FOTO: REPRODUçãO

Por: Redação Ligado em Série

Crítica | The Leftovers 2×02: A Matter of Geography

TheLeftoversS2

[com spoilers do episódio 2×02] Se The Leftovers aproveitou o ótimo Axis Mundi – o pontapé inicial desta segunda temporada – para apresentar novas personagens e novas pistas relacionadas ao mistério do grande sumiço da galera, A Matter of Geography assume o papel de condutor: ao longo do episódio, somos apresentado aos Garvey/Durst pós-multidão furiosa com tochas quebrando Mapleton, descobrindo o que levou a agora família a parar em Miracle e qual será o peso neurológico que Kevin precisará carregar.

Confesso que fiquei um pouco decepcionado com a rapidez com que toda a confusão do season finale foi abandonada (uma simples menção a qualquer coisa envolvendo o FBI) e a culpa pela suicídio da Patti despachou o protagonista para o mato. Parece que essas situações foram simplesmente recheadas e atiradas para o lado como se fossem um sanduíche do Subway – sim, as intenções e o papel delas são claros, mas falta o peso que justifique o tamanho da confusão ou a decisão de Kevin.

Mas são questões pontuais e menores em um episódio tão seguro de si que poderia ser interpretado pelo Tom Cruise. A Matter of Geography mostra uma maturidade que a série só havia alcançado nos excepcionais Two Boats and a Helicopter e Guest, utilizando ações triviais para desenvolver tanto a trama quanto as personagens. A reunião onde Nora se mostra a pior negociadora de todos os tempos, por exemplo, serve para a) reforçar o passado, o sofrimento e porque ela precisa sair da cidade, b) estabelecer três milhões de dólares na conta da moça, c) provocar o espectador com uma possível explicação do desaparecimento de todos e d) sugerir que tal evento possa acontecer de novo. Tudo isso em apenas alguns minutos de conversa natural, o que definitivamente não é fácil e definitivamente torna a narrativa muito mais orgânica.

leftovers2

E o roteiro segue nessa autobahn de vitórias, já que A Matter of Geography metralha concisão para todos os lados, seja nas motivações dramáticas (Jill rasgando a carta), estabelecendo Nora como parte da família (ela e Jill correndo para pegar um quarto) ou aproveitando a deixa da cidade virgem de desaparecimentos para criar situações interessantes (o centro de visitantes, a diversidade de religiões acampando ao lado de fora, a dificuldade de entrar em Miracle) ou mistérios (o cliffhanger envolvendo o lago que secou). Aliás, a presença de Patti cria uma sensação incômoda – a cena na barraca é particularmente tensa – e surge como uma adição muito bem-vinda à temporada, pois confere um grau a mais de imprevisibilidade na trama. Além disso, o episódio conseguiu explorar de forma bem natural a aparente esquizofrenia do protagonista, que começa negando a companhia da ex-viva e, ao final, parece aceitar que ela vai estar junto.

É pertinente também que o episódio opte por usar a câmera na mão mesmo em cenas tranquilas, o que passa uma sensação de urgência, de que algo pode acontecer, e que com frequência enquadre Kevin sozinho – ainda que Jill e Nora estejam gravitando por perto (a chegada à casa é um bom exemplo). É, afinal, o início de uma jornada solitária que ele precisará empreender e entender, exatamente como aconteceu com seu pai, e A Matter of Geography consegue estabelecer muito bem essa premissa. Com tudo que aconteceu no episódio passado – inclusive, observar os acontecimentos de Axis Mundi sob outro ponto de vista, ou as cabeçadas no fogão que antecederam esses acontecimentos, é mais uma medalha de escoteiro para A Matter of Geography – e tudo que foi plantado neste, a segunda temporada de The Leftovers começa já com bastante material para fazer com que as próximas incursões dos Garvey pela agradável Jarden sejam interessantes e envolventes. Até porque o próprio título deste episódio já dá uma pista dos conflitos que podem vir a seguir: como diria o filósofo americano Elbert Hubbard, “Morality is just a matter of geography“.

4star

..

3 respostas para “Crítica | The Leftovers 2×02: A Matter of Geography”

  1. Super Sonic disse:

    Boa crítica.

    O primeiro e o segundo episódios foram incríveis! Espero que a audiência seja suficientemente boa para a renovação.

    O tijolo amarrado ao pé indica uma tentativa de assassinato/suicídio?

  2. Ricardo Pereira disse:

    Gostei bem dos dois episódios. Agora, por mais desespero que existisse para se mudar para a cidade, o medo de perder mais pessoas queridas etc, achei forçado demais o lance da Nora no leilão oferecendo os três milhões. Assim como ainda estranhando a mudança brusca de personalidade da Jill da primeira para esta nova temporada. Mas vamos em frente, gostando dos novos rumos.

  3. julio disse:

    falou tudo

Deixe um comentário

ss