Mariana A. disse:

    O primeiro filme que vi em 3D no cinema foi Up, e a cena da casa sendo levantada pelos baloes ficou incrivel tridimensional, procurei agora no link postado e vi que foi 3D de verdade, entao faz sentido eu ter achado bom ja que normalmente acho o convertido terrivel. Mas a minha amiga que usa oculos saiu do cinema com uma baita dor de cabeça, o que outras pessoas ja relataram pra mim, ate mesmo recentemente, entao esse ainda eh um problema a ser resolvido.
    O meu favorito em questao de uso da tecnologia em funçao do visual e trama eh Hugo Cabret. Infelizmente nao assisti Avatar em 3D, espero ter oportunidade algum dia (nao sou fa do filme, mas sempre ouvi falar bem de como o Cameron usou bem a tecnologia).
    De resto, minhas experiencias foram ruins e hoje em dia evito ao maximo sessoes 3D.
    Uma coisa que eu fico me questionando eh se teria alguma forma de fazer um filme adulto em 2D com apenas algumas cenas em 3D (que ja eh a estrategia que muitos usam, de apenas algumas cenas serem rodadas em 3D de verdade ou IMAX), tipo aqueles filmes em VHS em que era necessario colocar o oculos (daqueles azul e vermelho de papel) apenas em determinadas cenas. Acho que funcionaria bem em um filme como Deadpool, que por ser meta, poderia brincar com isso. Mas, sinceramente, eu preferia passar pelo ato de colocar o oculos para uma cena de batalha e retirar logo em seguida, do que sofrer a tortura de assistir um filme todo em 3D convertido (meu trauma foi o ultimo Harry Potter, na epoca eu falei pra todo mundo que parecia aqueles livros pop-up, achei graça vc usar a mesma comparaçao).

  3. Rodrigo Lustosa disse:

    Animações ficam bem em 3D, Os Minions são o melhor 3Dbque já vi, desde o primeiro Malvado Favorito. Eu curto 3D e sempre que dá eu compro ou baixo…

  4. Herbert José da Fonseca Silva disse:

    Realmente assisti, BvS em 3d e com exceção de algumas ótimas cenas, o resto foi sofrível, muito escuro e doeu a vista, eu que sou míope foi pior.

  5. Thomas_nf disse:

    Finalmente. 3D nos cinemas hoje é puramente pra cobrar ingresso mais caro, poucas são as produções onde o recurso é pensado a trabalhar um conceito dentro do filme, o pior é que já posso observar uma tendência de vários cinemas em lançar vários filmes apenas nesse formato, não dando nem a opção de você escolher não vê-lo dessa forma. Se continuar desse jeito, vai chegar um momento onde eu vou ter que deixar de assistir um filme que eu quero no cinema por causa disso.

  6. Paulo Sergio Pereira disse:

    O pior é a dificuldade de encontrar sessões de alguns filmes em 2D legendado. Não consegui assistir a BvS pq só encontrei sessões 3D legendadas, nenhuma sala 2D, todas com copias dubladas. Daqui a pouco não poderei mais ir ao cinema por falta de opção de salas.
    Dou opção apenas para os filmes que realmente são filmados em 3D, já tive péssimas experiencias com filmes convertidos e não valem meu dinheiro.

  7. Tiagoseiyapb disse:

    o melhor 3d que vi na vida foi Transformers 3

  8. Reis disse:

    A Aventuras de Tintim tem um ótimo 3d.

  9. Diego Uzêda disse:

    Muitas animações são boas em se assistir em 3D. Longas metragens, são poucos. Normalmente fujo de filmes 3D, a não ser que o 3D realmente traga uma nova percepção para o filme.

Deixe uma resposta

ss